Futebol

Copa do Brasil : resumo desta quarta -feira

21 Jul 2016 - 15h51

Pikachu se destaca, Vasco vence o Santa e vai às oitavas da Copa BR


Em tempos de Pokémon Go, Yago Pikachu foi encontrado no Vasco e mais uma vez foi muito bem, agora na classificação do clube às oitavas da Copa do Brasil. Na noite desta quarta-feira, em Recife, o time comandado por Jorginho derrotou o Santa Cruz por 3 a 2 (4 a 3 no agregado), mesmo com o elenco incompleto para a partida. O sonho da vaga à Copa Libertadores de 2017 segue vivo para os vascaínos.

 

Sem Nenê - ficou no Rio em recuperação de dores na coxa -, Jorginho resolveu apostar contra o Santa Cruz. Colocou Yago Pikachu improvisado no meio de campo, Evander na função de camisa 10 e Thalles novamente titular. Atitude até compreensível do treinador, que precisava inovar na busca pela vaga já que na ida, em São Januário, o Vasco passou muita dificuldade.

O Santa Cruz, por outro lado, tendo a vantagem do empate sem gols para se classificar, montou um esquema fechado que quase não deu espaço para o Vasco. E ao mesmo tempo, o time pernambucano não se lançava ao ataque. Resultado disso foi um primeiro tempo sem chances, com exceção da bola parada - como aos 31 e 38, em cobranças de Rodrigo e Andrezinho.

 

Ciente das dificuldades, o Vasco se abriu mais na volta do intervalo. E o esquema armado por Jorginho no meio de campo começou a surtir o efeito. Logo aos sete minutos, Andrezinho iniciou o lance achando Jorge Henrique. O atacante passou a bola para Julio Cesar, que mandou para a grande área. Andrezinho, oportunista, conseguiu a sobra e colocou o Vasco na frente.

 

Na frente, o Vasco não diminuiu o ritmo, já que se o Santa Cruz empatasse em 1 a 1, a decisão da vaga iria para os pênaltis. E aos 19 minutos ampliou o marcador. Yago Pikachu, vivendo grande fase - foi dele o gol contra o Luverdense, sábado passado -, aproveitou passe de Evander e mandou com força para o gol, indefensável para Tiago Cardoso.

 

Ainda deu tempo do Santa Cruz diminuir aos 23 com Keno, o Vasco chegar ao terceiro com Jorge Henrique aos 47 e os pernambucanos ao segundo aos 49 com Arthur. Vitória carioca e avanço merecido na Copa do Brasil.

 

FICHA TÉCNICA

SANTA CRUZ 2 X 3 VASCO

 

Estádio: Arruda, em Recife (PE)

Data-hora: 20/7/2016, 21h45 (de Brasília)

Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG)

Auxiliares: Marcus Vinicius Gomes (MG) e Flavio Gomes Barroca (RN)

Renda/público: 14.264 presentes/R$ 132.525,00

Cartões amarelos: Vitor, Neris, Derley, Keno, Marcinho (SAN) e Marcelo Mattos, Diguinho (VAS)

Cartão vermelho: Derley (fim de jogo)

 

GOLS: Andrezinho 7'/2ºT (0-1), Yago Pikachu 19'/2ºT (0-2), Keno 23'/2ºT (1-2) e Jorge Henrique 47'/2ºT (1-3) e Arthur 49'/2ºT (2-3)

 

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso, Vitor, Neris (João Paulo intervalo), Danny Morais e Tiago Costa; Wellington, Derley, Marcílio (Arthur 14'/2ºT) e Leandrinho (Marcinho 21'/2ºT); Bruno Moraes e Keno. Técnico: Milton Mendes.

 

VASCO: Martin Silva, Madson, Jomar, Rodrigo e Julio Cesar; Marcelo Mattos (Diguinho intervalo), Yago Pikachu (Julio dos Santos 37'/2ºT) , Andrezinho e Evander (William Oliveira 28'/2ºT); Jorge Henrique e Thalles. Técnico: Jorginho.

 

Santos se perde, para no Gama, mantém tabu e leva decisão para Vila


A intenção de Dorival era levar a Brasília o melhor que tinha do Santos à sua disposição. Na teoria, 100%, mas os cinco desfalques (Zeca, Thiago Maia e Gabigol na Seleção e Renato e Ricardo poupados) fizeram o Peixe se desencontrar diante do Gama, produzir pouquíssimo do que é capaz e manter um tabu que começou em 1999: nunca ter vencido o Gama. Resultado: 0 a 0 com gosto amargo para o Peixe e excelente para o verde da capital do Brasil. Confira como foi o jogo lance a lance.

 

Como o plano de Dorival foi frustrado, na próxima quarta, o Alvinegro terá que usar novamente o que tem de melhor para avançar às oitavas de final da Copa do Brasil.

Com a bola rolando, se viu mais Jeferson, David e Pitio chegando na cara do gol de Vanderlei do que Lucas Lima e Rodrigão perto da meta de Maringá. Este aliás, foi um problema para o Santos: o caminho para o gol cheio de obstáculos.

 

 

Mesmo com uma forte marcação do Gama, em todos os setores do campo, o Peixe não abriu mão do toque de bola, chegou a ter 70% de posse, mas não finalizava.

 

O time de Brasília, por outro lado, mal trabalhava a bola e arriscava como podia. O técnico do Gama, Reinaldo Gueldini, parece ter usado os 34 dias sem jogos para estudar o adversário e descobriu que a bola alta é o principal defeito. Na primeira etapa, era essa a estratégia do time da casa, lançar na área, o que quase sempre significa perigo para a zaga alvinegra.

 

No segundo tempo, a primeira mudança do Santos foi a inversão de lados de Copete e Vitor Bueno.

 

Antes na direita, o colombiano passou a ocupar a faixa esquerda do ataque. A alteração até surtiu efeitos nos primeiros momentos, com o camisa 36 buscando o canto do goleiro, que mandou para escanteio.

 

Lucas Lima, que passou grande parte do duelo caindo do meio para a direita, ficou no centro e arriscou lançamentos. Todos ineficazes. Se no último sábado disposição não faltou para o camisa 20, nesta quarta ele teve participação pequena na armação.

 

Para o Gama, avançar significa mais do que as oitavas. Se não passar, o time fica sem jogos até o ano que vem, já que não disputa o Brasileirão em nenhuma divisão. Pressionado, o Peixe terá que decidir em sua casa a buscar o entrosamento às pressas para se classificar.

FICHA TÉCNICA

GAMA 0 X 0 SANTOS

 

Local: estádio Bezerrão, em Gama (DF)

Árbitro: Adriano Milczvski (PR)

Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR) e Luciano Roggenbaum (PR)

Cartões amarelos: Gustavo Henrique, Paulinho e Lucas Lima (SAN)

Público: 12.066 pagantes

 

GAMA: Maringá; Dudu Gago, Pedrão, Murilo e Felipe Assis; Eduardo, David, Michel, Jeferson Paulista (Ítalo 13' 2ºT) e Marcos Bahia (Marlon 31' 2ºT); Roberto Pítio (Raone 43' 2ºT). Técnico: Reinaldo Gueldini

 

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Caju; Yuri, Léo Cittadini (Vecchio 34' 2ºT), Vitor Bueno (Paulinho 17' 2ºT) e Lucas Lima; Copete e Rodrigão (Joel 37' 2ºT). Técnico: Dorival Júnior

 

Cruzeiro repete placar do jogo de ida e elimina Vitória da Copa do Brasil


O Cruzeiro voltou a vencer o Vitória no confronto pela terceira fase da Copa do Brasil. Assim como no jogo de ida, o time mineiro bateu o rubro-negro baiano por 2 a 1. Nesta quarta-feira, jogando no Estádio do Mineirão, o time comandado pelo português Paulo Bento contou com gols de Bruno Ramires e Ábila, enquanto os visitantes descontaram com Marinho. Adversário das oitavas de final será conhecido através de um sorteio.

 

O JOGO

 

Mesmo com a vantagem conquistada no jogo de ida, foi o Cruzeiro que começou tomando a iniciativa do jogo e criando as melhores oportunidades. A primeira boa chegada foi com o atacante Rafael Sóbis, que invadiu a área e bateu cruzado, assustando Caíque. Pouco tempo depois, o goleiro do time baiano fez boa defesa após chute de Lucas. No lance seguinte, o lateral cruzou na medida para Bruno Ramires completar de joelho e marcar o primeiro gol como profissional.

 

Com pouca criatividade e movimentação no setor de meio-campo, o Vitória apostava nas jogadas pelo alto, porém a defesa mineira estava ligada e conseguia afastar o perigo. Em um das poucas chances, a bola sobrou para Kanu e o zagueiro quase marcou pegando de primeira. Antes do fim da etapa inicial, Marinho fez grande jogada, mas parou nas mãos de Fábio. Equipe da casa foi para o vestiário vencendo pelo placar mínimo.

O treinador Vagner Mancini mexeu na equipe, para tentar buscar o empate, mas logo no primeiro minuto do segundo tempo tudo piorou. Ábila recebeu, cortou Victor Ramos da jogada e mandou uma bomba para ampliar o placar, marcando o seu primeiro gol pela Raposa. Aos 12, Rafael Sóbis também levou perigo para Caíque, batendo de esquerda. Marinho respondeu em seguida, porém bateu para fora.

 

Aos 24, Diego Renan esteve perto de diminuir para o time visitante, desperdiçou uma cobrança de pênalti, que Fábio foi buscar no canto esquerdo. No rebote, Ramallo ainda isolou. Dois minutos depois, Vander deu lindo passe para Marinho conseguir estufar as redes do Cruzeiro e descontar para o rubro-negro. No fim, o Cruzeiro quase ampliou em duas oportunidades. Ábila e Rafinha levaram perigo para o gol de Caíque, mas pararam nas traves.

 

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 2 X 1 VITÓRIA

 

Data/hora: 20/07/2016, às 21h45

Local: Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Árbitro: Thiago Duarte Peixoto (SP)

Assistentes: Fábio Rogério Baesteiro (SP) e Herman Brumel Vani (SP)

Cartões Amarelos: Rafael Sóbis, Ábila e Bruno Ramires (CRU) ; Kanu (VIT)

Cartão Vermelho: Não houve.

Público e Renda: 10.775 pagantes - R$ 244.034,00

Gols: Bruno Ramires, 22'/1ºT (1-0); Ábila, 1'/2ºT (2-0); Marinho, 26'/2ºT (2-1)

 

CRUZEIRO: Fábio; Lucas, Bruno Viana, Léo e Edimar; Henrique, Ariel Cabral (Federico Gino, 32'/2ºT), Bruno Ramires (Bruno Rodrigo, 42'/2ºT) e Arrascaeta; Rafael Sóbis (Rafinha, 25'/2ºT) e Ábila. TEC: Paulo Bento.

 

VITÓRIA: Caíque; Diego Renan, Kanu, Victor Ramos e Euller; William Farias (José Welison, 36'/2ºT), Marcelo (Tiago Real, intervalo) e Vander; Marinho, Dagoberto (Rodrigo Ramallo, 13'/2ºT) e Kieza. TEC: Vagner Mancini.

 

 

Em noite gelada, Juventude e Paysandu ficam no empate pela Copa do Brasil


 

A quarta-feira gelada de Caxias do Sul (4°C no início do jogo) também congelou o placar da partida: Juventude e Paysandu não saíram do zero e deixaram a decisão para a próxima quarta-feira (27), em Belém do Pará. O Paysandu criou boas chances e atacou bastante a equipe caxiense, mas não foi efetivo nas conclusões.

 

Ceará e Botafogo-PB empataram em 0 a 0, no Estádio Presidente Vargas, pelo jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil. Depois de vencer por 3 a 0 o primeiro encontro, o Botafogo-PB entrou em situação muito confortável, apenas garantiu que o adversário não conseguiria esboçar uma reação e se garantiu nas oitavas de final da competição.

Apesar da grande presença da torcida, o Ceará apresentou muitas dificuldades para criar oportunidades de marcar. Na primeira etapa inteira, chegou bem apenas uma vez, aos 38 minutos, com Robinho. Na segunda metade, o Ceará melhorou, mas não o suficiente para sequer abrir o placar e acabou eliminado da Copa do Brasil.

Com uma postura cautelosa, aproveitando-se do resultado do jogo de ida, o Botafogo-PB é o primeiro time garantido nas oitavas de final do torneio nacional (além das equipes que disputaram a Libertadores), e o clube agora aguarda o sorteio da CBF para saber quem enfrentará na próxima fase.

O jogo

Apesar da necessidade de um resultado elástico para se classificar, o Ceará só chegou ameaçando o adversário aos 21 minutos do primeiro tempo. Eduardo recebeu na área, deu um toque na bola que mais parecia ser um cruzamento do que um chute, mas a bola foi em direção ao gol e beliscou o travessão antes de sair.

A qualidade técnica da partida era muito baixa. O Botafog-PB o não tinha nenhum interesse em fazer a partida fluir, já que tinha o resultado a seu favor. O Ceará se esforçava, mas não conseguia criar chances perigosas.

O melhor lance do Ceará na metade inicial da partida ocorreu apenas aos 38 minutos. Robinho recebeu na área, cortou para o centro e soltou uma bomba de esquerda, mas a bola apenas bateu na rede pelo lado de fora.

Já na segunda etapa, aos 13, o Ceará chegou bem. Depois de cruzamento na área, Robinho cabeceou e quase abriu o placar, mas Michel Alves fez grande defesa. O Botafogo teve a sua primeira grande chance aos 33. Carlinhos fez boa jogada pela direita, cruzou na área e Rodrigo bateu de primeira, errando o alvo por muito pouco.

O Botafogo-PB se animou. Aos 36, Carlinhos foi lançado pela direita, tirou do goleiro e tocou para Rodrigo Silva, mas, com o gol aberto, ele jogou para a linha de fundo. Já com o resultado praticamente definido, o jogo perdeu intensidade. O Ceará sentia o peso do placar da partida de ida, e o Botafogo-PB apenas esperou o árbitro apitar o final.

FICHA TÉCNICA:
CEARÁ 0 X 0 BOTAFOGO-PB

Local: Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza (CE)
Data: 20 de julho de 2016, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: ítalo Medeiros de Azavedo (RN)
Assistentes: Leandro Lincoln Santos Neves (RN) e Ruan Neres Souza de Queiroz (RN)
Cartões amarelos: Rafinha e Ceará (Ceará); Djavan, Danielzinho (Botafogo)

CEARÁ: Éverson; Robinho, Sandro, Charles (Lucas) e Eduardo (Tomas); Baraka, Felipe, Rafinha e Caio César (Alex Amado); Ricardinho e Serginho. Técnico: Sérgio Soares

BOTAFOGO-PB: Michel Alves; Ângelo (Henik), Plínio, Marcelo Xavier e João Paulo, Djavan, Sapé, Pedro Castro e Marcinho (Assis); Rodrigo Silva e Danielzinho (Carlinhos Junior). Técnico: Itamar Schulle


Fonte: UOL e ESPN.



 

 

 

Matérias Relacionadas

Economia

Reforma da Previdência é promulgada pelo Congresso

Economia

Bolsonaro assina medida provisória que extingue o Dpvat

Geral

Grupo Malwee é reconhecido como uma das empresas mais sustentáveis do Brasil

O Grupo Malwee, uma das maiores empresas de moda do país, foi reconhecido pela segunda vez, como uma das empresas mais sustentáveis do Brasil pelo Guia Exame de Sustentabilidade 2019.
Grupo Malwee é reconhecido como uma das empresas mais sustentáveis do Brasil
Educação

MEC levará internet a 24,5 mil escolas públicas

De acordo com a pasta, isso significa que 56% das escolas públicas passarão a estar conectadas no país. A medida deverá beneficiar 11,6 milhões de estudantes
MEC levará internet a 24,5 mil escolas públicas
Ver mais de Brasil