Covid - 19
Energia

Consumo de energia aumentou em julho

22 Jul 2016 - 13h30
O consumo de energia no País aumentou 2,1% entre os dias 1º e 19 de julho, na comparação com o mesmo período de 2015, e somou 57.686 MW médios, de acordo com dados preliminares de medição, informou a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) em seu boletim InfoMercado Semanal.

Enquanto o consumo no mercado cativo (Ambiente de Contratação Regulada), no qual os consumidores são atendidos pelas distribuidoras, recuou 1%, no mercado livre, no qual consumidores compram energia diretamente dos fornecedores, foi registrado um aumento de 11,6%. A CCEE destacou que a expansão no Ambiente de Contratação Livre (ACL) está relacionada à migração de novas cargas. Desconsiderando estas novas unidades consumidoras, houve um crescimento de 3,9%, o que demonstra uma pequena reação da atividade econômica, disse a CCEE

Entre os ramos de atividade, considerando autoprodutores, consumidores livres e especiais, os segmentos que registraram maior evolução foram comércio (44,5%); alimentícios (30,3%); e bebidas (27,5%). Conforme a câmara de comercialização, tais taxas de crescimento estão vinculadas à migração dos consumidores para o mercado livre. Na outra ponta, o setor de extração de minerais metálicos apresentou queda no consumo de 12% e foi o único ramo de atividade a apresentar sinal negativo de demanda.

Geração

Em relação à geração de energia, houve a entrega de 60.034 MW médios ao Sistema Interligado Nacional (SIN) até a última terça-feira, 19, o que também corresponde a um crescimento de 2,1%.

Dentre as diferente fontes da matriz brasileira, o destaque foi para a produção das usinas eólicas, que cresceu 57% frente ao mesmo período de 2015, para 4.127 MW médios. Já a geração hidráulica, incluindo as Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), alcançou 44.075 MW médios, montante 10,4% superior ao registrado no ano passado. A representatividade da fonte foi de 73,4% sobre toda energia gerada no País, índice 5,5 pontos porcentuais superior ao registrado em 2015. Por outro lado, houve retração de 27,2% na produção das usinas térmicas, impactada pelo desempenho das usinas a óleo (-83,3%), bicombustível (-45,2%) e a gás (-39,5%).

A CCEE também apresentou estimativa de que as usinas hidrelétricas integrantes do Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) gerem, até a quarta semana de julho, o equivalente a 92,8% de suas garantias físicas, ou 45.597 MW médios em energia elétrica. Para fins de repactuação do risco hidrológico, este porcentual foi de 89%. As informações são do jornal Estado de Minas.

Matérias Relacionadas

Economia

Ministério mantém projeção de queda do PIB em 4,7% neste ano

Para 2021, projeção é de crescimento de 3,2% do PIB
Ministério mantém projeção de queda do PIB em 4,7% neste ano
Saúde

Uso de máscaras pode controlar covid-19 em até 8 semanas, diz CDC

Alerta é do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA
Uso de máscaras pode controlar covid-19 em até 8 semanas, diz CDC
Política

Para evitar contágio, TSE excluirá biometria nas eleições municipais

Decisão foi tomada após reunião de técnicos do tribunal com médicos
Para evitar contágio, TSE excluirá biometria nas eleições municipais
Futebol

Fla-Flu encerra Carioca marcado por polêmicas

Dupla se estranhou por reinício do Estadual e direitos de transmissão
Fla-Flu encerra Carioca marcado por polêmicas
Ver mais de Brasil