Caraguá
Política

Confiança no presidente, governo federal e Congresso é a menor em 9 anos

28 Jul 2017 - 17h00
Isso é o que mostra o Índice de Confiança Social (ICS), indicador calculado pelo IBOPE Inteligência a partir da confiança declarada pela população em 20 instituições e em quatro grupos sociais.

A confiança na instituição presidente foi a que apresentou a variação mais expressiva: de 30 pontos em 2016 para 14 neste ano. A segunda queda mais acentuada foi na instituição governo federal: de 36 para 26. Com esses declínios, a confiança dos brasileiros nessas duas instituições fica ainda mais distante dos maiores patamares alcançados, 69 e 59 pontos, respectivamente, observados no ano de 2010.

Assim, o Índice de Confiança Social em 2017 fica em 52 pontos, mesmo patamar do ano passado (51). A média permanece estável, apesar da queda das instituições políticas, que foram compensadas pelo crescimento na confiança das Igrejas, polícia, bancos, meios de comunicação e escolas públicas.

 



Mais confiáveis
O Corpo de Bombeiros, que ocupa a primeira posição desde 2009, permanece no topo do ranking e registra evolução na confiança da população, passando de 83 em 2016 para 86 pontos neste ano. O mesmo movimento ocorre com as Igrejas que mantêm a segunda colocação e sobem de 67 para 72 pontos, recuperando assim o patamar de 2011.

Na terceira posição, aparece a Polícia Federal, presente no ICS desde o ano passado. Nesse período, houve evolução: de 67 em 2016 para os atuais 72. Na sequência, estão Forças Armadas (68 pontos), Escolas Públicas (63) e Meios de Comunicação (61).

O Ministério Público, instituição que integra o índice desde o ano passado, assim como a Polícia Federal, aparece na 11ª colocação, com os mesmos 54 pontos de 2016.



Dessa maneira, em 2017, o ICS das Instituições se mantém praticamente estável, variando de 48 para 49 pontos entre 2016 e 2017.

Sociedade
Outra medida do ICS é a confiança da população nas pessoas e na sociedade em geral. Neste ano, a confiança nas pessoas da família permanece praticamente a mesma do ano passado, passando de 86 para 85 pontos. Amigos, vizinhos e brasileiros, de um modo geral, seguem a mesma linha e registram pequenas variações em relação ao ano anterior.



 

Sobre a pesquisa
Realizado desde 2009, sempre no mês de julho, o Índice de Confiança Social (ICS) é medido em uma escala que vai de 0 a 100, sendo 100 o índice máximo de confiança. A pesquisa foi realizada entre os dias 13 e 19 de julho, com 2.002 pessoas a partir de 16 anos, em 142 municípios do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.







São Paulo, julho de 2017 –Os brasileiros têm pouquíssima confiança no presidente da República, nos partidos políticos, no Congresso Nacional e no governo federal. Isso é o que mostra o Índice de Confiança Social (ICS), indicador calculado pelo IBOPE Inteligência a partir da confiança declarada pela população em 20 instituições e em quatro grupos sociais.A confiança na instituição presidente foi a que apresentou a variação mais expressiva: de 30 pontos em 2016 para 14 neste ano. A segunda queda mais acentuada foi na instituição governo federal: de 36 para 26. Com esses declínios, a confiança dos brasileiros nessas duas instituições fica ainda mais distante dos maiores patamares alcançados, 69 e 59 pontos, respectivamente, observados no ano de 2010.Assim, o Índice de Confiança Social em 2017 fica em 52 pontos, mesmo patamar do ano passado (51). A média permanece estável, apesar da queda das instituições políticas, que foram compensadas pelo crescimento na confiança das Igrejas, polícia, bancos, meios de comunicação e escolas públicas.

Mais confiáveis
O Corpo de Bombeiros, que ocupa a primeira posição desde 2009, permanece no topo do ranking e registra evolução na confiança da população, passando de 83 em 2016 para 86 pontos neste ano. O mesmo movimento ocorre com as Igrejas que mantêm a segunda colocação e sobem de 67 para 72 pontos, recuperando assim o patamar de 2011.

Na terceira posição, aparece a Polícia Federal, presente no ICS desde o ano passado. Nesse período, houve evolução: de 67 em 2016 para os atuais 72. Na sequência, estão Forças Armadas (68 pontos), Escolas Públicas (63) e Meios de Comunicação (61).

O Ministério Público, instituição que integra o índice desde o ano passado, assim como a Polícia Federal, aparece na 11ª colocação, com os mesmos 54 pontos de 2016.



Dessa maneira, em 2017, o ICS das Instituições se mantém praticamente estável, variando de 48 para 49 pontos entre 2016 e 2017.

Sociedade
Outra medida do ICS é a confiança da população nas pessoas e na sociedade em geral. Neste ano, a confiança nas pessoas da família permanece praticamente a mesma do ano passado, passando de 86 para 85 pontos. Amigos, vizinhos e brasileiros, de um modo geral, seguem a mesma linha e registram pequenas variações em relação ao ano anterior.



Sobre a pesquisa
Realizado desde 2009, sempre no mês de julho, o Índice de Confiança Social (ICS) é medido em uma escala que vai de 0 a 100, sendo 100 o índice máximo de confiança. A pesquisa foi realizada entre os dias 13 e 19 de julho, com 2.002 pessoas a partir de 16 anos, em 142 municípios do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.


Sobre o IBOPE Inteligência
Empresa dedicada ao conhecimento do comportamento das pessoas e de todas as suas relações: familiar, social, política, de consumo e de utilização de serviços. Especialista em soluções de pesquisa de opinião e mercado, off e online, quantitativas e qualitativas, geonegócios, inovação, data mining e ferramentas de análise e integração de dados. www.ibopeinteligencia.com

Siga-nos nas redes sociais
Twitter: @IBOPE_In
Facebok:
http://www.facebook.com/IBOPE.In
LinkedIn: http://www.linkedin.com/company/ibope-inteligencia
Instagram: @IBOPE_In

Matérias Relacionadas

Geral

Evento online quer potencializar recursos de incentivos fiscais a projetos sociais em SC

O tema será abordado pelo assessor de Responsabilidade Social da FIESC, Sandro Volpato Faria, e pela líder do programa Fundo Social, Andressa Mongruel Martins Vicenzi
Saúde

Conselhos de secretários de Saúde defendem vacinação de adolescentes

Sociedade Brasileira de Imunizações também defende vacinação
Conselhos de secretários de Saúde defendem vacinação de adolescentes
Economia

Caixa reduz juros do crédito habitacional na modalidade poupança

Banco reduziu parte fixa da parcela de 3,35% para 2,95% ao ano
Caixa reduz juros do crédito habitacional na modalidade poupança
Saúde

Anvisa não recomenda mudar orientação sobre vacinação de adolescentes

Ministério da Saúde suspendeu orientação para a vacinação
Anvisa não recomenda mudar orientação sobre vacinação de adolescentes
Ver mais de Brasil