Unimed - Capa
Futebol

Brasil-Argentina, um superclássico que atravessa fronteiras

08 Nov 2016 - 14h29
O clássico é um "desses jogos que todos os jogadores sempre querem jogar, são os mais bonitos", afirmou à AFP o zagueiro argentino do Villarreal Mateo Musacchio, que faz parte da dezena de jogadores argentinos que atuam em equipes espanholas e que foram convocados pelo técnico Edgardo Bauza.

"O adversário vai ser muito difícil, mas acredito que temos uma grande equipe para jogar bem" tanto contra o Brasil quanto na partida seguinte das eliminatórias diante da Colômbia, dois confrontos importantes para as aspirações argentinas para a Copa do Mundo-2018.

A Argentina, atualmente fora da zona de classificação ao Mundial russo, não pode se dar ao luxo de tropeçar nessas duas partidas, mas o jovem meia brasileiro Andreas, vice-campeão do mundo sub-20 em 2015 com a seleção e atualmente no Granada, da Espanha, não acredita que a Argentina sentirá a pressão.

"A Argentina pode estar mal", mas "este é o maior jogo da América do Sul, é diferente e nunca se sabe o que pode acontecer", explicou o jogador à AFP.

- "Acostumados às críticas" -"É uma partida muito difícil de dizer quem vai ganhar", completou Andreas, cedido por empréstimo nesta temporada ao Granada pelo Manchester United.

"É lógico que a situação da seleção nos preocupa", afirmou nesta semana o zagueiro do Barcelona Javier Mascherano, que, contudo, prefere enxergar o lado positivo: "O bom é que por enquanto a classificação à Copa do Mundo da Rússia só depende de nós".

"Estamos vivendo uma situação na Argentina com a qual não estamos acostumados, apesar de estarmos habituados às críticas", garantiu o zagueiro do Espanyol Martín Demichelis, após a dura derrota para o Paraguai em casa, na última partida das eliminatórias.

Para Musacchio, contudo, isso já ficou para trás: "olhamos para frente, cada jogo é diferente".

"Agora temos dois jogos que encaramos pensando apenas na partida, não no que já aconteceu", continuou o jogador do Villarreal, que reconhece que jogos como o clássico contra o Brasil são tema de conversas e brincadeiras com os companheiros de clube e os adversários.

"Na minha equipe eu falo do jogo com um brasileiro, o (Alexandre) Pato", mas "sempre de maneira positiva, brincando", explicou Musacchio.

O jovem Andreas, de 20 anos, também reconheceu que a partida é tema de conversa no vestiário do Granada.

"Com (o argentino Ezequiel) Ponce eu brinco que o Brasil vai ganhar de 5 a 0, que a Argentina está mal, sempre rindo", relatou à AFP o jovem brasileiro, fã de videogame, no qual confessou reproduzir o clássico: "O Brasil sempre ganha", garante.

- No campo "não há amigos" -Tanto o argentino como o brasileiro reconhecem que os jogadores, porém, encaram a partida de maneira mais amena do que os torcedores.

"É realmente mais tranquilo do que para os torcedores", explicou Andreas, que, contudo, admite que "os jogadores sentem a pressão" assim que entram em campo.

"Em um clássico como esse você deixa tudo em campo e lá não há amigos, mas aqui no clube, com os brasileiros, com os colombianos, é muito animado", explicou por sua vez Musacchio.

O argentino estará presente no Mineirão para o clássico de quinta-feira, enquanto Andreas, que só enfrentou a Argentina nas categorias de base da seleção, terá que acompanhar a partida pela televisão.

"Vou assistir ao jogo com minha família e amigos para torcer muito pelo Brasil", garantiu o jovem meia, que acredita que um dia poderá viver o clássico de dentro de campo.

"É um sonho, estrou trabalhando para isso, acho que tenho potencial e se trabalhar muito posse chegar lá", concluiu.

 

Matérias Relacionadas

Economia

Agências do INSS não funcionam hoje

Ponto facultativo do Dia do Servidor Público foi transferido
Agências do INSS não funcionam hoje
Saúde

Covid-19: governo brasileiro se reúne com cinco laboratórios

Ministério da Saúde coletou detalhes técnicos dos estudos em andamento
Covid-19: governo brasileiro se reúne com cinco laboratórios
Economia

Gerente da Sicredi explica sobre o Pix

Todas as pessoas e empresas com conta corrente, poupança ou conta de pagamento pré-paga em uma das instituições aprovadas pelo Banco Central já podem fazer transferências pelo novo sistema
Gerente da Sicredi explica sobre o Pix
Esportes

Brasileiro: mesmo com 0 a 0, Vasco deixa a zona do rebaixamento

Time carioca enfrentou Fortaleza em partida atrasada
Brasileiro: mesmo com 0 a 0, Vasco deixa a zona do rebaixamento
Ver mais de Brasil