Delivery Much
VARIEDADES

Setor editorial perdeu 25% do faturamento em 13 anos

28 Mai 2019 - 18h16Por Guilhere Sobota

O faturamento do mercado editorial brasileiro, contando vendas para o mercado e para o governo, encolheu 25% entre 2006 e 2018 - período histórico contabilizado pela pesquisa Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro, elaborada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicos (Fipe) a pedido da Câmara Brasileira do Livro (CBL) e do Sindicato Nacional de Editores de Livros (Snel).

Os números foram apresentados nesta terça-feira, 28, na sede da CBL em São Paulo, e comparam os dados mais atualizados da pesquisa, divulgados em abril, agora em comparação com a série histórica. Clique aqui para acessar a nova apresentação.

O estudo, realizado desde 2006, leva em conta dados cedidos por editoras e é uma estimativa da performance do setor editorial em cada ano, permitindo a série histórica. Ele é mais um diagnóstico da crise acentuada do mercado editorial no Brasil e serve para as instituições, sindicatos e agentes do setor pensarem em soluções com base em dados estabelecidos.

Embora a pesquisa mostre um aumento no número de exemplares vendidos ao mercado no período (um crescimento consistente até 2013, e depois uma queda acentuada até 2018), o preço médio do livro caiu 34%, o que explica a redução no faturamento. É bom ressaltar que o preço médio não reflete necessariamente o valor pago pelo consumidor, mas representa o que as editoras ganham por volume vendido (o dado é obtido na pesquisa dividindo o faturamento pelo número de exemplares vendidos).

"De 2006 a 2010, há uma redução drástica de preços, uma aposta das próprias editoras. Aí, o País começa a não entregar o sonho e a inflação sobe. Há uma reversão e editores começam a sofrer as consequências", explicou o presidente do Snel, Marcos da Veiga Pereira.

Ele notou também que a redução dos preços médios dos livros foi estimulada por desonerações do PIS/Cofins por parte do governo federal nesse período. "Uma aposta que o mercado fez para trazer uma quantidade maior de leitores mostra sinais de decadência, porque a conta não fechava já há alguns anos", comentou.

No período entre 2014 e 2018, da crise econômica geral e da crise específica do setor, as editoras mais afetadas foram as de livros Científicos, Técnicos e Profissionais (CTP), com queda de 45% no faturamento para o mercado.

"Aplicar na bolsa no dia seguinte é fácil", brincou Veiga Pereira, "mas a importância do processo de análise é constantemente tentar aprender. Olhar, entender os significados. Sumiu R$ 1,7 bilhão no faturamento a mercado. A quantidade de lançamentos que o setor produzia em 2014 é maior do que é hoje, dá para perceber uma desmobilização das editoras nesse período. É um desinvestimento".

Para o sócio da Faro Editorial, Diego Drummond, um dos erros da indústria é sua dificuldade em vender o próprio produto. "As editoras acreditaram que baixar ou manter o preço do livro atrairia mais leitores, mas isso não ocorreu. Uma dificuldade nossa é chegar às pessoas. Os cinemas, com ingressos a R$ 80, estão cheios, têm filas", comparou.

Jonas Gomes, das Edições Sesc São Paulo, também acredita que, sem formação contínua de leitores, o mercado pode ter muita dificuldade de se reerguer. "Acho que somos uma indústria pouco criativa", disse. "Há uma resistência do mercado a inovações e novas formas de produção e distribuição."

Ele também chamou a atenção para o fato de que as áreas do Estado mais próximas à indústria (educação e cultura) estão sob intenso debate no novo governo federal, o que pode ser preocupante para o setor. Em 2018, a participação de vendas ao governo era de 28% no faturamento do setor - um número dentro da média desse dado, que varia de acordo com a sazonalidade dos programas estatais.

O presidente da Câmara Brasileira do Livro, Vitor Tavares, mencionou na apresentação a intenção da CBL e do Snel organizarem um fórum extenso para repensar o mercado.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Saúde

Corupá confirma sexta morte por Coronavírus

A prefeitura lembra que as medidas de prevenção ao Coronavírus devem ser reforçadas por todos os moradores.
Variedades

Prestação de contas amplia chances de captação de recursos para projetos sociais

Lives do Fundo Social podem ser conferidas no canal do SESI/SC no YouTube
Prestação de contas amplia chances de captação de recursos para projetos sociais
Variedades

Fundo Social aborda nesta terça (27) Lei de Incentivo ao Esporte

Mundo

Missão japonesa fará imagens de Marte e suas luas em alta definição

Além de fazer imagens, a missão pretende coletar areia obtida em solo
Missão japonesa fará imagens de Marte e suas luas em alta definição
Ver mais de Variedades