Delivery Much
VARIEDADES

Quadrinhos profundos

27 Abr 2019 - 08h00Por Guilherme Sobota

É um recurso comum e muitas vezes impreciso comparar quadrinhos "adultos" com a literatura ambiciosamente estética. No caso de Intrusos, a coleção de contos em quadrinhos do americano Adrian Tomine, as fronteiras (se existem) são ainda mais esfumaçadas porque o autor empreende uma ligação única entre palavras e imagens, para fazer uma exploração - carregada de ironia e tons de humor - sobre luto, ambição criativa, identidade e dinâmicas familiares. O que é mais importante aqui, palavras ou desenhos? Isso importa? O que torna essa coleção de histórias, em específico, tão definitivamente potente?

Elucubrações como essas, porém, interessam mais à crítica do que ao autor. Ilustrador de capas da New Yorker, Tomine, de 44 anos, começou na Califórnia e foi a série de quadrinhos Optic Nerve, publicada a partir de 1991, que chamou a atenção da editora canadense Drawn and Quarterly. A casa passou a editar as histórias em livros e com elas Tomine levou seu primeiro, de 11, Eisner Award, o Oscar das HQs. Intrusos também levou um, em 2016. O livro é publicado no Brasil pela Editora Nemo com tradução de Érico Assis.

"Eu costumava ter opiniões mais fortes sobre como os quadrinhos eram percebidos e o que era escrito sobre eles. Mas agora eu meio que sinto que esse é um mundo completamente separado do que faço. Se um jornalista quer expor meu trabalho para uma audiência maior comparando-o a outras coisas que não quadrinhos, não posso me ofender por isso", diz Tomine em uma entrevista por e-mail.

No campo dos quadrinhos, entre suas influências, ele próprio cita Daniel Clowes (David Boring, um dos clássicos de Clowes, também foi lançado pela Nemo) e Chris Ware, autor de Jimmy Corrigan: O Menino Mais Esperto do Mundo, livro frequentemente citado entre melhores quadrinhos de todos os tempos. O próprio Ware ficou encantado com Intrusos. "Em seis histórias que variam em duração, abordagem visual e tom narrativo, Tomine sutilmente movimenta conceitos e abordagens específicas para suas tramas, equilibrando as qualidades básicas do desenho de simplificação facial e informação de contexto e cor para se encaixar no timbre particular de cada peça", escreveu no The Guardian. Na literatura, seu trabalho lembra as reflexões claustrofóbicas de Raymond Carver sobre o ambiente familiar. Mas sua obra é particular em vários aspectos.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Saúde

Corupá confirma sexta morte por Coronavírus

A prefeitura lembra que as medidas de prevenção ao Coronavírus devem ser reforçadas por todos os moradores.
Variedades

Prestação de contas amplia chances de captação de recursos para projetos sociais

Lives do Fundo Social podem ser conferidas no canal do SESI/SC no YouTube
Prestação de contas amplia chances de captação de recursos para projetos sociais
Variedades

Fundo Social aborda nesta terça (27) Lei de Incentivo ao Esporte

Mundo

Missão japonesa fará imagens de Marte e suas luas em alta definição

Além de fazer imagens, a missão pretende coletar areia obtida em solo
Missão japonesa fará imagens de Marte e suas luas em alta definição
Ver mais de Variedades