Joaçaba Pneus
VARIEDADES

Documentário sobre abusos de Michel Jackson gera polêmica e protestos

06 Mar 2019 - 13h45

Algumas estações de rádio no Canadá e na Holanda pararam de tocar músicas de Michael Jackson e fãs bombardearam a apresentadora Oprah Winfrey com mensagens de ódio após a exibição de um documentário sobre os supostos abusos sexuais cometido pelo cantor.

Leaving Neverland, no qual dois homens adultos afirmam que eram amigos de Jackson e foram abusados por ele entre os seus sete e dez anos, no começo da década de 1990, foi recebido com uma mistura de horror e desconfiança depois de ser exibido, em duas partes, pela emissora americana HBO, entre domingo, 3, e segunda-feira, 4.

Oprah, ela mesma uma vítima de abuso sexual, conduziu uma entrevista na sequência com os acusadores Wade Robson e James Safechuck, em um especial que foi transmitido na noite de segunda-feira, à frente de um público de vítimas de abusos.

"Toda a raiva, vocês vão receber", disse ela durante a entrevista. "Vocês vão receber. Eu vou receber. Todos vamos receber", afirmou. Robson disse que ele já havia recebido ameaças de morte.

A família de Jackson chamou o documentário e a cobertura da imprensa sobre as acusações de "linchamento público" e disse que o cantor era "100% inocente".

O cantor de Thriller, que morreu em junho de 2009, foi inocentado em um julgamento de 2005 de acusações de ter molestado outro garoto de 13 anos em seu rancho Neverland, na Califórnia (EUA). Em 1994, ele chegou a um acordo em um processo de abuso sexual por outro garoto de 13 anos.

Matérias Relacionadas

Economia

Em abril, indústria de SC gerou 4,6 mil novas vagas de emprego

Saúde

Guaramirim fará vacinação da covid nesta sexta-feira em idosos acima de 60 anos

Serão atendidos os idosos pré-cadastrados do número 3511 até o 3751
Guaramirim fará vacinação da covid nesta sexta-feira em idosos acima de 60 anos
Saúde

Em dois dias, Jaraguá registra nove mortes por covid-19 

Ao todo, já são 272 óbitos pela doença no município.
Em dois dias, Jaraguá registra nove mortes por covid-19 
Geral

32ª edição Schützenfest é adiada para 2022

De acordo com o presidente da CCO, Alcides Pavanello, a decisão se deve às incertezas quanto aos prazos de imunização contra a covid-19 de toda a população
32ª edição Schützenfest é adiada para 2022
Ver mais de Variedades