VARIEDADES

Dia da Mulher: programa 'Hebe' de 2004 revelou posição machista de entrevistados

08 Mar 2019 - 11h25Por André Carlos Zorzi

Há exatos 15 anos, em 8 de março de 2004, ia ao ar uma edição do programa Hebe em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. A data de exibição também coincidia com o aniversário de Hebe Camargo, que esteve no ar naquela segunda-feira.

Para a data, foi convidado um grupo de sete homens para falar sobre assuntos referentes ao universo feminino "em uma noite tão especial em homenagem às mulheres", conforme definiu Hebe.

Eram eles: Ratinho (apresentador do SBT), Boris Casoy (jornalista, à época na Record TV), Carlos Nascimento (jornalista, então recém-contratado pela Band), Juca de Oliveira (ator da Globo), Heitor Martinez (ator da Globo), Paulo Autran (ator) e o português Antonio Soares (empresário).

Ao longo de mais de uma hora, a conversa rendeu diversos comentários que, hoje, provavelmente causariam mais impacto em rede nacional por serem considerados machistas. "Não sei se vocês estão gostando desse olhar que eles (homens) colocam em nosso cotidiano. É bonitinho ver o que é que eles pensam da gente. Agora, vocês tão vendo que é 'tudo' machista, não tão? Machista pra caramba...", afirmou Hebe em determinado momento.

Em debate, algumas questões com respostas polêmicas, especialmente por parte de Ratinho e Juca de Oliveira, além de Fábio Júnior, uma das atrações musicais da noite. Veja abaixo:

O que você acharia se sua mulher olhasse outro homem?

"Depende do jeito de olhar. Se olhar 'ah, quero dar pra esse', dou-lhe uma porrada na hora, pode ter certeza", respondeu Ratinho.

Mulher pode pagar a conta em um restaurante?

"Tem problema. Muito problema. Me sinto muito mal com a mulher pagando a conta pra mim. Perto de mim, só se ela pagar escondido, mas na minha frente não vai pagar", afirmou Juca de Oliveira.

Mulheres podem dar 'cantadas' em homens?

"A mulher, quando avança no homem, já perde o homem. Ele gosta de caçar. Mulher fácil ninguém gosta", opinou Ratinho.

Outro tema sério, a violência contra a mulher, acabou sendo levado como piada por Ratinho e Fábio Júnior, que fez piadas que podem ser consideradas de gosto duvidoso envolvendo "dar raquetadas" em uma mulher.

"Não são todas que gostam de apanhar, não é, Ratinho? Só as normais", disse o cantor em outro momento.

"Você teria coragem de bater numa mulher?", chegou a perguntar Hebe ao cantor, que respondeu, novamente de forma cômica: "Se ela ficar insistindo muito, pedindo muito, aí a gente vai fazer o quê?", zombou.

A reportagem entrou em contato com Juca de Oliveira, que comentou suas frases ditas na ocasião e afirmou que, hoje em dia, mudou diversos de seus pensamentos. "Hoje a solução mais justa, já que ambos são considerados iguais, é que (homem e mulher) dividam e cada um pague a sua parte", opinou sobre a questão citada acima, por exemplo.

Fábio Júnior e Ratinho também foram procurados pela reportagem por meio de suas assessorias, mas não enviaram resposta até a publicação desta matéria. O espaço está aberto para as manifestações.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Saúde

Cirurgias eletivas são suspensas por 20 dias em SC

Não estão suspensas as urgências e as emergências e nem os procedimentos tempo-sensíveis - aqueles em que a vida do paciente pode estar em risco
Cirurgias eletivas são suspensas por 20 dias em SC
Geral

Calendário chinês: começa o Ano do Boi

Ano Novo Lunar teve início na sexta-feira
Geral

Após serem resgatados, cães aguardam um novo lar em Guaramirim

Os animais já estão vacinados, castrados e microchipados
Após serem resgatados, cães aguardam um novo lar em Guaramirim
Geral

Scar abre inscrições para cursos gratuitos de música e dança 

Neste ano, por causa da pandemia do novo coronavírus, todos os encontros dos projetos seguem cuidados rigorosos
Scar abre inscrições para cursos gratuitos de música e dança 
Ver mais de Variedades