dengue
Saúde

Santa Catarina tem 36 casos suspeitos de coronavírus

O Brasil tem dois casos confirmados de coronavírus. Eles não têm relação entre si, embora sejam residentes do município de São Paulo.

03 Mar 2020 - 08h00Por Janici Demetrio

Santa Catarina tem 36 casos suspeitos de coronavírus. Eles não têm relação entre si, embora sejam residentes do município de São Paulo. Os casos são importados e, por isso, não há mudança da situação nacional, pois não existem evidências de circulação sustentada do vírus em território brasileiro. Até esta segunda-feira (2), 433 casos suspeitos são monitorados pelo Ministério da Saúde. Os dados foram repassados pelas Secretarias Estaduais de Saúde. 

Atualmente, 15 países, além da China, são monitorados pelo Ministério da Saúde por apresentarem transmissão ativa do coronavírus. Com isso, os critérios para a definição de caso suspeito enquadram agora as pessoas que apresentarem febre e mais um sintoma gripal, como tosse ou falta de ar e tiveram passagem pela Alemanha, Austrália, Emirados Árabes, Filipinas, França, Irã, Itália, Malásia, Japão, Singapura, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Tailândia, Vietnã e Camboja, além da China, nos últimos 14 dias. 

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, lembrou, durante a coletiva de imprensa desta segunda-feira (2/3), que, em casos de viagem para locais com casos de coronavírus, é preciso ficar atento às condições de saúde. “É preciso reforçar os hábitos de higiene e lavar as mãos com água e sabão. Em caso de sintomas, como febre, tosse ou dificuldade de respirar, o Ministério da Saúde orienta a procurar uma unidade de saúde e informar histórico de viagem”, destacou o ministro.

Questionado sobre instituições, como empresas e escolas, que estão orientando alunos e profissionais a não comparecerem às unidades por 14 dias, em caso de viagem a países com circulação do vírus, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, garantiu que não existe nenhuma recomendação nesse sentido.

“O caso das escolas é uma decisão um pouco sectária e precipitada, porque não se baseia em nenhum critério técnico ou científico. Do ponto de vista de saúde pública, se uma pessoa chega de um local e não tem febre, não tem coriza, não tem nenhum sintoma, ela não tem porque ser retida. Nessas épocas de muito estresse, as pessoas tomam esse tipo de atitude precipitada, sem nenhum suporte técnico”, observou o ministro.

Segundo Luiz Henrique Mandetta, há meios oficiais de se buscar orientações fidedignas. “O site do Ministério da Saúde (www.saude.gov.br/coronavirus) está abastecido com informações. Nós temos o telefone 136 à disposição da população. Temos em todos os estados pessoas que podem dar informações qualificadas na rede de saúde”, orientou o ministro.

Matérias Relacionadas

Saúde

Dia D da vacinação contra a dengue acontece neste sábado (2) em Guaramirim

Ação será realizada das 8h às 16h, no Centro
Dia D da vacinação contra a dengue acontece neste sábado (2) em Guaramirim
Saúde

Guaramirim inicia pulverização de inseticida

Ação é uma das medidas adotadas pela Prefeitura para o combate à dengue
Guaramirim inicia pulverização de inseticida
Saúde

Dia D de vacinação contra a dengue ocorre amanhã em Jaraguá do Sul

Três Unidades de Saúde vão estar abertas para receber o público-alvo da campanha: crianças de 10 e 11 anos
Dia D de vacinação contra a dengue ocorre amanhã em Jaraguá do Sul
Saúde

Hospital Jaraguá comemora 58 anos com programação dedicada aos colaboradores

Para marcar a data, uma programação interna envolveu todos os colaboradores.
Hospital Jaraguá comemora 58 anos com programação dedicada aos colaboradores
Ver mais de Saúde