dengue
Saúde

Nota técnica da Secretaria de Saúde orienta odontólogos da cidade

A NT informa a suspensão dos atendimentos eletivos da rede municipal de saúde, das gerências de atenção básica, especializadas e de programas da área odontológica (somente casos de urgência serão atendidos)

19 Mar 2020 - 14h10Por Da Redação

A Secretaria de Saúde de Jaraguá do Sul emitiu Nota Técnica ontem (18) com orientações aos profissionais de Odontologia da cidade relativas ao seu processo de trabalho, em decorrência do Novo Coronavírus (Covid-19). A NT informa a suspensão dos atendimentos eletivos da rede municipal de saúde, das gerências de atenção básica, especializadas e de programas da área odontológica (somente casos de urgência serão atendidos) e reforça acerca dos cuidados que esses profissionais devem observar antes, durante e depois das consultas.

Conforme a Nota Técnica nº 001/2020/STSB/Semsa, nos casos de procedimentos de urgência, os profissionais devem avaliar e decidir, juntos, quais serão as medidas de precaução em cada atendimento para evitar a disseminação potencial de doenças entre pacientes, visitantes e equipe. Para isso, elenca as orientações que seguem abaixo.

Higiene de mãos
Realizar higiene de mãos frequentemente, de preferência com a lavagem rigorosa ou com fricção com álcool de gel a 70%, caso a sujeira não esteja visível, e depois da retirada das luvas. Secar as mãos com papel toalha.

Uso de equipamentos de proteção individual
Proteger membranas, mucosas de olhos, nariz e boca durante os procedimentos. Utilizar luvas, óculos e proteção facial com máscaras. Utilizar máscaras simples (cirúrgicas) e óculos de proteção durante procedimentos como anamnese, exame clínico e prescrição de medicamentos. As máscaras simples devem continuar sendo usadas conforme os preceitos de Biossegurança, ou seja, trocada a cada duas horas, devido à perda de eficácia. Em procedimentos onde serão gerados aerossóis, por oferecer melhor proteção, a máscara deverá ser a n95 ou PFF2. Os protetores de face ou viseiras ou viseiras poderão ser usados para conferir proteção mais ampla, porém a máscara sempre deverá ser utilizada. Realizar desinfecção dos protetores de face após cada paciente. Profissional e equipe deverão usar, além de máscaras, protetores oculares e gorros descartáveis e jalecos. Óculos de grau não são considerados equipamentos de proteção individual, pois não possuem as proteções laterais. Retirar os equipamentos de proteção individual antes de sair do consultório.

Cuidados devem ser tomados quando da retirada de equipamentos de proteção individual para que não haja contaminação e os auxiliares de saúde bucal também deve ser treinados.
As máscaras devem ser retiradas por suas tiras ou elásticos; não devem ser tocadas durante o procedimento e não devem ser colocadas no pescoço e bolsos, pois são itens contaminados. Todo o resíduo gerado no tratamento de pacientes, bem como os equipamentos de proteção individual, deverão ser descartados em lixo infeccioso, como regularmente é feito.

Etiqueta da tosse/higiene respiratória
Cobrir a boca ou nariz com o cotovelo (antebraço) quando tossir ou espirrar; quando do uso de lenços, estes deverão ser descartáveis e, após o uso, deverão ser descartados em lixo apropriado; as mão deverão ser lavadas.

Segurança no manuseio de perfurocortantes
Infecções podem ocorrer após acidentes com instrumentos perfurocortantes ou contato direto entre membranas mucosas e mãos contaminadas.

Esterilização de instrumentos e dispositivos
Todo o material deverá ser esterilizado em autoclave, como de costume. O monitoramento biológico semanal está mantido.

Limpeza e desinfecção de superfícies
Realizar desinfecção rigorosa do consultório (maçanetas, cadeiras, banheiro) com hipoclorito de sódio a 0,1% e álcool a 70%. Todas as superfícies tocadas deverão ser desinfetadas. Usar barreiras de proteção que devem trocadas a cada paciente. Há relatos de sobrevivência do novo coronavírus por 2 a 9 dias em superfícies.

Dar preferência a instrumentos manuais para remoção de cáries e uso de extratores de cálculo ao invés de aparelhos ultrassônicos para que se minimize ageração de aerossóis
Antes de cada atendimento, poderá ser fornecido bochechos com Peróxido de Hidrogênio a 1% (Covid-19 é vulnerável à oxidação). A clorexedina parece não ser eficaz contra o novo coronavírus. Importante que nas salas de espera existam disponíveis álcool a 70% em gel, orientações para higiene de mãos, etiqueta respiratória e da tosse e orientações quanto ao uso de equipamento de proteção individual, além de atentar para que seja evitado o toque em olhos, nariz e boca.


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp! 

Matérias Relacionadas

Saúde

Vacinação contra a dengue inicia na próxima segunda-feira em Guaramirim

Imunização será realizada no Ambulatório de Especialidades (AME)
Vacinação contra a dengue inicia na próxima segunda-feira em Guaramirim
Saúde

Chegam em Jaraguá do Sul as primeiras doses da vacina contra a dengue

Vinte e nove mil doses da vacina chegaram nesta quinta-feira, 22, na 17ª Regional de Saúde
Chegam em Jaraguá do Sul as primeiras doses da vacina contra a dengue
Saúde

Com 43 novos registros, Jaraguá contabiliza 97 casos de dengue neste ano

O número de focos também aumentou, já são 397
Com 43 novos registros, Jaraguá contabiliza 97 casos de dengue neste ano
Saúde

Santa Catarina decreta situação de emergência por causa da dengue

Santa Catarina tem 17.696 casos prováveis de dengue em 177 municípios, o que representa um aumento de 650% quando comparado ao ano de 2023.
Santa Catarina decreta situação de emergência por causa da dengue
Ver mais de Saúde