terça, 25 de junho de 2019 - 15h40
(47) 3371-1010Central (47) 3372-1010Ao Vivo
Saúde

Nascimento de prematuros está diretamente relacionado a pré-eclâmpsia

Quase 76 mil mães e 500 mil bebês no mundo perdem suas vidas por causa da pré-eclâmpsia e distúrbios hipertensivos na gestação todos os anos

10 Jun 2019 - 14h05Por Camila Silveira Rosa
Nascimento de prematuros está diretamente relacionado a pré-eclâmpsia - Crédito: Ilustrativa Crédito: Ilustrativa

Quase 76 mil mães e 500 mil bebês no mundo perdem suas vidas por causa da pré-eclâmpsia e distúrbios hipertensivos na gestação todos os anos. Ela é a causa de 25% das mortes maternas na América Latina e aparece entre 5 e 7% das grávidas brasileiras.

O obstetra e ginecologista doutor Guilherme Sapia, CRM 20169 RQE 11599, explica que a eclampsia é causada pela elevação da pressão arterial.

Guilherme explica que o acompanhamento pré-natal é uma das formas de diagnóstico da doença que pode levar à morte, pois nem sempre a eclampsia ou pré-eclampsia apresenta sintomas.

A diarista Josiele Jandich, de 29 anos, descobriu que estava grávida em fevereiro de 2015 quando tinha 25 anos e, segundo ela, a gravidez correu tudo bem até junho do mesmo ano.

O médico salienta que entre os riscos da pré-eclâmpsia estão problemas renais, convulsão, problemas com coagulação do sangue, problemas no fígado, restrição de crescimento no bebê e risco de morte materno.

Guilherme acredita que a indecência de pré-eclâmpsia em Jaraguá do Sul, deve ser bem semelhante à média nacional que é de 1,5% e a eclampsia 0,5%. Ele ainda ressalva que os extremos de idades podem aumentar as chances de desenvolver a pré-eclâmpsia.

O médico ainda salienta que a pré-eclâmpsia está relacionada ao nascimento de prematuros fazendo com que o médico tenha que antecipar o parto para não acarretar a morte para a mãe e o bebê.  


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp!