Unimed
Saúde

Cuidados de prevenção à dengue devem ser mantidos mesmo com temperaturas mais baixas

Dois óbitos por dengue já foram confirmados nesse ano em Santa Catarina. Os casos foram registrados em Joinville

16 Mai 2021 - 09h03Por Janici Demetrio
 Cuidados de prevenção à dengue devem ser mantidos mesmo com temperaturas mais baixas - Crédito: Arquivo / Divulgação Crédito: Arquivo / Divulgação

Com a chegada do frio no estado, a população não deve se descuidar das medidas de prevenção da dengue, em função da aparente redução da população de mosquitos Aedes aegypti. Por conta disso, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE/SC) alerta que os cuidados devem ser mantidos durante todo o ano, como forma de evitar novos casos da doença.

“A população de mosquitos diminui, porém, os ovos do mosquito podem sobreviver até um ano e meio em recipientes secos. E para o ovo eclodir é preciso que ele entre em contato com a água. Se o local em que ele foi depositado não for protegido corretamente, ele ficará ali esperando o momento propício para dar origem a um novo mosquito”, alerta João Augusto Fuck, diretor da DIVE/SC.

Portanto, é necessário manter os cuidados e as medidas de prevenção durante todo o ano.

“São ações simples que devem ser colocadas em prática agora, no outono e, também depois, no inverno. É preciso que seja um hábito analisar e inspecionar o quintal, a casa e o ambiente de trabalho. Eliminar locais que possam acumular água, pelo menos, uma vez por semana”, explica Tharine Dal-Cim, bióloga da DIVE/SC.

Cenário em SC
Dois óbitos por dengue já foram confirmados nesse ano em Santa Catarina. Os casos foram registrados em Joinville. Os últimos registros de morte por dengue em Santa Catarina foram em 2016, nos municípios de Chapecó e Pinhalzinho, no Oeste.

Além disso, até o momento, o estado tem 112 municípios considerados infestados pelo Aedes aegypti. Já são 3.374 casos de dengue confirmados. A maioria deles (3.237 – 96%) é autóctone, ou seja, com transmissão dentro do estado.

Joinville está em epidemia de dengue e concentra 87,6% dos casos autóctones do estado, o que representa uma taxa de incidência é de 474,5 casos por 100 mil/hab. A Organização Mundial da Saúde define o nível de transmissão epidêmico quando a taxa de incidência é maior de 300 casos de dengue por 100 mil habitantes.

Prevenção
O Aedes aegypti é um mosquito urbano e além de dengue, transmite zika e chikungunya. As ações para eliminar focos e, consequentemente, prevenir surtos da doença, dependem do empenho de toda a população e devem fazer parte da rotina.

“Uma vez por semana é importante separar dez minutos para procurar e eliminar possíveis focos do mosquito. Inspecionar caixas d’água, galões, tonéis, vasos de plantas, calhas, garrafas, lixo, bandejas de ar-condicionado, entre outros”, finaliza Ivânia Folster, gerente de zoonoses da DIVE/SC.

 

Matérias Relacionadas

Saúde

Guaramirim segue com orientações visando o combate da dengue

Moradores devem auxiliar a eliminar os locais com água parada
Guaramirim segue com orientações visando o combate da dengue
Saúde

Presidente do Comitê fala sobre novo decreto contra a covid-19 em Jaraguá

Medidas entraram em vigor nesta quinta-feira (17) e seguem até 30 de junho
Presidente do Comitê fala sobre novo decreto contra a covid-19 em Jaraguá
Política

Jaraguá do Sul é o terceiro do Estado em Efetividade da Gestão Municipal

O índice é composto pela combinação de dados governamentais, dados de prestação de contas e informações levantadas a partir de respostas em sete questionários eletrônicos feitos pelo TCE
Jaraguá do Sul é o terceiro do Estado em Efetividade da Gestão Municipal
Saúde

Homem de 33 anos morre vítima de covid-19 em Jaraguá

Ao todo, já são 342 óbitos pela doença no município
Homem de 33 anos morre vítima de covid-19 em Jaraguá
Ver mais de Saúde