Unimed
Saúde

Confirmado primeiro caso de sarampo em Jaraguá neste ano

A informação é da Secretaria de Saúde, acrescentando que, foram notificados e coletados 12 casos suspeitos de sarampo no município

05 Nov 2019 - 16h00Por Janici Demetrio
Confirmado primeiro caso de sarampo em Jaraguá neste ano - Crédito: iStock Crédito: iStock

Jaraguá do Sul confirmou na tarde desta terça-feira (5) o primeiro caso de sarampo na cidade. A informação é da Secretaria de Saúde, acrescentando que, foram notificados e coletados 12 casos suspeitos de sarampo no município, sendo que sete foram descartados e um confirmado através de exame laboratorial realizado pelo Lacen/SC. Quatro pessoas aguardam resultado de exame. A Vigilância Epidemiológica Municipal, em conjunto com a Vigilância do Estado, está realizando as ações de investigação e bloqueio dos demais casos notificados relacionados ao evento de massa ocorrido no dia 18/10 no município de Joinville. 

O sarampo é uma doença respiratória, exantemática aguda e extremamente contagiosa, que pode evoluir com gravidade e causar com complicações como pneumonia e encefalite. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar. O contágio tem sido descrito por dispersão de aerossóis com partículas virais no ar, em ambientes fechados, como escolas, creches e clínicas. 

O sarampo é transmitido seis dias antes e quatro dias após o aparecimento do exantema (manchas vermelhas), sendo o período de maior risco dois dias antes e dois dias após o início do exantema. No Brasil, o sarampo é uma doença de notificação compulsória devendo estas serem notificadas às secretarias de saúde em até 24 horas. 

Neste ano, foram notificados em Santa Catarina 322 casos suspeitos com taxa de notificação 0,43 por 100.000 habitantes. Neste período, foram descartados 248 casos, confirmados 59 e 15 estão em investigação e/ou reteste, conforme protocolo recomendado pelo Ministério da Saúde. 

Entre os 59 casos confirmados: 3 foram em tripulantes de um navio que atracou no litoral catarinense no mês de fevereiro de 2019; e os outros 56 casos estão distribuídos geograficamente nos municípios de Florianópolis (23), Joinville (8), Palhoça (5), Concórdia (5), Barra velha (3), São Jose (2), Governador Celso Ramos (2), Guaramirim (1), Balneário Camboriú (1), Schroeder (1), Guabiruba (1), São João Batista (1), Imbituba (1), Mafra (1) e Monte Castelo (1). 

As vacinas sarampo atualmente disponíveis são altamente efetivas e capazes de induzir proteção para todos os genótipos do vírus circulantes no mundo. 

É importante ressaltar ainda que o sarampo, apesar de possuir diversos genótipos diferentes, possui apenas um tipo antigênico, que permanece estável mesmo décadas após a introdução da vacinação no mundo. 

O vírus do sarampo é extremamente contagioso, o que implica que é necessário uma elevada cobertura vacinal para que a circulação viral seja interrompida, porém surtos de sarampo podem ocorrer mesmo em populações com elevadas coberturas vacinais. Nestas situações, é esperado que ocorram casos em pessoas previamente vacinadas, mesmo com o uso de vacinas altamente efetivas. Essas falhas esperadas normalmente não constituem fator significativo na persistência e ocorrência de surtos. A estratégia de vacinação atualmente estabelecida no Brasil já demonstrou-se capaz de interromper a circulação do vírus no país quando atingidas as coberturas vacinais adequadas, tendo sido responsável pela eliminação do vírus sarampo nas Américas. 

Vale ressaltar que entre os dias 18 e 30 de novembro, vai ocorrer a segunda fase de vacinação contra do sarampo. Sendo o dia D, de mobilização nacional, em 30/11. Desta vez, o público alvo é adultos jovens não vacinados na faixa etária de 20 a 29 anos de idade.


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp! 

Matérias Relacionadas

Saúde

Mulher de 21 anos morre vítima de covid em Jaraguá

Foram quatro mortes nas últimas 48 horas no município
Mulher de 21 anos morre vítima de covid em Jaraguá
Saúde

AstraZeneca: Gestantes e puérperas podem tomar D2 de outro imunizante

A preferência é que seja com a Pfizer. Na ausência da vacina deste fabricante, a Coronavac (Sinovac/Butantan) também poderá ser usada como segunda dose
AstraZeneca: Gestantes e puérperas podem tomar D2 de outro imunizante
Saúde

Jaraguá suspende vacinação contra a covid por falta de doses

Assim que receber novas doses município retomará a vacinação para primeira dose. A aplicação da segunda dose segue normalmente
Jaraguá suspende vacinação contra a covid por falta de doses
Saúde

Covid-19: número de regiões em risco gravíssimo cai para três em SC

As regiões da Foz do Rio Itajaí, Médio Vale do Itajaí e Nordeste permaneceram classificadas com o nível máximo de atenção
Covid-19: número de regiões em risco gravíssimo cai para três em SC
Ver mais de Saúde