dengue
Saúde

Comissão da Câmara discute reaparecimento do sarampo no país

Secretário recomenda formação de estoques estratégicos de vacinas

24 Out 2019 - 16h30Por Da Redação

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, recomendou nesta quinta-feira (24) que o governo federal organize um esquema geral de aquisição de vacinas para os próximos cinco anos, de modo a evitar problemas com o fornecimento de doses à população. Wanderson Oliveira participou hoje de audiência da Comissão de Seguridade Social e Família sa Câmara dos Deputados, na qual especialistas debateram o reaparecimento de casos de sarampo ao país neste ano.

Com a identificação de casos da doença, o Brasil perdeu o certificado de país livre do sarampo, como ocorreu com o Reino Unido e a Grécia.

"Temos um pacto produtivo robusto, mas ainda insuficiente para a necessidade do Brasil. Historicamente, trabalhamos no âmbito do Programa Nacional de Imunizações com uma lógica na rotina. E temos que trabalhar em três lógicas diferentes: um é a rotina, a outra é a extra-rotina e a outra é a emergência em saúde. Rotina é a atualização das coortes: 'eu vou nascendo, envelhecendo e vou tomando a vacina de acordo com minha faixa etária. A extra-rotina são aquelas doses que eu tenho que ter disponíveis para campanhas, para intensificação da vacina, bloqueios e tal.' As emergências são as situações emergenciais que fogem [ao padrão]", explicou.

"Nós recebemos o Programa Nacional de Imunizações sem estoques estratégicos. E não tem como ter produção de vacina sem um ano e meio, no mínimo, de previsibilidade. Então, se não tivermos um programa de previsibilidade, de produção de imunobiológico para, pelo menos, cinco anos, vamos continuar patinando", acrescentou o secretário. Para ele, o Brasil sofre de uma "carência" de insumos relacionados às vacinas, como seringas.

Durante sua apresentação na audiência, a presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), Gulnar Azevedo e Silva, enumerou pontos que podem estar contribuindo para a atual prevalência do sarampo no país. Nos últimos 90 dias, foram confirmados 6.192 casos da doença em todo o país, conforme dados divulgados pelo Ministério da Saúde na semana passada.

Segundo Gulnar, os postos de saúde precisam adotar medidas como horário estendido de vacinação para que se garanta a cobertura ideal. Ela afirmou, ainda, que o governo precisa adaptar a comunicação à atualidade, utilizando, por exemplo, o Instagram. 

Gulnar ressalta a a necessidade de reiterar, nas mídias sociais e outros meios de comunicação, que a vacina é uma forma de proteção à saúde. "Isso é muito mais importante do que a gente se preocupar com o movimento antivacina. A população brasileira responde à questão da vacina, mas a gente tem que chegar a ela. A informação não está chegando", afirmou. 

Em sua fala, Gulnar destacou que o governo não deve reduzir as verbas para a pasta da Saúde, argumentando que "a austeridade mata".

Fonte: Agência Brasil


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp! 

Matérias Relacionadas

Saúde

Vacinação contra a dengue inicia na próxima segunda-feira em Guaramirim

Imunização será realizada no Ambulatório de Especialidades (AME)
Vacinação contra a dengue inicia na próxima segunda-feira em Guaramirim
Saúde

Chegam em Jaraguá do Sul as primeiras doses da vacina contra a dengue

Vinte e nove mil doses da vacina chegaram nesta quinta-feira, 22, na 17ª Regional de Saúde
Chegam em Jaraguá do Sul as primeiras doses da vacina contra a dengue
Saúde

Com 43 novos registros, Jaraguá contabiliza 97 casos de dengue neste ano

O número de focos também aumentou, já são 397
Com 43 novos registros, Jaraguá contabiliza 97 casos de dengue neste ano
Saúde

Santa Catarina decreta situação de emergência por causa da dengue

Santa Catarina tem 17.696 casos prováveis de dengue em 177 municípios, o que representa um aumento de 650% quando comparado ao ano de 2023.
Santa Catarina decreta situação de emergência por causa da dengue
Ver mais de Saúde