Saúde

China registra em um mês 21 mil novos casos de hepatite C

Apesar de existir cura para 90% dos casos, os infectados não têm acesso aos medicamentos

07 Set 2019 - 06h00Por Da Redação
China registra em um mês 21 mil novos casos de hepatite C - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

A China enfrenta nova epidemia de hepatite C. Só em junho, foram identificados 21.419 novos casos. Apesar de existir cura para 90% dos casos, os infectados não têm acesso aos medicamentos.

Segundo o Centro de Controle e Prevenção da Doença da China, no ano passado o país registou 219.375 novos casos de hepatite C, mais 43% do que em 2010. A China é o país que enfrenta enfrentar a maior crise da doença atualmente.

A doença infeciosa, que pode provocar cirrose, câncer de  fígado ou morte prematura, tem atingido particularmente as zonas rurais - cerca de 8,9 milhões de pessoas no total, ou seja, 0,6% da população.

Apesar de existir cura para 90% dos casos, os medicamentos não são cobertos pelo seguro médico básico da China, o que impossibilita o acesso pela maioria da população.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a China é o país responsável por mais de metade das mortes anuais por câncer de fígado (causado pela hepatite C) no mundo.

A transmissão da doença, por norma, ocorre da partilha de agulhas durante a utilização de drogas. O aumento do consumo de “crystal methamphetamin”, um dos principais narcóticos em circulação na China, tem contribuído em larga escala para o aumento do número de novas infeções, segundo as Nações Unidas.

Em Yi, uma das regiões da província de Sichuan, 2,8% da população têm hepatite C, quase cinco vezes mais do que a média nacional. Mas não é por acaso. Nessa área montanhosa é onde se localiza uma das mais importantes rotas de tráfico de droga.

Outra causa para a epidemia chinesa são as injeções médicas não esterilizadas. Em maio deste ano, 69 pacientes que se encontravam em diálise foram infectados por equipamentos não desinfetados.

Para agravar a situação, os pacientes infectados pela epidemia não estão recebendo os cuidados médicos que deviam. No ano passado, apenas 3,5% da população infectada receberam tratamento adequado, revela o Observatório Polaris.

Fonte: Agência Brasil


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp!

Matérias Relacionadas

Saúde

Saúde de Jaraguá adota medidas para evitar falta de medicamento

A informação é do secretário de Saúde, Alceu Gilmar Moretti
Saúde de Jaraguá adota medidas para evitar falta de medicamento
Saúde

Coreia do Sul anuncia 161 novos casos de coronavírus

Número total de pessoas infectadas no país subiu para 763
Coreia do Sul anuncia 161 novos casos de coronavírus
Saúde

Aprovada 1ª ressonância magnética portátil: 20 vezes mais barata

O aparelho permite obter de maneira prática e segura imagens cerebrais precisas do paciente
Saúde

Cientistas descobrem “interruptor” molecular que pode “desligar” doenças

Trata-se da proteína receptora NLRP3, que é responsável por detectar possíveis patógenos
Cientistas descobrem “interruptor” molecular que pode “desligar” doenças
Ver mais de Saúde