Saúde

Cérebro produz neurônios na velhice: esperança contra Alzheimer

Na pesquisa divulgada pela a Revista Nature foram analisadas amostras de tecido cerebral de pessoas que já haviam morrido, todas com idades entre 43 e 87 anos.

21 Abr 2019 - 08h00Por Só Notícia Boa

Uma descoberta pode revolucionar o tratamento com novas terapias contra o Alzheimer. Cientistas da espanhóis, do Departamento de Biologia Molecular da Faculdade de Ciências de Madri, descobriram que o cérebro é capaz de produzir neurônios mesmo na velhice.

Na pesquisa divulgada pela a Revista Nature foram analisadas amostras de tecido cerebral de pessoas que já haviam morrido, todas com idades entre 43 e 87 anos. Os pesquisadores notaram a presença de neurônios recém-nascidos e uma pequena variação da neurogênese, processo pelo qual nosso neurônio é produzido.

A pesquisa se concentrou em analisar o hipocampo, a área da massa cinzenta, responsável por guardar e recuperar nossas memórias e também, a região mais afetada pelo Alzheimer. É graças a ele que lembramos dos nossos pratos favoritos da infância, da sensação de começar um novo ano escolar ou de como foi incrível a primeira excursão com os colegas de classe.

Testes
Para analisar como a neurogênese se dá entre os adultos e idosos que sofrem com essa doença cognitiva, os estudiosos da Espanha também analisaram pedaços do hipocampo de indivíduos entre 52 e 97 anos de idade que tinham o problema quando estavam vivos.

Como era de se esperar, eles apresentavam uma queda acentuada e progressiva na geração de novos neurônios. O desafio da ciência é descobrir maneiras de reverter esse declínio e, consequentemente, frear o Alzheimer.

As principais terapias estudadas até agora focam em impedir o acúmulo da proteína beta-amiloide no cérebro de pessoas com a doença. Ela se amontoa em grandes quantidades na massa cinzenta e impede a comunicação entre os neurônios, além de contribuir para a morte deles.

Até agora, nenhum medicamento desenvolvido foi bem-sucedido. Os cientistas espanhóis acreditam que esse novo trabalho chama atenção para o que outras pesquisas já vêm alertando: é preciso mudar o alvo.

Talvez o caminho para vencer o Alzheimer não seja bloquear a beta-amiloide, mas encontrar alternativas. Para isso, é essencial seguir investigando o que acontece no nosso cérebro.

Fonte: Só Notícia Boa


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp!

Matérias Relacionadas

Saúde

Farmácia Popular passa a oferecer 95% dos medicamentos gratuitamente

Economia para usuários pode chegar a R$ 400 por ano
Farmácia Popular passa a oferecer 95% dos medicamentos gratuitamente
Saúde

Anvisa aprova projeto-piloto para bula digital de medicamentos

QR Code nas embalagens vai permitir acesso a informações adicionais
Anvisa aprova projeto-piloto para bula digital de medicamentos
Santa Catarina

Governo repassa R$ 5 milhões para obras da UPA 24 Horas de Barra Velha

Recurso é indicação da bancada parlamentar do Norte Catarinense
Governo repassa R$ 5 milhões para obras da UPA 24 Horas de Barra Velha
Saúde

Centro de Atendimento Dengue de Jaraguá do Sul será fechado nesta sexta-feira

Unidade recebeu mais de 43 mil pacientes de dengue deste o mês de abril
Centro de Atendimento Dengue de Jaraguá do Sul será fechado nesta sexta-feira
Ver mais de Saúde