Unimed
Saúde

Beber chá verde 3 vezes por semana reduz risco de derrame, diz estudo

A explicação está nos polifenóis, um poderoso antioxidante com ação nos vasos sanguíneos

18 Jan 2020 - 15h00Por Da Redação
Beber chá verde 3 vezes por semana reduz risco de derrame, diz estudo - Crédito: Pixabay Crédito: Pixabay

3 xícaras de chá verde por semana reduzem o risco de derrame, mostra um grande estudo publicado pela Academia Chinesa de Ciências Médicas.

A pesquisa, publicada no periódico European Journal of Preventive Cardiology, da Sociedade Europeia de Cardiologia, mostra que houve redução de 39% dos riscos de doenças cardíacas e derrames entre os bebedores do chá. O risco de doença cardíaca e acidente vascular cerebral fatal foi 56% menor e o risco de morte por todas as causas, em comparação com não bebedores de chá, foi 29% menor.

A explicação está nos polifenóis, um poderoso antioxidante com ação nos vasos sanguíneos.

“Os efeitos protetores do chá foram mais fortes entre os grupos habituais de beber chá. Estudos de mecanismo sugeriram que os principais compostos bioativos do chá, os polifenóis, não são armazenados no organismo a longo prazo. Assim, a ingestão frequente de chá por um período prolongado pode ser necessária para o efeito cardioprotetor ”, afirma um dos autores do estudo, o Dr. Dongfeng Gu, da Academia Chinesa de Ciências Médicas.

Pesquisa

O trabalho acompanhou 100 mil homens e mulheres ao longo de oito anos sem histórico de problemas cardíacos, câncer ou derrame.

Os voluntários foram separados em três grupos: os que bebiam três ou mais xícaras de chá por semana, os que consumiam quantidades menores e aqueles que nunca tomam. Os resultados foram observados apenas no primeiro grupo.

“O consumo habitual de chá está associado a menores riscos de doenças cardiovasculares e morte por todas as causas”, disse o primeiro autor Dr. Xinyan Wang, Academia Chinesa de Ciências Médicas, Pequim, China.

“Os efeitos favoráveis à saúde são os mais robustos para o chá verde e para os bebedores habituais a longo prazo.”

Prevenção

A análise incluiu 100.902 participantes do projeto China-PAR 2 sem histórico de ataque cardíaco, derrame ou câncer.

Os participantes foram classificados em dois grupos: bebedores habituais de chá (três ou mais vezes por semana) e bebedores nunca ou não habituais de chá (menos de três vezes por semana) com um acompanhamento de 7,3 anos.

O consumo habitual de chá foi associado a anos de vida mais saudáveis e maior expectativa de vida.

Por exemplo, as análises estimaram que os bebedores habituais de chá de 50 anos desenvolvem doença cardíaca coronária e derrame 1,41 anos depois e vivem 1,26 anos a mais do que aqueles que nunca ou raramente tomam chá.

Em comparação com os que nunca tomam chá ou que não são habituais, os consumidores habituais de chá tiveram um risco 20% menor de sofrer uma doença cardíaca e acidente vascular cerebral, 22% menor risco de doença cardíaca e derrame fatal e 15% menos risco de morte por qualquer causa.

A influência potencial de mudanças no comportamento de beber chá foi analisada em um subconjunto de 14.081 participantes com avaliações em dois momentos.

A duração média entre as duas pesquisas foi de 8,2 anos, e o acompanhamento após a segunda pesquisa foi de 5,3 anos.

Fonte: SóNotíciaBoa


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp! 

Matérias Relacionadas

Saúde

Mulher de 58 anos morre vítima de covid-19 em Jaraguá

Município se aproxima das 400 mortes pela doença
Mulher de 58 anos morre vítima de covid-19 em Jaraguá
Saúde

Central de Vacinas Covid de Jaraguá estará fechada no domingo (1)

A vacinação ocorre no Parque Municipal de Eventos de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h
Central de Vacinas Covid de Jaraguá estará fechada no domingo (1)
Saúde

Covid-19: Central de Orientação já monitorou mais de 250 mil pessoas

O serviço foi criado especialmente para atender a demanda causada pela pandemia do novo coronavírus
Covid-19: Central de Orientação já monitorou mais de 250 mil pessoas
Saúde

Schroeder disponibiliza doses da vacina contra a gripe

A campanha de vacinação contra a H1N1 não atingiu a meta de 100% na cidade
Schroeder disponibiliza doses da vacina contra a gripe
Ver mais de Saúde