transito
POLÍTICA

Wellington Dias defende novo projeto de reforma ampla da Previdência

14 Nov 2018 - 14h58Por Eduardo Rodrigues

O governador reeleito do Piauí, Wellington Dias (PT), defendeu nesta quarta-feira, 14, uma reforma ampla da Previdência por meio de um novo projeto de alteração constitucional que deverá ser trabalhado pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL). Segundo ele, no entanto, é preciso haver diálogo para aprovação da proposta que não pode sobrecarregar as pessoas mais pobres.

"Não podemos colocar a conta da Previdência nas costas dos mais pobres. A reforma não foi aprovada até agora porque o governo Temer não conseguiu dialogar com o Congresso. Defendemos uma regra de equilíbrio atuarial, com um teto geral para o benefício e, a partir daí, uma previdência complementar. Também deve haver uma fonte de receitas para a transição para o novo modelo", disse o governador antes de seguir para o almoço no Fórum de Governadores, do qual também participa o presidente eleito Jair Bolsonaro e sua equipe.

Dias minimizou a ausência de representantes da região Nordeste no evento. Apenas ele e o vice-governador reeleito da Bahia, João Leão, vieram a Brasília. Segundo ele, isso ocorreu porque diversos governadores já tinham agendas no exterior ou reuniões de transição nesta quarta-feira. "A eleição já terminou. Todo o Nordeste tem a posição de participar e trabalhar com o presidente Bolsonaro. Agora vamos trabalhar pelo Brasil", acrescentou.

Dias adiantou que os Estados da região irão pedir créditos adicionais ao governo para o financiamento agrícola, especialmente dos pequenos produtores. O governador também defendeu a ampliação de crédito para investimentos e para tocar obras em andamento.

Apesar de o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, ter dito esta semana que o governo não tem recursos para ampliar os repasses do Fundo de Exportação (FEX), Dias reafirmou que os Estados irão insistir na compensação pela Lei Kandir. "Os Estados confiaram na lei para abrir mão do ICMS. Agora é preciso haver a compensação", completou.

O governador do Piauí se mostrou preocupado com a intenção de Bolsonaro e seu assessor econômico Paulo Guedes em promover um amplo programa de privatizações das estatais. Para Dias, essas empresas são um instrumento de desenvolvimento regional do qual o País e sobretudo o Nordeste não podem abrir mão. Ele citou especificamente a Chesf e o Banco do Nordeste que têm forte atuação na região.

Ele ainda disse que irá pedir a manutenção dos médicos cubanos nas cidades do Nordeste que ainda não tenham contratado médicos brasileiros para assumir os serviços. "O Nordeste seria prejudicado com a saída agora desses médicos."

Matérias Relacionadas

Trânsito

Detran possibilitará emissão gratuita da carteira de habilitação, em Santa Catarina

Programa CNH Emprego na Pista deve beneficiar pessoas em situação de vulnerabilidade econômica e social
Detran possibilitará emissão gratuita da carteira de habilitação, em Santa Catarina
Política

Deputada é cassada por pagar tratamento estético com dinheiro público

Cirurgião-dentista diz que recebeu R$ 9 mil pela harmonização facial
Deputada é cassada por pagar tratamento estético com dinheiro público
Política

Quatro prefeitos de SC são presos em operação contra corrupção

Santa Catarina tem 27 prefeitos presos em quatro anos
Quatro prefeitos de SC são presos em operação contra corrupção
Política

Municípios da região de Jaraguá do Sul vão receber R$ 2 milhões em emendas

 Os recursos são fruto de emendas impositivas do deputado Dr. Vicente Caropreso (PSDB) e já estão à disposição das prefeituras
Municípios da região de Jaraguá do Sul vão receber R$ 2 milhões em emendas
Ver mais de Política