POLÍTICA

Via Twitter, Olavo de Carvalho xinga e estimula demissões

13 Mar 2019 - 08h55Por Paulo Beraldo, Renata Cafardo e Isabela Palhares, com colaboração de Mariana Haubert

A demissão do número dois da Educação, Luiz Antonio Tozi, e o agravamento da crise interna no ministério foram precedidos por uma série de postagens, no Twitter, do escritor Olavo de Carvalho, "guru" bolsonarista e responsável pela indicação de dois ministros - entre eles o titular da pasta, Ricardo Vélez Rodríguez. As críticas, entre elas ao próprio Tozi, seriam uma retaliação "ao expurgo" promovido contra ex-alunos de Olavo dentro do Ministério da Educação.

Duas fontes ligadas ao MEC disseram que a demissão de Tozi seria parte de um "acordo" entre Bolsonaro e Olavo, segundo o qual o "guru" pararia de publicar mensagens contra o ministério em troca da exoneração. Segundo essas fontes, os dois teriam conversado por telefone na segunda-feira, 11.

A disputa interna no MEC envolve pelo menos três grupos: os chamados "olavistas", ligados a Olavo, os militares ou que foram indicados por eles, e os de perfil mais técnico, em geral oriundos do Centro Paula Souza (autarquia do Estado de São Paulo que administra as faculdades e escolas técnicas). Há ainda um grupo formado por ex-alunos do ministro, de perfil conservador.

Depois da sucessão de críticas a Vélez, os técnicos o convenceram de afastar os "olavistas". Em suas redes sociais, Olavo publicou nos últimos dias dezenas de mensagens com recados ao governo, a Vélez e a apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. Na segunda-feira, elogiou a demissão do coronel Ricardo Roquetti, diretor de programa da Secretaria Executiva e considerado um desafeto dos "olavistas".

Após a demissão de Roquetti, Olavo elogiou a medida e publicou que era necessário "concluir a limpeza". "Diante de uma operação de infiltração como essa, ninguém pode ser poupado. É preciso mandar todos para a rua, a começar com o tal Tozi, que estava capitaneando a operação com o Roquetti."

Olavo também já fez ameaças ao próprio Vélez, e chegou a sugerir a demissão do ministro. "Recomendei o ministro Vélez, mas se ele cair no erro monstruoso que mencionei (acordo com quem estava na pasta antes), ponham-no para fora", escreveu na segunda-feira. Em outra mensagem, Olavo escreveu que não deseja derrubar nenhum ministro e afirmou que apenas apresentou as pessoas. Ele usou um palavrão para externar sua opinião. "O ministério é do Velez. Que o enfie no c..."

'Crítico'

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) negou nesta terça-feira, 12, que Olavo esteja causando uma crise no governo. "Ele está no papel dele de crítico. Ele pode muito bem falar. A outra opção que ele tem seria ficar quieto e olhar coisas que ele não concorda acontecendo. Certamente, ele, como brasileiro, não vai fazer isso", disse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Política

MDB começa roteiro para escolha de candidato ao governo de SC

Sigla passa nesta sexta-feira e sábado pelas regionais de Jaraguá do Sul, Mafra, Canoinhas, Joinville
MDB começa roteiro para escolha de candidato ao governo de SC
Política

Tragédia no Oeste provoca debate sobre segurança em CMEIs na Câmara de Jaraguá

Vereadores trataram do assunto na sessão de terça-feira (4)
Tragédia no Oeste provoca debate sobre segurança em CMEIs na Câmara de Jaraguá
Política

Administração de Schroeder presta contas dos primeiros 100 dias de gestão

Durante o encontro, os associados da Acias fizeram alguns questionamentos e foram prontamente esclarecidos
Administração de Schroeder presta contas dos primeiros 100 dias de gestão
Política

Assinada ordem de serviço para obras de arte na BR-280, em Guaramirim

O ato ocorreu na manhã desta terça-feira (4) com a presença da governadora Daniela Reinehr
 Assinada ordem de serviço para obras de arte na BR-280, em Guaramirim
Ver mais de Política