POLÍTICA

'Tu quer me matar?', diz Bolsonaro a Mourão em tom bem humorado

11 Fev 2019 - 22h51Por Julia Lindner

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, buscou afastar as notícias de que haveria um mal-estar com o presidente Jair Bolsonaro e contou que os dois conversaram no último final de semana, com direito a uma brincadeira no final. "Tu quer me matar?, questionou Bolsonaro em tom bem humorado ao vice-presidente, que é o primeiro na linha sucessória.

Bolsonaro reagiu a uma mensagem na qual Mourão contava que iria a um churrasco com amigos no Rio de Janeiro, enquanto o presidente passaria o dia no Hospital, onde está internado há duas semanas.

"No sábado, eu estava lá no Rio de Janeiro, né, e aí ele tinha me mandado uma mensagem, eu respondi para ele, dizendo que eu estava indo para um churrasco da minha turma de Academia. Ele me ligou, 30 segundos depois, dizendo: 'tu quer me matar?'. Eu: 'ué, por quê?'. Aí ele: "Pô, eu nesse hospital e tu em churrasco, pô?".

Hoje, Mourão disse que tinha boas notícias e que Bolsonaro está "praticamente quase bom, em condições de voltar", mas ainda sem data para receber alta hospitalar. A expectativa é que ele deixe o hospital até sexta-feira.

Duas semanas após uma cirurgia de retirada da bolsa de colostomia, o presidente Bolsonaro começou a se alimentar com uma dieta leve nesta segunda-feira, 11, segundo o Planalto. De manhã, ele recebeu creme de frutas e chá. No almoço, comeu caldo de abobrinha com carne e biscoito. À noite, o presidente deve comer purê de batata com carne moída.

A evolução na alimentação é uma das condições para alta do hospital. Anteriormente, ele recebia apenas alimentação cremosa e água. Na noite de domingo, 10, o presidente jantou creme de abobrinha com carne e batata batidos.

Reunião

Diante da ausência de Bolsonaro, a reunião desta semana do conselho de governo, que ocorre todas às terças-feiras no Palácio do Planalto, foi cancelada. Além do presidente, o grupo é formado pelo vice e os ministros. Sem Bolsonaro, Mourão foi responsável por comandar os dois últimos encontros, porém seu nome enfrenta resistência de integrantes do governo.

"Não, não tem reunião amanhã. O presidente já está para voltar, vamos fazer semana que vem para debater melhor os assuntos", disse Mourão ao deixar o Planalto. Ele afirmou que não sabe qual será o tema da próxima reunião.

Na semana passada, a reunião ministerial com Mourão terminou apenas com um balanço geral, sem decisões relevantes. O objetivo era debater o plano de cortar 21 mil cargos, comissões e funções gratificadas. A proposta, que integra o pacote de metas para os primeiros cem dias do governo, ainda não avançou.

Como mostrou o Broadcast na semana passada, depois de assumir a presidência por apenas 48 horas após a cirurgia de Bolsonaro, em janeiro, Mourão está isolado na vice-presidência e não tem participado das decisões do governo. Nos bastidores, a avaliação é de que ele demais nas últimas semanas e invadiu o espaço do presidente.

Além de desagradar os filhos do presidente Bolsonaro, os ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, também foram contrários a uma eventual interinidade do general por mais tempo. O sentimento é compartilhado até mesmo por militares.

Matérias Relacionadas

Política

Bolsonaro manifesta solidariedade às vítimas de explosão no Líbano

Presidente disse estar profundamente triste com ocorrido
Bolsonaro manifesta solidariedade às vítimas de explosão no Líbano
Política

Alunos no Legislativo prossegue com visitas virtuais

Foi a terceira visita virtual dos últimos dias e novas edições devem acontecer mediante agendamento prévio
Alunos no Legislativo prossegue com visitas virtuais
Santa Catarina

Governador lamenta abertura de processo de impeachment

Ele recebeu do primeiro secretário da Casa Legislativa, deputado estadual Laércio Schuster, o documento que o informa do início formal do processo
Governador lamenta abertura de processo de impeachment
Política

Pedido de impeachment do governador e da vice de SC é lido em plenário

O próximo passo do processo é a notificação dos citados na denúncia, o que vai ocorrer nesta quinta-feira
Pedido de impeachment do governador e da vice de SC é lido em plenário
Ver mais de Política