Imobiliária Coralli
Política

Tribunal de Justiça mantém condenação da prefeita no caso da irmã

21 Mar 2012 - 11h59

Por seis votos a zero, ou seja, por unanimidade, a prefeita Cecília Konell (PSD) sofreu mais uma derrota no Tribunal de Justiça de Santa Catarina, em ação civil pública. Os desembargadores rejeitaram os embargos de declaração, que tinham a finalidade de complementar ou esclarecer a decisão do próprio Tribunal. Com isso, mantém-se a condenação de Cecília Konell, sob a acusação de ter favorecido a irmã Carmelita Hirayama Konell.


A decisão pode deixar ainda mais complicada a possibilidade de candidatura à reeleição nas eleições municipais de outubro, em função da Lei da Ficha Limpa. A ação cível pública tramita no Tribunal de Justiça depois de a prefeita ter sido condenada na Comarca de Jaraguá do Sul, pela juíza Eliane Alfredo Cardoso, em 2009, que decretou a perda da função pública, assim como a suspensão dos seus direitos políticos por três anos, pela prática de improbidade administrativa.

A ação foi motivada porque a prefeita exonerou a irmã, Carmelita Hirayama Konell, da função de supervisora da Biblioteca Pública Municipal e a nomeou, em 24 de março de 2009, para exercer a função de supervisora do patrimônio arquitetônico da Secretaria do Turismo, Cultura e Esporte, a fim de que sua remuneração aumentasse.

Porém, o ato contraria os termos da Súmula 13 do STF, além do fato de Carmelita não possuir qualificação profissional para exercer tal função, já que seu cargo é de digitadora. A juíza Eliane Alfredo Cardoso Luiz anotou na época, que em síntese, a nomeação não ocorreu para atender aos fins públicos, mas para satisfazer exclusivos interesses de parente em segundo grau e atender ao intento de favorecimento da demandada. Cabe recurso ao Superior Tribunal de Justiça.

(ROGÉRIO TALLINI)

 

Matérias Relacionadas

Política

Governo do Estado emite nota sobre Operação Pleumon

Ação cumpriu mandados de busca e apreensão na Casa d’Agronômica e no Centro Administrativo.
Governo do Estado emite nota sobre Operação Pleumon
Política

Ministério Público cumpre mandado na casa do governador, em Florianópolis

O objetivo da operação é subsidiar o inquérito que apura fraudes na compra de respiradores para enfrentamento da pandemia da covid-19 no estado. O contrato sob suspeita movimentou R$ 33 milhões.
Política

Eleitor poderá justificar falta pelo celular

e-Título estará atualizado até as eleições para a justificativa
Eleitor poderá justificar falta pelo celular
Política

Saiba mais sobre o rito do julgamento no tribunal especial

O documento estabelece como será a sequência de trabalhos do tribunal formado por deputados e desembargadores que vai julgar Moisés e Daniela e poderá destituir governador e vice de seus cargos
Saiba mais sobre o rito do julgamento no tribunal especial
Ver mais de Política