Joaçaba Pneus
POLÍTICA

Raquel Dodge: não vejo risco de anulação de decisões da Lava Jato

14 Mar 2019 - 15h49Por Breno Pires

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirmou que não enxerga neste momento o risco de anulação de decisões da Operação Lava Jato se o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir que casos de corrupção e lavagem de dinheiro, quando relacionados a caixa 2, devem ser processados na justiça eleitoral.

"Eu não vejo esse risco nesse momento. Mas é preciso avaliar tudo isso com muito cuidado e manter o foco. Não perderemos o foco contra a corrupção e contra a impunidade no País", afirmou Raquel Dodge, nesta quinta-feira, 14, instantes antes da retomada do julgamento que discute o destino de processos de corrupção e caixa 2.

O comentário de Raquel Dodge vem um tom abaixo do discurso de membros da Força-Tarefa da Operação Lava Jato no Paraná, que têm apontado uma derrota no julgamento como algo catastrófico. A procuradora disse que, qualquer que seja a decisão tomada, irá respeitar e afirmou que irá trabalhar para impedir riscos à Lava Jato.

"Eu espero que a decisão de hoje seja nesta linha que defendi. Se não for, a minha instituição e eu também respeitarei essa decisão, mas é preciso também reorganizar as forças e instituições com os instrumentos jurídicos que temos para continuar enfrentando o crime organizado, corrupção e lavagem de dinheiro. Esta é uma prioridade permanente da nossa instituição, e qualquer que seja o resultado continuaremos firmes nesse propósito", disse.

Ao afirmar que, se houver riscos, deve-se trabalhar para que eles sejam superados. A procuradora-geral disse que "se necessário, iremos ao parlamento pedir algum instrumento jurídico", sem detalhar. "O importante é que a gente siga firme nesse propósito contra a corrupção, lavagem de dinheiro, e crime organizado", disse.

Crise

Raquel Dodge foi criticada pela Associação Nacional de Procuradores da República (ANPR), após apresentar uma ação contra o acordo assinado entre a força-tarefa da Lava Jato no Paraná e a Petrobras. Sobre a crítica, ela se defendeu.

"Eu recebo com muita tranquilidade, porque exerci minha atribuição nos limites dela, apresentando à Corte as razões que acredito que tornam essa ADPF Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental precedente. Vamos aguardar o pronunciamento da Corte", disse.

Matérias Relacionadas

Geral

Organizadores divulgam Festival de Cinema na Câmara 

O Festival conta com mostras competitivas de várias categorias como curta metragem, longa metragem, tanto em documentário quanto ficcional ou animação.
Política

Ida para novo partido está "bastante avançada", diz Bolsonaro

Expectativa é de que o presidente se filie ao Patriota
Ida para novo partido está "bastante avançada", diz Bolsonaro
Política

Começam as obras de recuperação dos acessos a "ponte baixa", em Corupá

Durante a execução dos trabalhos, que durarão aproximadamente 30 dias, o trânsito estará interrompido nos dois sentidos, entre as 8h e às 17h.  
Começam as obras de recuperação dos acessos a "ponte baixa", em Corupá
Política

Por pautas em conjunto, vereadoras do Vale do Itapocu fazem reunião

O objetivo do encontro foi o de aproximar as parlamentares da região em busca de formar um colegiado de vereadoras da Associação de Câmaras de Vereadores do Vale do Itapocu (Avevi) para trocar experiências
Por pautas em conjunto, vereadoras do Vale do Itapocu fazem reunião
Ver mais de Política