POLÍTICA

Quem é coronel Lima, amigo de Temer apontado como intermediário de propinas

21 Mar 2019 - 16h45Por André Ítalo Rocha

A prisão do ex-presidente Michel Temer pela Operação Lava Jato do Rio de Janeiro trouxe de volta às manchetes o nome de João Batista Lima Filho, o coronel Lima, amigo de Temer que é apontado como o principal intermediário do ex-presidente para recebimento de propinas e que também foi alvo de mandado de prisão.

Temer e Coronel Lima são amigos há mais de 30 anos e se conheceram quando o ex-presidente foi secretário de Segurança Pública em São Paulo, nos anos 1980, durante o governo de André Franco Montoro.

Lima, um coronel reformado da Polícia Militar de São Paulo, é visto pela Polícia Militar como o responsável pela criação de uma "engenharia" para o recebimento de propinas supostamente em nome de Temer. Citado por delatores em diferentes investigações, ele tem uma relação pessoal com Temer. As suspeitas sobre as operações entre o policial militar da reserva e o ex-presidente envolvem familiares dos dois.

A ação que resultou na prisão de Temer é decorrente da Operação Radioatividade, que apurou crimes de formação de cartel e prévio ajustamento de licitações, além do pagamento de propina a empregados da Eletronuclear. Após decisão do Supremo Tribunal Federal, o caso foi desmembrado e remetido à Justiça Federal do Rio de Janeiro.

O inquérito que mira Temer e seus aliados tem como base as delações do empresário José Antunes Sobrinho, ligado à Engevix. Sobrinho foi um dos primeiros a citar o coronel Lima em depoimento a investigadores. Ele disse ter pago ao coronel pelo menos R$ 1 milhão que iriam para campanhas de Temer.

Também há suspeitas sobre Lima relacionadas à JBS. Ricardo Saud, diretor da empresa, disse em delação que Temer pediu que R$ 1 milhão em espécie fosse entregue na empresa do coronel em 2014. Saud afirmou também que o dinheiro fazia parte de um acordo para pagar um total de R$ 15 milhões ao MDB, mas que Temer "roubou dele mesmo" ao pegar o dinheiro por fora.

Além disso, há a suspeita de que Lima também atuava resolvendo pendências financeiras de Temer. Um desses casos é o da reforma da casa de uma das filhas do ex-presidente, Maristela de Toledo Temer Lulia, que chegou a admitir que o coronel "deu uma ajuda" por "camaradagem" em uma reforma em sua casa. A relação com o coronel foi descrita como "quase familiar".

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Política

Com absolvição, Moisés volta ao governo de SC

Por 6 votos a 4, o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) foi absolvido da acusação de crime de responsabilidade na compra dos 200 respiradores não entregues pela empresa Veigamed.
Com absolvição, Moisés volta ao governo de SC
Política

Jaraguá do Sul e Guaramirim voltam a tratar da ponte da Zanotti

Prefeitos se reuniram nesta semana e querem definir melhor solução nos próximos 30 dias.
Jaraguá do Sul e Guaramirim voltam a tratar da ponte da Zanotti
Economia

Governo do Estado institui o Auxílio Catarina

Benefício emergencial será destinado a mais de 60 mil famílias em situação de vulnerabilidade social e econômica no estado
Governo do Estado institui o Auxílio Catarina
Política

Lunelli participa de encontro regional do MDB

Em Jaraguá do Sul, o encontro acontece hoje às 19h
Lunelli participa de encontro regional do MDB
Ver mais de Política