transito
Política

Presidente assina decreto para reduzir IOF sobre câmbio

Medida é exigida aos países que querem fazer parte da OCDE

16 Mar 2022 - 06h16Por Agência Brasil
  - Crédito: Wilson Dias / Agência Brasil - Crédito: Wilson Dias / Agência Brasil

Prometida no início do ano, a redução gradual do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre o câmbio foi oficializada na terça-feira (15). O presidente Jair Bolsonaro assinou decreto com a redução escalonada do tributo, que será diminuído em etapas até ser zerado em 2028.

A assinatura ocorreu em cerimônia no Palácio do Planalto, com a presença do ministro da Economia, Paulo Guedes. A extinção do IOF sobre operações cambiais é uma das exigências para o país integrar a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A Receita Federal estima que o governo deixará de arrecadar R$ 500 milhões em 2023, R$ 900 milhões em 2024 e R$ 1,4 bilhão em 2025. A renúncia fiscal crescerá ano a ano até chegar a R$ 7,7 bilhões por ano a partir de 2029.

A mudança é uma das obrigações a serem cumpridas pelo Brasil para adesão aos Códigos de Liberalização de Movimentação de Capitais e de Operações Invisíveis, instrumento exigido para os países que integram a OCDE.

Em janeiro, o governo tinha anunciado que pretendia começar a cortar o IOF cambial ainda este ano. Segundo o Ministério da Economia, o Brasil está em estágio avançado de convergência com a OCDE, tendo aderido a 104 dos 251 instrumentos normativos do organismo internacional.

De acordo com a Secretaria de Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, o processo de adesão está mais acelerado que em outros países convidados a integrar o grupo ou que atuam como parceiros-chave, como Argentina (51 instrumentos), Romênia (53), Peru (45), Bulgária (32) e Croácia (28).

Fundada em 1961, em Paris, a OCDE funciona como um organismo que avalia e recomenda práticas e políticas que promovam prosperidade, igualdade, oportunidade e bem-estar global. Com 38 países-membros, a organização reúne 61% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial.

Após a cerimônia de assinatura, o Ministério da Economia divulgou o cronograma de redução das alíquotas em entrevista coletiva. O IOF sobre empréstimos realizados no exterior, atualmente em 6%, será zerado imediatamente. As alíquotas sobre o uso de cartões de crédito internacionais, hoje em 6,38%, cairão um ponto percentual ao ano entre 2023 e 2027. Em 2028, serão reduzidas de 1,38% para 0%.

O IOF de 1,1% para a compra de moeda estrangeira em espécie será zerado apenas em 2028. As demais operações cambiais, que pagam 0,38%, passarão a ser isentas a partir de 2029.

Edição: Fernando Fraga

Matérias Relacionadas

Política

Lunelli cobra instalação de equipamentos na Escola Professor Lino Floriani

Unidade atende quase 700 estudantes, que aguardam para usar os kits na rotina escolar
Lunelli cobra instalação de equipamentos na Escola Professor Lino Floriani
Política

Modal ferroviário é tema de debate na Assembleia Legislativa de Santa Catarina

Encontro foi proposto pelo deputado Antídio Lunelli, presidente da Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano da Alesc
Modal ferroviário é tema de debate na Assembleia Legislativa de Santa Catarina
Saúde

Comissão de Saúde da Alesc aprova projetos que asseguram direitos à pessoa com autismo

Ambos os projetos são de autoria do deputado Vicente Caropreso (PSDB)
Comissão de Saúde da Alesc aprova projetos que asseguram direitos à pessoa com autismo
Política

Governo do Estado autoriza contratação do Plano Estadual de Logística de Transporte

O deputado estadual Antídio Lunelli, que também preside a Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano da ALESC, esteve no evento, parabenizou o governo pela iniciativa e disse que a medida é essencial para desafogar
Governo do Estado autoriza contratação do Plano Estadual de Logística de Transporte
Ver mais de Política