dengue
POLÍTICA

Pauderney Avelino (DEM) debate questões fiscais com Lorenzoni e Bolsonaro

08 Nov 2018 - 12h30Por Eduardo Rodrigues

O deputado não reeleito Pauderney Avelino (DEM-AM) disse nesta quinta-feira, 8, que conversou com o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e com o presidente eleito Jair Bolsonaro sobre as prioridades do novo governo para a área fiscal que podem ser votadas no Congresso ainda este ano. Avelino reafirmou que a reforma da Previdência é a discussão número um, mas afirmou que também podem ser propostas mudanças no Orçamento para 2019 que ainda tramita no parlamento.

"Tivemos uma conversa embrionária sobre as questões fiscais. O importante é que haja um discurso alinhado sobre o que é possível ser feito", disse o deputado ao deixar o centro de transição do novo governo.

Apesar de não ter conversado sobre o assunto com Bolsonaro, Pauderney Avelino defendeu a continuidade do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) na presidência da Câmara pelos próximos dois anos. "Gostaria muito que Maia continuasse porque ele é um ponto de convergência importante na Casa. Mas não conversamos sobre isso hoje", completou o deputado.

Matérias Relacionadas

Política

Jaraguá do Sul tem 126 mil pessoas aptas a votar nas próximas eleições

Na região do Vale do Itapocu, o número de eleitores chega perto dos 140 mil
Jaraguá do Sul tem 126 mil pessoas aptas a votar nas próximas eleições
Política

Caropreso pede ao Governo do Estado prioridade para pavimentação da Rota Enxaimel

Rodovia liga os municípios de Pomerode e Jaraguá do Sul e abriga um dos principais roteiros turísticos de SC
Caropreso pede ao Governo do Estado prioridade para pavimentação da Rota Enxaimel
Política

Partido Novo apresenta pré-candidatos a Prefeitura de Guaramirim

Para a Câmara de Vereadores, o Novo de Guaramirim conta com uma relação de pré-candidatos, que estão em processo seletivo e preparação para concorrer às vagas em outubro
Partido Novo apresenta pré-candidatos a Prefeitura de Guaramirim
Política

Ministro do TSE anula uma das três condenações de Bolsonaro

Apesar da decisão, o ex-presidente segue inelegível até 2030
Ministro do TSE anula uma das três condenações de Bolsonaro
Ver mais de Política