Imobiliária Coralli
Política

Para evitar contágio, TSE excluirá biometria nas eleições municipais

Decisão foi tomada após reunião de técnicos do tribunal com médicos

15 Jul 2020 - 09h38Por Agência Brasil
Para evitar contágio, TSE excluirá biometria nas eleições municipais - Crédito: TSE Crédito: TSE

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, decidiu excluir a necessidade de identificação biométrica, por meio de impressão digital, nas eleições municipais deste ano, tendo em vista o risco de contágio por covid-19.

A decisão foi tomada após uma primeira reunião de técnicos do tribunal com os médicos David Uip, do Hospital Sírio Libanês, Marília Santini, da Fundação Fiocruz, e Luís Fernando Aranha Camargo, do Hospital Albert Einstein.

As três instituições firmaram parceria com o TSE para a elaboração de um protocolo de segurança que reduza o risco de contágio durante a votação. Segundo o tribunal, a consultoria sanitária é prestada sem custos.

Dois fatores pesaram para excluir a biometria. Primeiro, o leitor de impressões digitais não pode ser higienizado com frequência, como a cada utilização. Também pesou o fato de que a identificação biométrica tende a causar filas maiores, favorecendo aglomerações, já que o processo é mais demorado do que a simples coleta de assinatura.

Recesso judiciário

A exclusão da biometria será incluída em resoluções para as eleições deste ano que devem ser apreciadas pelo plenário do TSE a partir de agosto, após a volta do recesso judiciário.

A Justiça Eleitoral iniciou o cadastramento biométrico em 2008, e já colheu as impressões digitais de 119.717.190 eleitores, que estariam aptos a votar pelo novo sistema. O TSE planeja cadastrar todos o eleitorado de mais de 150,5 milhões de pessoas até 2022.

O cadastramento biométrico é obrigatório. O eleitor que não comparecer ao cartório eleitoral para a revisão cadastral pode ter o título cancelado e ficará inapto a votar, caso perca o prazo estipulado pela Justiça Eleitoral para cada município. 

Neste ano, porém, devido à pandemia, o TSE suspendeu o cancelamento de 2,5 milhões de documentos.

Ainda em virtude da pandemia, o Congresso Nacional promulgou há duas semanas uma emenda à Constituição que adiou o primeiro turno das eleições municipais de 4 de outubro para 15 de novembro. O segundo turno foi alterado de 25 de outubro para 29 de novembro.

 

Edição: Kleber Sampaio

 

Matérias Relacionadas

Política

Tribunal de Justiça de Santa Catarina suspende processo de impeachment

Tribunal de Justiça de Santa Catarina suspende processo de impeachment
Política

Eleições municipais: votação deve ser estendida em pelo menos uma hora

TSE estuda recomendar horários de votação diferentes por faixa etária
Eleições municipais: votação deve ser estendida em pelo menos uma hora
Política

Bolsonaro manifesta solidariedade às vítimas de explosão no Líbano

Presidente disse estar profundamente triste com ocorrido
Bolsonaro manifesta solidariedade às vítimas de explosão no Líbano
Política

Alunos no Legislativo prossegue com visitas virtuais

Foi a terceira visita virtual dos últimos dias e novas edições devem acontecer mediante agendamento prévio
Alunos no Legislativo prossegue com visitas virtuais
Ver mais de Política