POLÍTICA

Mourão sobre Bebianno: assunto está restrito ao ministro e ao PSL

13 Fev 2019 - 22h26Por Teo Cury

Questionado sobre a possibilidade de afastamento do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, do governo, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse que é preciso aguardar e que o assunto está restrito a Bebianno e ao PSL.

Mais cedo, o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (PSC), filho de Jair Bolsonaro, escreveu no Twitter que o ministro da Secretaria-Geral da Presidência mentiu ao afirmar que teria conversado três vezes com o presidente na terça-feira, 1).

Ele também publicou um áudio que indica ter sido gravado pelo presidente em que Bolsonaro diz a Bebianno que não falará com ninguém. Ao ser questionado por jornalistas para comentar o vazamento, Mourão disse que não iria se meter neste assunto.

PCC

Mourão chamou de "um troço inédito" a transferência de 13 presos ligados à facção Primeiro Comando da Capital (PCC) do Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) do Centro de Readaptação Penitenciária de Presidente Bernardes, no interior de São Paulo, para a Penitenciária Maurício Henrique Guimarães Pereira, a P2, em Presidente Venceslau, na mesma região.

De acordo com a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), a transferência ocorreu em razão do decurso do prazo máximo de 360 dias em que os presos podem ficar em regime disciplinar especial, conforme a legislação brasileira.

"Temos que progredir no enfrentamento a essas narcoquadrilhas, se não a gente fica refém desse pessoal", disse Mourão.

Dama do teatro

Na conversa com a imprensa, o vice-presidente lamentou a morte da atriz e cantora Bibi Ferreira, aos 96 anos. "Triste. Grande dama do nosso teatro. Lembro também muito do pai dela, Procópio Ferreira."