POLÍTICA

Moro afirma ser natural que decreto de armas seja questionado

16 Mai 2019 - 01h50Por Letícia Fucuchima

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou que o tema da posse e porte de armas é "sempre polêmico e suscita paixões", de modo que é natural, em sua avaliação, que o decreto assinado na semana passada pelo governo federal esteja sendo alvo de questionamento.

"Sempre se diz 'tudo no Brasil acaba no Supremo Tribunal Federal', tudo pode ser levado à discussão no Supremo, às vezes até aquilo que não devia ser...se houver alguma invalidade, caberá ao Supremo Tribunal Federal, ou eventualmente ao Congresso, fazer uma revisão", comentou Moro, em entrevista à GloboNews nesta quinta-feira, 16.

Em manifestações à Procuradoria-Geral da República (PGR) e ao Congresso, a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão - braço do Ministério Público Federal - apontou inconstitucionalidade do decreto de Bolsonaro para facilitar as regras de posse, porte e comercialização de armas de fogo para caçadores, atiradores esportivos, colecionadores (CACs), praças das Forças Armadas e uma série de outras categorias profissionais. O documento enviado à PGR servirá de subsídio para que o órgão emita parecer sobre ação da Rede, que acionou o Supremo alegando que o decreto do presidente é um "verdadeiro libera geral" e "põe em risco a segurança de toda a sociedade e a vida das pessoas".

Matérias Relacionadas

Política

Presidente da Câmara de Jaraguá rebate críticas sobre a folga no carnaval

Presidente da Câmara de Jaraguá rebate críticas sobre a folga no carnaval
Política

Vice-presidente da República faz palestra na FIESC

Hamilton Mourão conversa com empresários nesta sexta-feira, dia 28, às 10h30, na sede da entidade, em Florianópolis. Encontro marca o início das comemorações dos 70 anos da Federação. Credenciamento para profissionais de imprensa já está aberto.
Vice-presidente da República faz palestra na FIESC
Eleições

Mulheres são maioria no eleitorado em SC e celebram 88 anos da conquista do direito ao voto

Dos 295 municípios catarinenses 148 têm as mulheres como maioria do eleitorado. Destaque para Balneário Camboriú com 48.262 eleitoras, o que equivale a 54,35%, o maior índice entre as cidades do Estado.
Mulheres são maioria no eleitorado em SC e celebram 88 anos da conquista do direito ao voto
Trânsito

Resultado do leilão da BR-101 Sul é positivo para SC, avalia FIESC

Com deságio de 62% e valor de R$ 1,97 por praça de pedágio, Grupo CCR foi o vencedor do certame realizado nesta sexta-feira (21). Para Federação, SC terá rodovia mais segura e melhoria na mobilidade
Ver mais de Política