transito
POLÍTICA

Líder do governo costura maior aproximação entre Bolsonaro e deputados do PSL

24 Abr 2019 - 12h29Por Amanda Pupo

Líder do governo na Câmara dos Deputados, o deputado Major Vitor Hugo (PSL) costura uma maneira de estreitar a relação entre o presidente Jair Bolsonaro e os parlamentares de seu partido, o PSL, que tem a segunda maior bancada na Câmara, com 54 deputados.

Mesmo com o bom número, o governo tem problemas em estabelecer uma base sólida no Congresso Nacional. O líder na Câmara quer tornar mais frequente o encontro de Bolsonaro com seus correligionários e, por isso, levou nesta quarta-feira (24) dez deputados do PSL para uma audiência com o presidente no Palácio da Alvorada - reunião que inaugurou a agenda do dia do chefe do Executivo.

A ideia é reunir Bolsonaro com grupos pequenos de parlamentares, para que o presidente possa estabelecer um diálogo mais direto com os deputados. O encontro desta quarta foi o primeiro nesse molde, segundo Vitor Hugo. Além do líder, estiveram presentes os deputados Marcelo Freitas - relator da Previdência na CCJ -, Chris Tonietto, Caroline de Toni, General Girão, Coronel Armando, Sanderson, Aline Sleutjes, Luiz Lima, Márcio Labre e Nicolletti. "A base do governo vai se formar, logicamente, em torno do presidente, e toda vez que a gente leva deputados do PSL (até Bolsonaro), a gente fortalece isso", disse o líder na Câmara ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

A iniciativa vem após o próprio líder do PSL na Câmara, delegado Waldir, demonstrar insatisfação com o governo Bolsonaro. Em recente entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o deputado chamou o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM), de primeiro-ministro, e afirmou que, se a reforma da Previdência for aprovada, o mérito é de Maia. "Ele (Bolsonaro) precisa fazer um carinho na cabeça do parlamentar", disse o líder do partido do presidente.

Segundo Major Vitor Hugo, apesar de ter sido comemorada durante o encontro, a aprovação da reforma da Previdência na CCJ não foi o tema principal da reunião no Alvorada. Apesar da vitória, o governo enfrentou resistência na comissão e precisou negociar com partidos. Foi só depois de 62 dias do envio da reforma da Previdência que a CCJ aprovou a proposta, enquanto que o governo Temer levou apenas 10 dias para passar a sua na mesma comissão.

A intenção do governo agora é de instalar nesta quinta-feira (25) a Comissão Especial para discutir a proposta. A primeira reunião de trabalho, no entanto, deve ocorrer apenas em 7 de maio, após o feriado.

Matérias Relacionadas

Política

Filipe Luís é homenageado em sessão solene da Alesc

Moção entregue nesta segunda (20) foi proposta pelos deputados Antídio Lunelli e Dr. Vicente Caropreso
Filipe Luís é homenageado em sessão solene da Alesc
Política

Obra na SC 108, em Guaramirim, será alvo de avaliação do Tribunal de Contas

TCE/SC faz levantamento em contratos e obras de infraestrutura no Estado que somam R$ 2,9 bilhões
Obra na SC 108, em Guaramirim, será alvo de avaliação do Tribunal de Contas
Política

Lunelli critica burocracia para liberação de recursos aos atingidos pelas enchentes

Parlamentar também destacou a importância da obra de dragagem autorizada pelo governo do Estado em Rio do Sul 
Lunelli critica burocracia para liberação de recursos aos atingidos pelas enchentes
Política

Em Brasília, Caropreso discute canabidiol e segunda língua estrangeira nas escolas

O parlamentar realizou reuniões com senadores e parlamentares para tratar de projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional que tratam do uso medicinal da cannabis e do ensino de segundo idioma estrangeiro nas escolas
Em Brasília, Caropreso discute canabidiol e segunda língua estrangeira nas escolas
Ver mais de Política