Joaçaba Pneus
POLÍTICA

Kassab defende legalidade de serviços prestados à JBS

19 Dez 2018 - 12h36Por Clarissa Oliveira

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, disse estar "muito tranquilo" quanto à legalidade dos serviços prestados por sua empresa à JBS e das doações feitas pela companhia ao PSD, que levaram nesta manhã a Polícia Federal a executar mandados de busca e apreensão em seus endereços.

Em conversa por telefone, Kassab disse ao Broadcast Político que espera que o andamento das investigações demonstre que todas as movimentações citadas ocorreram dentro da legalidade.

"A PGR ainda não concluiu seu trabalho - isso está evidente - e certamente esclarecerá todos esses pontos. Esta ainda é uma fase de apuração e eu me coloquei à disposição para colaborar como puder. Todos os documentos relacionados a esse assunto já foram devidamente encaminhados", afirmou Kassab.

Com base na delação da JBS, a Procuradoria-Geral da República aponta que Kassab teria recebido R$ 350 mil reais por meio de uma empresa de sua propriedade, a Yape Consultoria.

O valor total pago, segundo afirmações de Wesley Batista, um dos donos do frigorífico, seria de R$ 30 milhões. Além disso, a investigação apura o pagamento de R$ 28 milhões ao diretório nacional do PSD, que, segundo os delatores, teria por objetivo comprar o apoio da sigla em favor do PT. Kassab nega irregularidades em ambos os casos.

Ao falar especificamente sobre o contrato de sua empresa com a JBS, Kassab insistiu que a operação ocorreu dentro da legalidade e se refere a serviços de locação de caminhões. "Eu estou muito tranquilo quanto à legalidade de todos os serviços prestados pela minha empresa", afirmou.

O ministro insistiu no fato de o contrato ter sido firmado antes de a contratante ser adquirida pela JBS. A empresa em questão era o frigorífico Bertin, que foi alvo de denúncias durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e foi adquirido em 2009 pela JBS.

"Todos os serviços contratados foram prestados. Foram serviços de naturezas diversas", disse Kassab. "Esta minha empresa atuava no transporte de cargas. E eu tive diversos outros clientes. Toda a documentação vai atestar isso", continuou.

Dinheiro

Kassab comentou ainda o fato de a Polícia Federal ter encontrado R$ 301 mil em dinheiro vivo em seu apartamento localizado no bairro dos Jardins, em São Paulo. "Esta é uma consequência do bloqueio de bens com o qual estou convivendo", afirmou o ministro.

Em setembro deste ano, o juiz José Gomes Jardim Neto, da 9ª Vara da Fazenda Pública da capital, abriu ação de improbidade contra Kassab e determinou o bloqueio de R$ 21 milhões. O caso se refere ao suposto recebimento de valores por meio de caixa 2, entre 2008 e 2014.

Matérias Relacionadas

Política

Sessões da Câmara de Jaraguá têm horário alterado e ocorrem pela manhã

Neste momento, o público ainda não está autorizado a acompanhar as sessões presencialmente, dentro das medidas de combate à pandemia estabelecidos pela Câmara
Sessões da Câmara de Jaraguá têm horário alterado e ocorrem pela manhã
Geral

Organizadores divulgam Festival de Cinema na Câmara 

O Festival conta com mostras competitivas de várias categorias como curta metragem, longa metragem, tanto em documentário quanto ficcional ou animação.
Política

Ida para novo partido está "bastante avançada", diz Bolsonaro

Expectativa é de que o presidente se filie ao Patriota
Ida para novo partido está "bastante avançada", diz Bolsonaro
Política

Começam as obras de recuperação dos acessos a "ponte baixa", em Corupá

Durante a execução dos trabalhos, que durarão aproximadamente 30 dias, o trânsito estará interrompido nos dois sentidos, entre as 8h e às 17h.  
Começam as obras de recuperação dos acessos a "ponte baixa", em Corupá
Ver mais de Política