transito
POLÍTICA

Fux revoga extensão de auxílio-moradia para juízes e procuradores de todo País

26 Nov 2018 - 18h53Por Amanda Pupo

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta segunda-feira, 26, derrubar o pagamento de auxílio-moradia para juízes, integrantes do Ministério Público, defensorias públicas e tribunais de contas. O ministro cassou liminares (decisões provisórias) tomadas por ele próprio em 2014, quando decidiu estender o benefício para todo o País. Na decisão, Fux afirma que o presidente Michel Temer sancionou o reajuste de 16,38% nos salários dos ministros do Supremo.

O efeito cascata do reajuste foi o motivo que Fux apontou como argumento para o fim do pagamento do auxílio mesmo para juízes estaduais em casos de Estados que tenham legislação garantindo o benefício.

"Reconhecer, com efeitos prospectivos nos termos do item II abaixo, a impossibilidade do recebimento do auxílio-moradia por qualquer membro do Poder Judiciário, do Ministério Público, das Defensorias Públicas, das Procuradorias, dos Tribunais de Contas ou de qualquer outra carreira jurídica que esteja sendo pago: i) com base na simetria com a Magistratura; ii) com fundamento nas liminares deferidas nesta ação e nas que lhe são correlatas, ou iii) com amparo em atos normativos locais (leis, resoluções ou de qualquer outra espécie)", afirma Fux.

A decisão suspende resoluções do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) que, com base nas liminares anteriores, haviam estendido o pagamento a todo o Brasil. Fux remete o tema para os dois conselhos, para que possam fazer a regulamentação de acordo com sua decisão.

Segundo o ministro, o fim do pagamento do auxílio só deverá ser cassado quando o reajuste salarial chegar ao contracheque dos magistrados.

Fux explicou que a decisão não afeta os servidores públicos de outras carreiras que recebem o auxílio-moradia com base no Estatuto dos Servidores Públicos Federais (Lei 8.112/1990).

"Aplicando-se tais premissas à hipótese vertente, é de se reconhecer, diante do quadro de crise profunda pelo qual o Estado brasileiro está passando e a recomposição dos subsídios, a impossibilidade prática do pagamento do auxílio-moradia nos moldes em que inicialmente fora deferido aos magistrados e às carreiras jurídicas que, por simetria, percebem a parcela indenizatória em conjunto com a majoração do subsídio resultante do recente reajuste sancionado (Leis n.º 13.752/2018 e n.º 13.753/2018), terminando por acarretar impactos orçamentários insustentáveis", afirmou.

Matérias Relacionadas

Política

Deputada é cassada por pagar tratamento estético com dinheiro público

Cirurgião-dentista diz que recebeu R$ 9 mil pela harmonização facial
Deputada é cassada por pagar tratamento estético com dinheiro público
Política

Quatro prefeitos de SC são presos em operação contra corrupção

Santa Catarina tem 27 prefeitos presos em quatro anos
Quatro prefeitos de SC são presos em operação contra corrupção
Política

Municípios da região de Jaraguá do Sul vão receber R$ 2 milhões em emendas

 Os recursos são fruto de emendas impositivas do deputado Dr. Vicente Caropreso (PSDB) e já estão à disposição das prefeituras
Municípios da região de Jaraguá do Sul vão receber R$ 2 milhões em emendas
Política

Deputado Lunelli destaca ações do primeiro semestre no Legislativo 

Somente neste ano, o parlamentar destinou R$ 16,6 milhões em emendas para diferentes municípios catarinenses
Deputado Lunelli destaca ações do primeiro semestre no Legislativo 
Ver mais de Política