POLÍTICA

Em crise com servidores, TJ-MG paga salário acima do teto para 1.309 magistrados

26 Mar 2019 - 16h43Por André Borges

Em plena crise com seus 18 mil servidores, que cobram um reajuste de 2,9% para recomposição salarial do ano passado, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) somou, em sua folha de pagamento de fevereiro, nada menos que 1.309 magistrados - juízes e desembargadores - com rendimento líquido acima do teto constitucional de R$ 39.293,32. Trata-se de 85% dos magistrados do tribunal, que emprega um total de 1.537 juízes ou desembargadores.

A folha de pagamento de fevereiro superou a de janeiro, quando 558 magistrados também receberam salários líquidos que superam o valor máximo fixado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e sancionado pela Presidência da República.

No caso de 75 magistrados, em especial, o mês de fevereiro reservou um rendimento líquido acima do dobro do teto (R$ 78.586,64). Nesta lista estava, por exemplo, o desembargador Renato Luís Dresch, que determinou, no dia 22, a suspensão imediata do movimento grevista iniciado pelos servidores de 2ª Instância do TJMG no último dia 19. Dresch, que criticou a crise financeira de Minas Gerais e disse que era um "privilégio" os servidores da Justiça receberem seus salários em dia, recebeu salário de R$ 89.586 no mês passado.

O Sindicato dos Servidores da Justiça de 2.ª Instância do Estado de Minas Gerais (Sinjus-MG) acatou a liminar. Na próxima quinta-feira, 28, haverá uma audiência de conciliação com os servidores, para tentar um acordo. Os funcionários cobram a recomposição salarial com a inflação de 2018, de 2,9%, e o pagamento de um auxílio-saúde, que já foi definido em uma ajuda de custo entre R$ 200 e R$ 300 por mês, conforme o tempo de trabalho de cada servidor.

O principal motivo dos salários explosivos dos magistrados são as chamadas "vantagens eventuais". Eles recebem abono constitucional de 1/3 de férias, indenização de férias regulamentares e de férias premio, além de antecipação de férias, gratificação natalina, antecipação de gratificação natalina, serviço extraordinário, substituição, pagamentos retroativos, auxílio livro, entre outros. Contam com 60 dias de férias anuais e outros três meses que podem retirar, a cada cinco anos.

Entre 2018 e 2019, o valor total orçado no TJ-MG para pagamento dos servidores da ativa cresceu 6,3% em relação ao ano anterior, enquanto o valor destinado aos magistrados da ativa cresceu 36,1%, isso sem considerar os auxílios. As chamada "Outras Despesas Variáveis (Férias-Prêmio), por exemplo, cresceram em 885% para os magistrados da ativa.

"O Sinjus-MG está cumprindo a liminar de suspensão da greve, mas manterá estado de greve, o que significa manter a base mobilizada para nova deflagração a qualquer momento", declarou o órgão.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Política

MDB começa roteiro para escolha de candidato ao governo de SC

Sigla passa nesta sexta-feira e sábado pelas regionais de Jaraguá do Sul, Mafra, Canoinhas, Joinville
MDB começa roteiro para escolha de candidato ao governo de SC
Política

Tragédia no Oeste provoca debate sobre segurança em CMEIs na Câmara de Jaraguá

Vereadores trataram do assunto na sessão de terça-feira (4)
Tragédia no Oeste provoca debate sobre segurança em CMEIs na Câmara de Jaraguá
Política

Administração de Schroeder presta contas dos primeiros 100 dias de gestão

Durante o encontro, os associados da Acias fizeram alguns questionamentos e foram prontamente esclarecidos
Administração de Schroeder presta contas dos primeiros 100 dias de gestão
Política

Assinada ordem de serviço para obras de arte na BR-280, em Guaramirim

O ato ocorreu na manhã desta terça-feira (4) com a presença da governadora Daniela Reinehr
 Assinada ordem de serviço para obras de arte na BR-280, em Guaramirim
Ver mais de Política