Joaçaba Pneus
POLÍTICA

Dallagnol: estamos diante de uma decisão que põe em risco existência da Lava Jato

19 Dez 2018 - 16h26Por Mateus Fagundes e Clarissa Oliveira

O procurador Deltan Dallagnol, da força-tarefa da Lava Jato, criticou nesta quarta-feira, 19, a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), de suspender a prisão após condenação em segunda instância. Para ele, ela coloca em risco a própria existência da Operação. Ele disse ainda crer que o STF vai revogar a decisão do ministro Marco Aurélio.

"Entendemos que esta é uma decisão isolada, monocrática, que não vai resistir a uma análise do colegiado do Supremo", disse Dallagnol, em coletiva de imprensa em Curitiba (PR). "Estamos reiterando a confiança na instituição Supremo e que o Supremo vai reverter esta decisão em tempo hábil."

Para Dallagnol, a Procuradoria-Geral da República vai ter atuação diligente no assunto. Ele disse ainda que a decisão de Marco Aurélio põe em risco todas as prisões em segunda instância, e não se restringe apenas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde 7 de abril em Curitiba.

Dallagnol, afirmou que "foge dos parâmetros" do Supremo a decisão de Marco Aurélio e que ela vai "contra o espírito de fim da impunidade que hoje inspira a sociedade".

Apoio

Dallagnol pediu ainda o apoio do STF à Operação. "Nós precisamos que o Supremo continue a apoiar as investigações por palavras e votos. Precisamos que respeite seus próprios precedentes", afirmou. "Esta decisão tem efeitos catastróficos sobre a eficiência da Justiça penal", disse.

O procurador disse ainda estar "cansado" de reviravoltas no mundo jurídico. "Elas atrapalham o nosso trabalho. Nós carecemos de um sistema de Justiça efetivo e que tenha previsibilidade", afirmou.

Dallagnol repetiu, ao fim da coletiva, ter "confiança" que o STF revogue a decisão de Marco Aurélio de forma "diligente".

O procurador Diogo Castor, que concedeu a entrevista ao lado de Dallagnol, foi mais enfático. "Não me parece razoável decisão monocrática no último dia", disse.

Ao criticar a decisão, o também procurador Roberson Pozzobon disse que o Supremo "talhou em pedra" a decisão sobre a prisão em segunda instância. Ele disse ainda que isso pode fazer com que se soltem "réus violentos" e ao menos 35 pessoas incriminadas pela Lava Jato.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Política

Vereadores mirins de Jaraguá iniciam curso de argumentação e oratória

O evento acontece de forma online e ainda conta com mais duas datas nos dias 21 e 28 de junho.
Vereadores mirins de Jaraguá iniciam curso de argumentação e oratória
Política

Dário Berger pede afastamento provisório de Celso Maldaner da presidência do MDB

Na quinta-feira (17), os líderes da sigla participam de reunião em Florianópolis
Dário Berger pede afastamento provisório de Celso Maldaner da presidência do MDB
Política

Vereadora sugere doação de móveis entregues no PEV a famílias carentes 

A ideia é criar um cadastro de entidades filantrópicas e igrejas que possam fazer a ligação entre o PEV e as famílias.
Vereadora sugere doação de móveis entregues no PEV a famílias carentes 
Política

Com diferença de 16 votos, Irone Duarte é eleito prefeito de Petrolândia

O novo pleito foi realizado porque a chapa mais votada nas Eleições Municipais de 2020 teve o registro de candidatura negado pela Justiça Eleitoral
Com diferença de 16 votos, Irone Duarte é eleito prefeito de Petrolândia
Ver mais de Política