Jaraguá do Sul

Câmara de Jaraguá do Sul rejeita projeto que obrigava vereador a renunciar para assumir cargo de secretário na Prefeitura

A votação teve seis votos favoráveis e quatro contrários

04 Set 2019 - 14h42Por Da Redação
Câmara de Jaraguá do Sul rejeita projeto que obrigava vereador a renunciar para assumir cargo de secretário na Prefeitura - Crédito: Ilustrativa Crédito: Ilustrativa

Na sessão desta terça-feira (3), os vereadores de Jaraguá do Sul, acataram em votação única, por seis votos favoráveis e quatro contrários, o parecer contrário da Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final, ao Projeto de Emenda à Lei Orgânica Municipal nº 1/2019, de autoria de Ademar Braz Winter, Anderson Kassner, Arlindo Rincos, Celestino Klinkoski, Isair Moser e Ronaldo Magal, que buscava alterar dispositivos da Lei Orgânica, proibindo vereador de assumir cargo de secretário municipal, estadual ou equivalente, sem antes, renunciar ao mandato na Câmara Municipal.

A proposta valeria a partir de 2021. Atualmente vereadores podem licenciar-se dos mandados, assumindo cargos de secretários municipais.

No parecer contrário da Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final, é citado o inciso I do artigo 56 da Constituição Federal, que diz “tratar-se de direito constitucionalmente regrado, não necessitando o vereador de autorização para tal”. Na tribuna, os vereadores registraram opiniões diferentes sobre a proposta.

“É uma proposta inconstitucional diz o parecer da comissão e jurídico da Casa. Fere a simetria das leis. Nós não podemos mudar isso”, lembrou Pedro Garcia. O propositor Arlindo Rincos, defendeu que, “nós podemos ser exemplo com esta aprovação. Valorizar quem apostou no vereador eleito”.

“Não depende de seguir a lei federal, mas sim da opinião de cada um aqui”, disse Jeferson de Oliveira. Já Celestino Klinkoski, frisou que, “pode ser moral, mas é inconstitucional (o Projeto de Emenda a LOM). Nós não podemos infringir a Constituição Federal, agir na inconstitucionalidade. No ano que vem os eleitores vão decidir” .

“Queremos esta mudança? Comecemos por Brasília. Se é inconstitucional, não podemos criar expectativas falsas na população. A legislação dá esse direito ao vereador. Vamos cobrar dos parlamentares que nos representam nas esferas maiores”, pontuou Jackson José de Avila.

Votaram favoráveis ao parecer, os vereadores Celestino Klinkoski, Eugênio José Juraszek, Jackson José de Avila, Jeferson Luís de Oliveira, Norbert Voigt e Pedro Garcia. Foram contrários, os vereadores Amarildo José Batista, Anderson Kassner, Arlindo Rincos e Isair Moser.


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp!

Matérias Relacionadas

Jaraguá do Sul

Francisco Alves assume cadeira no Legislativo jaraguaense

Francisco Alves assume cadeira no Legislativo jaraguaense
Jaraguá

Vereador Juraszek fará reunião por fábrica de fraldas

A intenção é que o modelo seja replicado em Jaraguá e que gere uma economia de cerca de R$ 50 mil na compra de fraldas pela Prefeitura jaraguaense.
Vereador Juraszek fará reunião por fábrica de fraldas
Política

Vereadores rejeitam projeto que pretendia implantar Código Ética na Câmara de Jaraguá

A proposta recebeu cinco votos favoráveis (Anderson Kassner, Celestino Klinkoski , Eugênio José Juraszek, Marcelindo Carlos Gruner e Pedro Anacleto Garcia), quatro abstenções (Arlindo Rincos, Isair Moser, Ronaldo Magal e Rogério Jung) e um voto contrário
Vereadores rejeitam projeto que pretendia implantar Código Ética na Câmara de Jaraguá
Política

Bolsonaro anuncia saída do PSL e criação da Aliança pelo Brasil

Bolsonaro anuncia saída do PSL e criação da Aliança pelo Brasil
Ver mais de Política