dengue
Política

Audiência pública mobiliza os jaraguaenses

29 Mar 2011 - 18h48


29/03/2011
Das 37 pessoas inscritas para manifestarem na audiência pública sobre o aumento de vagas na Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul, 32 conseguiram se pronunciar nas duas horas de debate, na noite desta segunda-feira. O auditório do Sindicato do Vestuarista ficou lotado e muitas pessoas voltaram para casa sem conseguir acompanhar a audiência. A Jaraguá AM transmitiu o debate, primeiramente pela internet por causa da Voz do Brasil e, a partir das 20h, também ao vivo.


Antes de iniciar a audiência pública, o proponente, Ademar Possamai, do DEM, declarou a importância deste momento para a política de Jaraguá do Sul. De acordo com ele, a audiência é um ato de amadurecimento político da população jaraguaense. Sobre a possibilidade de influenciar o voto, Possamai disse que é termômetro, que pode fazer o vereador a mudar de opinião no momento de votar e serve de embasamento para avaliar melhor a proposta.

Às 19h34 o presidente da Câmara de Vereadores, Jaime Negherbon, abriu a audiência pública, passando a palavra ao vereador Ademar Possamai. Este informou os trâmites da audiência e agradeceu a presença dos representantes das entidades que se mobilizaram contra ou a favor o Projeto de Emenda à Lei Orgânica e contou a história desde 1988 até 2009 sobre o número de cadeiras nos Legislativos, conforme a Constituição Brasileira.

A maioria das manifestações da população foi focada nos argumentos para convencer os vereadores e o público nas suas defesas. Os vereadores não puderam se manifestar na tribuna, porque já têm a oportunidade de votar a matéria em sessão ordinária do Legislativo. O vereador Ademar Braz Winter não compareceu por ter tido alta médica nesta segunda-feira e ainda estar debilitado.

O primeiro a se manifestar foi o presidente da União Jaraguaense das Associações de Moradores, Agostinho Zimmermann, seguindo do presidente da OAB, Rafael Rocha Lopes; do presidente do Centro Empresarial, Durval Marcatto, o do DCE, Luiz Fernando Medeiros; o sindicalista Sérgio Eccel; e a representante do Centro de Direitos Humanos.

Depois, a tribuna foi liberada para o público em geral, também inscrito antecipadamente. O empresário Aldo Pavanello foi o primeiro a se pronunciar no segundo bloco. Ele disse que a noite de ontem foi um marco na história de Jaraguá do Sul. E foi aplaudido ao fazer alguns questionamentos.

[jwplayer mediaid="94063"]

Vilmar Dellagnolo, presidente do Santa Luzia e suplente de vereador do Partido dos Trabalhadores, disse porque é a favor do aumento no número de cadeiras na Câmara.

[jwplayer mediaid="94061"]

Cristiane Balduino, presidente da Associação de Moradores do Boa Vista, deu um recado para os vereadores.

[jwplayer mediaid="94059"]

José Costa, morador do Estrada Nova, opinou sobre o tema.

[jwplayer mediaid="94067"]

O representante do Partido Verde, Carlos Cesar Pedrotti, antecipou o voto do vereador do partido, dizendo ser favorável ao aumento no número de vagas.

[jwplayer mediaid="94065"]

O líder comunitário do Rio da Luz, Anoar Batistti, convocou os vereadores para estarem nesta manhã, às 8h, numa manifestação no bairro Rio da Luz.

[jwplayer mediaid="94069"]

Gilmar Possamai também se pronunciou.

[jwplayer mediaid="94073"]

Sergio Silmar Perotti disse que não se elege um vereador pensando no que ele irá ganhar.

[jwplayer mediaid="94071"]

Wanderlei Passold, presidente da CDL, se posicionou pela manutenção do número de vereadores.

[jwplayer mediaid="94057"]

Ao final da audiência, a reportagem da Jaraguá AM ouviu o vereador Ademar Possamai, sobre os resultados do encontro. Ouça um trecho da avaliação.

[jwplayer mediaid="94055"]

O presidente do DCE da Unerj, Luiz Fernando Medeiros, também avaliou como positiva a audiência pública e o amadurecimento político dos jaraguaenses. O presidente do Centro Empresarial de Jaraguá do Sul, Durval Marcatto Junior, disse ter saído satisfeito da audiência pública e explica os motivos.

 

Os depoimentos

21h34 - Airton Sudbrack. "Este livro que aqui está é a Constituição da República. Muita gente morreu para que estivéssemos aqui, aplaudindo ou vaiando. Em duas, não é possível fazermos uma audiência pública para discutir assunto tão importante." (discorreu sobre assunto considerado fora do tema e teve o microfone cortado pela presidência da audiência pública).

21h32 - Wanderlei Passold - presidente da CDL. "Todos têm o direito de se manifestar. Façamos uma reflexão sobre os últimos grandes investimentos feitos em Jaraguá do Sul? O que precisamos é que este dinheiro seja bem investido. Achamos que o investimento que sobra da Câmara de Vereadores seja investido em saúde, porque tem pessoas que vão aos hospitais e demoram horas para ser atendidas, porque não têm médicos. Apostamos que 11 vereadores têm capacidade de fiscalizar e fazer com que o município cresça".

21h30 - Sergio Silmar Perotti. "Não se elege um vereador pelo que ele ganha, mas pelo que ele faz. Se a lei prevê 19, vamos colocar 19. A cidade cresce e precisamos de representantes. Deixa o povo eleger a sua mesa".

21h21 - Valdecir Fernandes. "Os senhores sabem o que é feito com o excedente da Câmara? Moro num bairro onde um vereador não foi eleito por meio voto. Morro num bairro onde tivemos que pegar a enxada e abrir a estrada por que estávamos a três dias sem poder sair de casa. Moro num bairro onde as pessoas precisam de representatividade. Sou favorável ao aumento no número de vereadores".

21h23 - Iria Milk. "Em Mirim Doce, na cidade que eu nasci, tem 2.500 habitantes e nove vereadores. Todos trabalham pelo município. Aqui, acho que seria bom 15". 21h24 - Gilmar Possamai. "Os 11 que aqui estão, ganharam para representar um município e não um bairro. Jaraguá do Sul está desabando desde 2008 e, seria importante ter este recurso para aplicar na melhoria da nossa cidade".

21h25 - Carlos Nielsen - Associação da Barra do Rio Cerro. "Trata-se de uma manobra política na nossa cidade. O assunto foi levantado no momento mais crítico da nossa cidade, que está de pernas pro ar. O momento é inoportuno para discutir o assunto. Tem muito tempo para discutir esta polêmica. Quando eles estavam pensando em fazer esta manobra, eu estava discutindo com os moradores do meu bairro para debater o problema das enchentes. Porque não acordamos, como hoje à noite, para buscarmos recursos para a reconstrução de Jaraguá do Sul. Isso é democracia. Faço parte deste discurso que está aqui. Vamos deixar o discurso para mais tarde e resolver o assunto Jaraguá do Sul que está desleixada. É a casa do faroeste. Todo mundo manda e ninguém faz.

21h20 - Narcisio Ferreira da Cruz."Nunca fui e nunca serei candidato a vereador. Defendo que se aumente. Não vou me atear a valores e números, porque senão, teríamos que falar em nepotismo e outros assuntos. Acho importante o DCE fazer este movimento, porque este momento faz eu refletir como é bom ter democracia neste país, porque eu sofri na ditadura, junto com meu pai. Como é bom ter democracia. Eu ando para frente e convido esta juventude para que a gente fosse fazer uma vaia na frente da WEG, quando os ônibus da Canarinho desembarcam 84 trabalhadores por veículo. É só me chamar".

21h17 - Romeu Pereira Júnior. "Já disse um poeta certa vez, que: infeliz é desgraçado o governo que não ouve a sua população. Esses governos que não ouvem a população têm um preço alto a pagar. Porque fica emperrada. Eu sou favorável a manutenção dos 11 vereadores. Todas as justificativas já foram lançadas aqui. Não esqueçam e não fechem os olhos para o movimento que está acontecendo hoje aqui em Jaraguá do Sul. Temos um processo político continuo, que se faz da base para o topo. Vereadores, façam uma reflexão em 20123, sobre isso que está se passando aqui, porque poderão não ser convidados para a festa".

21h15 - Anoar Batistti, líder comunitário do Rio da Luz. "Vocês, assim como eu, e todos os cidadãos de Jaraguá do Sul querem o fim da má aplicação do dinheiro público e, por isso, estão de parabéns. Nós queremos que seja melhor investido o dinheiro e, estamos falando de coletividade. Agora, pessoal, contra os 19 vereadores. Amanhã, 8h, nós vamos estar numa ponte em frente a empresa Nanete, que está sendo construída e esta sendo mal investido o dinheiro. Os moradores vão estar lá. Eu conclamo vocês para nós fazermos um roteiro onde está sendo investido dinheiro público e ninguém está vendo. Convidar a discutir sobre o transporte coletivo de Jaraguá do Sul. Nós somos lesados neste transporte todo o dia. Eu gostaria de discutir sobre as casas populares do Rio da Luz, das vagas nas creches e tem uma infinidade de assuntos".

21h09 - Carlos Cesar Pedrotti, representante do Partido Verde. "O que mais se ouve entre os moradores é a seguinte frase: aonde estão os vereadores da nossa cidade? O que o vereador fez pelo nosso bairro? A falta de representatividade é unânime. Os vereadores não fazem obras. Eles fiscalizam e fazem leis, como a Lei Orgânica do Município, que é a constituição municipal. Eles trabalham em função da melhoria da qualidade de vida do povo. Eles recebem a população, ouvem os pedidos e são os mediadores entre o Executivo e a comunidade. Nós deveríamos receber a notícia que podemos ter 19 vereadores com alegria. Com 19, a população seria melhor representada. Vamos falar de ética, moral e transparência? O que se faz com o orçamento? Ir contra o censo popular, requer muita coragem e é por isso que o Partido Verde defende o aumento, mas respeita a opinião da população".

21h03 - João Mafra. Moro na Jorge Czerniewicz, perto de um vereador. Há 12 anos, eu era do PSDB. Sempre defendia que era precisa melhorar o trânsito da cidade. Envolve muito dinheiro. Eu amo e vive crescer esta cidade. Para mim, é demais 11 vereadores. Pelo amor de Deus, façam alguma coisa por Jaraguá. Vocês, vereadores, tem que ser mais eficientes.

21h01 - José Renato Montovani. "A gente precisa maior participação popular, como nós estamos vendo agora. Acho que as associações de moradores deveriam ser melhoras, que são usadas pelos políticos para fazer campanha. Porque estes sim podem representar a população que se escondem atrás delas. Aos partidos políticos, é claro, que para eles é interessante aumentar, porque aumenta o número de cabos eleitorais dos deputados e senadores. Quanto mais melhor. Se vocês fossem questionar o povo, tenho certeza que iriam pedir para reduzir, porque eles nem sonham em ganhar o que os senhores ganham. Os 11 está de bom tamanho. Nós queremos o enxugamento da máquina e a melhor aplicação dos recursos".

20h57 - Tiago Coelho - Núcleo dos Jovens Empreendedores. "O processo é legitimo. Nós estamos falando de quase R$ 7 milhões que podem voltar ao Executivo e serem aplicados em obras. Estamos vendo a prefeita passando o chapéu nos órgãos públicos para recuperar os estragos das enchentes, o que os vereadores podem fazer é fiscalizar para que o dinheiro seja aplicado realmente. Primeiro, qualidade nas ações e nos projetos dos senhores e depois se discute o aumento no número de vereadores".


20h55 - Ediane Sanches. "É muito bom poder expressar a minha opinião. Não estou convencida que 19 é o ideal. Tem muitas perguntas que faço e não tenho respostas. Uma é porque os pais tem que pagar escolhas públicas? Eu já vi em Jaraguá do Sul, pais impedidos de colocar os filhos nas creches por não tem R$ 100,00 para doar à creche. Me coloco a disposição de mudar de opinião".

20h52 - Edson Roberto Schmidt - morador do centro e presidente da Apevi. "Somos contra, porque aumentará os gastos. (e pediu para quem fosse contra, levantasse a mão). Não precisa dizer mais nada".

20h51 - José Costa - do Estrada Nova. "Sou contra, pois aumentará os gastos com o Legislativo em mais de 70%, ultrapassando R$ 5 milhões, que poderiam ser usados em construções de casas, creches, asfaltamentos de ruas. É demagogia dizer que aumentando o número de vereadores, não aumentará os gastos. A maioria dos que defende o aumento, estão preocupados em defender sua possível eleição ou reeleição. Em São Paulo, com 12 milhões de habitantes, tem 55 vereadores, enquanto nós queremos chegar a 19".

20h48 - Zé Padre - ex-vereador. "Quero saber dos companheiros e companheiras que estão aqui, como se procede? Audiências públicas aconteceram quando tínhamos 19 vereadores, como a do cartão Jaraguá e a do lixão. Nós fizemos um trabalho importante com 19 vereadores. 134 anos da cidade e não se tinha uma lei que trata-se do trabalho das funerárias. Agora, tem uma lei, porque foi a legislatura de 19 vereadores que debate e votou. Agora tem entendimento, mas não querem entender que é necessário 19 vereadores. Se tivesse 19 vereadores, alguém seria sido eleito e ido ver a aplicação de várias leis, como a da segurança alimentar e outras que beneficiam os trabalhadores. Com 19, dá para se fazer muito mais. Respeito a opinião de vocês, mas defendo 19 vereadores.

20h44 - Cristiane Balduino, presidente da Associação de Moradores do Boa Vista. "Gostaria de solicitar uma sessão itinerante junto aos moradores do Boa Vista, que ajudam a construir Jaraguá do Sul. Ao se falar no aumento nas vagas, estamos falando em aumento de representatividade? Se tivermos 19, teremos os mesmos nomes. Nós precisamos de vereadores atuantes e comprometidos com a comunidade, com ética e postura. Nós, da Associaçaõ de Moradores do Boa Vista, queremos 11 honestos e honrados. Muitos sabem que será difícil o seu retorno na próxima legislatura.

20h41 - Antonio Carlos Borges. "Deve ficar nos 11 vereadores. Pode aumentar 15% a 20% dos salários dos atuais, mas com qualidade".

20h38 - Deni Rateke, gerente regional de educação e inscrita como moradora da Vila Lenzi. "Democracia e mais representações tem custos, sim. É preciso afastar um pouco este preconceito de gastar mal e se fazer mal trabalho. Isso desgasta cada vez mais o serviço público. Isso não é justo. Nós precisamos de mais representação. Vamos pensar a favor de 19 vereadores. Jaraguá e a sociedade precisam".

20h37 - Ex-sindicalista e assessor de vereador, Riolando Petry. "Estou aqui em nome do PT de Jaraguá do Sul, que eu sou presidente. Foi o primeiro partido a defender a composição para 19 vereadores como Jaraguá já tinha. Passamos anos com 15 vereadores, depois para 19 e depois reduzido. O PT defende a volta. Hoje, teríamos um vereador no Jaraguá 84, um no Santa Luzia, no Jaraguá 84, no Amizade, na Vila Lenzi. Vamos pensar Jaraguá do Sul grande e representativa. Vamos pensar numa sede nova para o Legislativo. Não comprar prédios velhos, como fez a Prefeitura em comprar prédios velhos de uma empresa falida. Vamos pensar na oportunidade de mais candidatos fazer a disputa e ocupar estes espaços. Hoje, se Jaraguá do Sul tivesse 19 vereadores, não teríamos uma Câmara de Vereadores elitizada como está".

20h32 - Vilmar Dellagnolo, presidente do Santa Luzia e suplente de Vereador. "Nós lá da longínqua Santa Luzia, estávamos até comemorando, desde a aprovação da PEC. Porém, já não estamos mais tão felizes, porque com a manifestação, se apaga uma luz no fim do túnel, que era a possibilidade de elegermos um vereador da nossa região, oficial do Santa Luzia, coisa que nós não temos ninguém que representa toda a região até o bairro Vieira. Não concordo que seria uma gastança do dinheiro público. Todos os anos sobra dinheiro que é devolvido para o Executivo e a comunidade do interior continua esquecida. Por causa da baixa densidade eleitoral, o interior não consegue eleger um vereador. Se votarem não, deixaram desiludidos milhares de moradores do interior".

20h28 - Nivaldo Alves Ribeiros, da Tifa dos Húngaros. "Eu sou estou estranhando, porque já ouvi em outras oportunidades, onde as pessoas falavam e eram ouvidas e não um vale tudo. Eu sou de um bairro, onde tem um estigma: morro no Jaraguá 84, com orgulho. E digo, quem sabe tem falhas dos vereadores e a municipalidade não conhecem os moradores. Eu entro na casa das pessoas que têm necessidades no meu bairro e também, qual é a vontade deles, que é a de ter representatividade e alguém que defenda o valor deles e a sua dignidade. Eu venho aqui para aquelas pessoas que são a grande maioria em Jaraguá do Sul, que trabalham para os empresários que nos exploram. São necessidades de vida, urgentes e, por estas pessoas, eu digo e repito que sou favorável a 19, mas, se pudesse mais para ter um representante no meu bairro e também seria favorável".

20h24 - Presidente da Associação de Moradores do Três Rios do Norte, Dion Carlos Medeiros. "Quero agradecer a Câmara de Vereadores por colocar em debate um assunto tão importante quanto este. Eu não sou advogado e não tenho o uso da palavra e, em 2002 se gastava a mesma coisa que hoje, com 19 naquela época. O povo não tem a inteligência que alguns têm. Com 19 vereadores, eu quero ver tanta secretaria aberta para vereadores. R$ 7 milhões foram devolvidos para a Prefeitura e para onde foi este dinheiro?"

20h21 - Adilson Braum, presidente do bairro Jaraguá 84. "A hora que Jaraguá do Sul trabalhar unido, sem puxação de tapete, vai funcionar melhor. Nós, que somos favorável ao aumento no número de vereadores, não estamos vaiando quem é contra o aumento. Hoje, a população dos bairros do Sul da cidade, não temos representatividade no Legislativo. Eu acredito que é importante o aumento no número de vereadores. É mentira que terá mais gastos na Câmara de Vereadores. Os 6% do orçamento vem para a Câmara, com 11 ou 19. Se nós trabalhássemos respeitando as leis, trabalharíamos melhor".

20h18 - O publicitário Paulo Tavernart. "Não se legisla em uma Câmara de Vereadores como se faz em uma empresa. 19, pra mim não. Façam o seu trabalho com qualidade. Meus amigos, muito obrigado pela sua atenção. Jaraguá do Sul tem inteligência. Por favor, 19 não. Mantenham os 11.

20h15 - O empresário Aldo Pavanello foi o primeiro a se pronunciar no segundo bloco. Ele disse que o dia de hoje é um marco na história de Jaraguá do Sul. "Se nossa casa de leis fosse formada por pessoas idôneas, nove seriam suficientes. Alguns dos nossos vereadores não só nos enganam como nos omitem a verdade sobre o orçamento da Câmara de Vereadores. Afinal, a Câmara de Vereadores é uma casa legislativa ou de conchavos e negociatas? Querem aumentar o número de vereadores, poderíamos concordas, terminando com a reeleição e pegar o salário dos atuais e dividir pelos 19. Nós só teremos boas legislaturas quando tivermos bons legisladores.

20h12 - A representante do Centro de Direitos Humanos, Sonia Maria, disse ser a favor do aumento. Começou o discurso falando sobre o que disse o presidente da OAB, sobre os problemas da cidade, "que são atribuições do Executivo". Aqui, eu sou representada por um vereador junto com 13 mil habitantes, enquanto que em Guaramirim, um vereador representa pouco mais de três mil habitantes. Não podemos pensar pequeno. Lutamos tantos por democracia e agora o que estamos fazendo com ela? Agora podem vaiar (pediu), porque eu sou a favor do aumento no número de vereadores. (e foi vaiada)

20h08 - O sindicalista Sérgio Eccel representou os sindicatos de trabalhadores de Jaraguá do Sul. "Eu entendo que o debate é de grande importância. De uma população de 143 mil habitantes, tem 300 a 400 pessoas aqui, o que é importante, também o grande número de mulheres. Temos o exemplo de apenas uma mulher na Câmara de Vereadores. Nós entendemos que a questão da representatividade é importante. Temos muitos bairros distantes e populosos, que não têm representantes. Precisamos debater também a qualidade de vereadores. Quem vai eleger os representantes é o povo e não as entidades que eles representam. Precisamos pensar numa formação. Jaraguá do Sul merece, sim, ser maior e não retroceder.

20h04 - O presidente do DCE, Luiz Fernando Medeiros, disse que defende o debate sobre o tema. Queremos que sejam claros os argumentos da Câmara de Vereadores. Pois, se não houve a manifestação da comunidade, com certeza, esta audiência não seria realizada. Mais clareza ao discutir os assuntos de interesse da comunidade. O espaço físico da Câmara de Vereadores vai comportar mais oito vereadores? A Câmara tem caixa que suporte estas adequações ou a população pagará a conta? Existe a necessidade de aumento do quadro de vereadores? Precisamos avaliar isto antes que seja votado o projeto. Estamos vivendo um marco histórico político em Jaraguá do Sul. Peço a todos os cidadãos que façam uma reflexão sobre o assunto.

20h - O presidente do Centro Empresarial, Durval Marcatto, começou falando sobre a carga tributária. "Tudo o que consumimos, tem em média 35% de impostos. Esta carga tributária corrói o poder de compra da população. Para onde vai a maior parte destes recursos recolhidos? Para bancar a inchada máquina pública. Nós temos a grande oportunidade de fazer diferente. A mensagem que os jaraguasulenses estão mandando aos políticos é que estamos cansados de pagar tantos impostos. Vamos mostrar que somos mobilizados e que somos exemplo na gestão pública.

19h56 - O presidente da OAB, Rafael Rocha Lopes, disse concordar com o aumento no número de vereadores, "desde que não haja mais brigas por vagas nas creches e escolas, que haja linhas de ônibus para todos. Concordo, entre outras coisas, que não tenhamos ruas esburacadas, que não tenhamos que nos preocupar com o nepotismo nos órgãos públicos. Eu venho em tom conciliador e pensando em prol da sociedade e do povo trabalhador. Eu discordo que ter mais vereadores é ter mais representatividade. Não são mais nove vereadores que vão aumentar a representatividade. Dizem que vai ser mais difícil cooptar os vereadores. E aí estamos falando em caráter e não em qualidade". Foi aplaudido várias vezes.

19h52 - O primeiro a se manifestar foi o presidente da União Jaraguaense das Associações de Moradores, Agostinho Zimmermann. Diz que o aumento de cadeiras na Câmara é importante para o espaço das lideranças comunitárias. "Estamos otimistas que os vereadores vão entender desta forma. Não concordo com a justificativa de que é a questão econômica da Câmara de Vereadores que está pesando nesta decisão. A nossa posição é favorável ao aumento e, futuramente, avançar no número de representação", disse. Ao falar isto, foi vaiado.

19h47 - Agostinho Zimmermann, da Ujam, é o primeiro a se manifestar.

19h47 - O vereador Ademar Braz Winter não compareceu por ter tido alta médica nesta segunda-feira e ainda estar debilitado.

19h46 - As manifestações da população ocorreram por escrito, sendo focadas nos argumentos para convencer os vereadores e o público nas suas defesas. Os vereadores não puderam se manifestar na tribuna, porque já têm a oportunidade de votar a matéria em sessão ordinária do Legislativo. No primeiro bloco, acontece a manifestação das entidades inscritas. No segundo bloco, as pessoas previamente inscritas são chamadas para falar. O vereador presidente da audiência pública fez a apresentação dos colegas.

19h37 - Às 19h34 o presidente da Câmara de Vereadores, Jaime Negherbon, abriu a audiência pública, passando a palavra ao vereador Ademar Possamai. Este informou os trâmites da audiência e agradeceu a presença dos representantes das entidades que se mobilizaram contra ou a favor o Projeto de Emenda à Lei Orgânica e contou a história desde 1988 até 2009 sobre o número de cadeiras nos Legislativos, conforme a Constituição Brasileira. O mínimo era de nove e o máximo de 21 em municípios com até um milhão de habitantes. Depois, o TSE emitiu uma resolução limitando, a partir de 2004, o número de vagas, conforme tabelas contendo a população de cada município com base no IBGE e o número de vereadores. De 95 mil a 140 mil, igual a 11 vereadores. Depois, em 2009, o Congresso aprovou a Emenda 58 à Constituição, dando nova redação ao assunto, deixando o limite máximo de 19 nos municípios de mais de 120 mil habitantes e até 160 mil habitantes.

19h34 - começa a audiência pública

19h34 - O vereador petista, Justino Pereira da Luz, disse que é importante ouvir a comunidade que ele representa, como os sindicatos e outras que o ajudaram a se eleger. Lembrou do bairro Estrada Nova, onde mora e, que há cinco anos era discriminado pela cidade. "Por estas pessoas, voto sim ao aumento no número de vagas", disse.

19h32 - O presidente da subseção local da Ordem dos Advogados do Brasil, Rafael Rocha Lopes, diz que é de qualidade que o legislativo precisa e não quantidade. "Por causa das chuvas, qualquer recurso que se gaste desnecessariamente fará falta", destaca o presidente da OAB. A vereadora Natália Lúcia Petry também se manifestou e reafirmou que votará contra o aumento no número de vereadores na segunda votação.

19h30 - Luiz Fernando Medeiros, presidente do Diretório Central dos Acadêmicos da Unerj, reforçou que a população não está mais omissa e está mais participativa e fiscalizadora, e os vereadores devem levar isto em consideração. Ele lembrou da mobilização feita junto aos estudantes e que surtiu um efeito positivo. O DCE encaminhou quase 400 e-mails aos acadêmicos com a informação sobre a proposta de Emenda à Lei Orgânica do Município. Mais de 90% dos e-mails foram respondidos com resposta negativa ao aumento. O presidente do DCE também afirma que o momento de amadurecimento faz o Diretório levantar outros debates, como o nepotismo.

19H15 - Antes de iniciar a audiência pública sobre o número de vagas na Câmara de Vereadores, o proponente do debate, Ademar Possamai, do DEM, declarou na Jaraguá AM, a importância deste momento para a política de Jaraguá do Sul. De acordo com ele, a audiência é um ato de amadurecimento político da população jaraguaense. Sobre a possibilidade de influenciar o voto, Possamai disse que é termômetro, que pode fazer o vereador a mudar de opinião no momento de votar e serve de embasamento para avaliar melhor a proposta.

 

NOTÍCIAS ANTERIORES SOBRE A AUDIÊNCIA PÚBLICA

 

A audiência pública sobre o aumento no número de vereadores em Jaraguá do Sul, acontece nesta segunda-feira, dia 28, às 19h30, no auditório do Stivestuário, no centro. Nesta manhã, o presidente da Câmara de Vereadores, Jaime Negherbon, do PMDB, explicou em entrevista na Jaraguá AM, o cronograma da audiência pública, ascrescentando que as pessoas terão três minutos cada para se manifestarem a favor ou contra o aumento no número de vagas no Legisltativo. Jaime disse que Jaraguá do Sul poderá entrar para a história política do Brasil como sendo a primeira cidade a não alterar o número de cadeiras na Câmara, como vem acontecendo na maioria das cidades brasileiras que têm autorização do Congresso Nacional para tal mudança. É forte a corrente que defende a elevação de 11 para 15 vereadores na Câmara Municipal. Ouça a entrevista com o presidente da Câmara.

[jwplayer mediaid="94063"]

Já a vereadora Natália Lúcia Petry, do PSB, também comentou o assunto, reafirmando a posição contrária ao aumento de vagas e destacando que é equivocada a visão sobre o papel do vereador. "Muitas vezes, o vereador é confundido com um fiscal de Obras da Prefeitura". Ouça a entrevista.

[jwplayer mediaid="94061"]

A audiêrncia pública foi proposta pelo vereador Ademar Possamai (DEM), para discutir a proposta de alteração na lei Orgãnica do Município. Como autor do pedido de Audiência Pública, Ademar Possamai será o presidente da mesma, e por esta razão, dirigirá os trabalhos esta noite. Conforme o Possamai, várias reuniões foram efetuadas com funcionários da câmara e os próprios vereadores,para a definição da forma como a Audiência Pública se desenvolverá na noite de hoje.

Único vereador a não assinar a emenda que altera o parágrafo da Lei Orgânica que aumenta o número de vereadores para 19 na próxima legislatura, Possamai, após a aprovação em primeira votação da emenda em plenário, decidiu promover a Audiência Pública para debater com a população o assunto. " É preciso ouvir a população sempre; afinal é ela que tem seus anseios, procura por melhorias.. Além de fiscalizar e legislar, temos esta possibilidade de sermos o elo de ligação entre a comunidade e o poder Executivo e nestes assuntos que normalmente chegam a ser polêmicos, a vontade da população deve ser respeitada; e nada melhor do que uma Audiência Pública, para conhecer com mais eficácia, o que a comunidade quer em relação à esta questão", resume Possamai.

 

Matérias Relacionadas

Política

Partidos vão receber R$ 4,9 bi para campanha nas eleições municipais

PL e PT são as legendas com maior volume de recursos
Partidos vão receber R$ 4,9 bi para campanha nas eleições municipais
Política

Governador lidera comitiva em busca de novas parcerias com Portugal

A viagem está marcada entre os dias 8 e 14 de julho. O objetivo é fortalecer as relações entre o estado e o país europeu, explorando oportunidades de cooperação nas áreas de tecnologia, turismo e comércio
Governador lidera comitiva em busca de novas parcerias com Portugal
Política

Jaraguá do Sul tem 126 mil pessoas aptas a votar nas próximas eleições

Na região do Vale do Itapocu, o número de eleitores chega perto dos 140 mil
Jaraguá do Sul tem 126 mil pessoas aptas a votar nas próximas eleições
Política

Caropreso pede ao Governo do Estado prioridade para pavimentação da Rota Enxaimel

Rodovia liga os municípios de Pomerode e Jaraguá do Sul e abriga um dos principais roteiros turísticos de SC
Caropreso pede ao Governo do Estado prioridade para pavimentação da Rota Enxaimel
Ver mais de Política