Corupá

Cuidados com a Dengue devem ser redobrados em Corupá

Oitavo foco do mosquito Aedes aegypti foi registrado em armadilha no Centro da Cidade

17 Jun 2020 - 13h40Por Da Redação
Cuidados com a Dengue devem ser redobrados em Corupá - Crédito: Divulgação / Prefeitura de Corupá Crédito: Divulgação / Prefeitura de Corupá

Desde janeiro deste ano, Corupá registra oito focos positivos de criadouros de mosquito de Dengue na cidade, o que deixa a Secretaria Municipal de Saúde em estado de atenção. Na terça-feira (16), um novo foco foi confirmado na Rua Hercílio Luz, no Centro, em uma armadilha que já havia sido positivada em outras duas situações. Apesar de nenhum morador ter sido diagnosticado com a doença, é preciso redobrar os cuidados.

Segundo o último boletim epidemiológico divulgado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive-SC) sobre a Dengue, em 30 de maio, a situação no Estado é alarmante. No período de 29 de dezembro de 2019 a 30 de maio de 2020, foram confirmados 6.979 casos de pacientes com Dengue. No mesmo período, os municípios registraram mais de 20 mil focos do mosquito Aedes aegypti. Um dos números considerados mais altos dos últimos anos.

Corupá, conforme o último boletim da Dive-SC, não é considerada uma das cidades infestadas pelo mosquito. Mas o surgimento de novos focos – em sua maioria em armadilhas que são montadas e monitoradas pela própria Vigilância Epidemiológica – causa preocupação.

“Se estão sendo encontradas larvas do mosquito, mesmo que em armadilhas, significa que ele está circulando pela região. Estamos tendo dias com chuva agora, então precisamos redobrar a atenção com recipientes que possam acumular água parada”, explicou a gerente administrativa da Vigilância em Saúde de Corupá, Giovana Odvazny.

O mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya procura por recipientes que possam acumular água parada como criadouros. Os mais comuns são pneus sem uso, latas, garrafas, pratos dos vasos de plantas, caixas d’água descobertas, calhas e piscinas. A fêmea do mosquito pode ainda depositar os ovos nas paredes internas de bebedouros de animais, em ralos desativados, lajes e em plantas como bromélias.

“Por isso é importante a colaboração da população. Se todos cuidarmos em nossas próprias casas, podemos impedir que o mosquito ganhe mais força em nossa cidade. Dê uma boa olhada no terreno de sua residência, no seu jardim. Observe as calhas, ali também é costumeiro ter água parada”, complementou o secretário de Saúde de Corupá, Michael Marques.

Reforço na fiscalização

A Epidemiologia ganhou o reforço de uma agente que ajudará na fiscalização nas áreas do entorno onde os oito focos foram confirmados: é necessário que casas, terrenos e até comércios sejam monitorados numa área de 300 metros.

A equipe ainda conta com a agente de endemia que vistoria a cada sete dias as 67 armadilhas que foram espalhadas pela Secretaria de Saúde por todos os bairros de Corupá. Outros 20 pontos considerados preocupantes, como cemitérios, borracharias e latoarias, são visitados de 15 em 15 dias.

O morador também pode denunciar locais onde há a suspeita de água parada. A Vigilância Epidemiológica de Corupá atende nos telefones (47) 3375-2161 e 3375-134.

Onde foram localizados os focos em Corupá?

3 - vezes em uma armadilha de residência na Rua Hercílio Luz, no Centro.

1 - Armadilha localizada na Avenida Getúlio Vargas, no Centro.

1 - Armadilha localizada na Rua Otto Hillbrecht, no Bomplandt.

1 – Armadilha no bairro Ano Bom.

1 – Foco encontrado em um galão de água em uma residência no bairro Bomplandt.

1 – Armadilha no Corpo de Bombeiros Voluntários, no Centro de Corupá.

Como prevenir?

- Retire o prato de vasos de plantas;

- Dê uma boa olhada em seu jardim e quintal. Observe folhas que possam acumular água, principalmente folhas de coqueiros que costumam cair e que acumulam água da chuva facilmente se ficarem no chão;

- Atenção com bromélia, babosa e outras plantas que acumulam água – faça um jateamento de água nas folhas destas plantas pelo menos uma vez por semana;

- Cheque se tem água parada nas calhas de sua casa;

- Quem tem lagoa em sua propriedade com peixe, não precisa se preocupar. Os peixes costumam comer as larvas dos mosquitos;

- Tampe tonéis e caixas d’água;

- Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;

- Mantenha lixeiras tampadas;

- Deixe ralos limpos e com aplicação de tela;

- Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais;

- Quem tiver piscina muito tempo parada e com água dentro, atenção extra;

-  Retire a água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa.

- Cubra e realize manutenção periódica de áreas de piscinas e de hidromassagem;

- Limpe ralos e canaletas externas;

- Deixe lonas usadas para cobrir objetos bem esticadas, para evitar formação de poças d’água;

- Evite acumular entulho, pois podem se tornar criadouros do mosquito.

Quais são os sintomas da Dengue?

Apesar de nenhum morador ter sido diagnosticado com Dengue em Corupá neste ano, a orientação, caso sentir algum dos sintomas e desconfiar da doença, é procurar por atendimento médico no Pronto-Atendimento 24 horas, orientou o secretário de Saúde. Confira os sintomas mais comuns da doença:

- Febre alta: acima de 38.5ºC;

- Dores musculares intensas;

- Dor ao movimentar os olhos;

- Mal-estar;

- Falta de apetite;

- Dor de cabeça;

- Manchas vermelhas no corpo.

Sintomas alarmantes:

- Dor abdominal intensa e contínua, ou dor à palpação do abdome;

- Vômitos persistentes;

- Acumulação de líquidos (ascites, derrame pleural, derrame pericárdico);

- Sangramento de mucosa ou outra hemorragia;

 - Aumento progressivo do hematócrito;

- Queda abrupta das plaquetas. 

FONTE: MINISTÉRIO DA SAÚDE E DIVE-SC.


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região?CLIQUE AQUIe receba diretono seu WhatsApp! 

Matérias Relacionadas

Geral

1° Festival Cultural do Vale do Itapocu está com inscrições abertas

Até o dia 20 de agosto, os candidatos podem se inscrever gratuitamente, no local designado por cada município participante do Festival: Barra Velha, Corupá, Guaramirim, Massaranduba, São João do Itaperiú e Schroeder
1° Festival Cultural do Vale do Itapocu está com inscrições abertas
Segurança

Mais de 80 carros são removidos ao pátio na operação "Documento Legal" na região

Operação que iniciou no dia 15 de julho segue em toda a região
Mais de 80 carros são removidos ao pátio na operação "Documento Legal" na região
Geral

Livro "No Vale das Cachoeiras" é apresentado durante sessão na Câmara de Corupá

A jornalista e professora Darci Rutsatz usou o Espaço Tribuna Livre, exibiu slides com a história do parque desde a sua fundação e presenteou os vereadores com um exemplar do livro
Livro "No Vale das Cachoeiras" é apresentado durante sessão na Câmara de Corupá
Saúde

Região de Jaraguá do Sul segue em risco gravíssimo para a covid-19

Mapa de Risco, atualizado pelo Governo do Estado, aponta nove regiões em estado grave (cor laranja) e outras sete em nível gravíssimo (cor vermelha).
Região de Jaraguá do Sul segue em risco gravíssimo para a covid-19
Ver mais de Corupá