Dia internacional das Mulheres
INTERNACIONAL

Vaticano anuncia negociações entre o governo e a oposição na Nicarágua

06 Mar 2019 - 15h15

Representantes da oposição e do governo da Nicarágua concordaram na madrugada desta quarta-feira, 6, com as bases de uma negociação para pôr fim à crise política no país, que já dura um ano, com auxílio da Igreja Católica e evangélicos.

Segundo o núncio apostólico do Vaticano na Nicarágua, Waldemar Sommertag, os religiosos serão "testemunhas", das conversas, mas não intermediarão as negociações.

No ano passado, a Igreja Católica liderou um esforço similar, mas as conversas colapsaram depois de o governo reprimir manifestações contra o presidente Daniel Ortega.

"Até agora, as negociações se desenvolveram em um clima de respeito mútuo e busca pelo entendimento", disse Sommertag.

O prazo para um acordo é o dia 28 de março. Um dos primeiros desafios será definir quais itens estarão na agenda de negociações. A oposição, reunida na coalizão Aliança Cívica, exige a libertação de presos políticos e uma reforma eleitoral que antecipe as eleições presidenciais, marcadas para 2021.

Ortega, no poder desde 2007, acusa os manifestantes de planejar um golpe de Estado para derrubá-lo. As repressões aos protestos do ano passado, que começaram com a insatisfação contra uma reforma da previdência apresentada pelos sandinistas, deixou 325 mortos e 2 mil feridos no país. COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Dólar chega a R$ 5,55, mas fecha estável com notícias do exterior

Bolsa de valores sobe 1,35% e volta a superar os 112 mil pontos
Saúde

Senado aprova MP que autoriza crédito de R$ 2,5 bi para Covax Facility

A estimativa é que o Brasil obtenha 10,6 milhões de doses
Saúde

Pesquisadores desenvolvem máscara que inativa coronavírus

A ação do equipamento é devida à presença de um nanofilme de quitosana, na camada intermediária da máscara, substância derivada da casca do camarão
Saúde

Biden determina que estados priorizem vacinação de professores

Pediu ainda que os estados apliquem pelo menos uma dose de imunizante em cada educador até o fim de março.
Ver mais de Mundo