Caraguá
Caraguá
INTERNACIONAL

UE e Reino Unido fecham instrumento com força legal para detalhar Brexit

11 Mar 2019 - 21h12Por Gabriel Bueno da Costa

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, anunciou em entrevista coletiva ao lado da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, que as partes chegaram a um acordo nesta segunda-feira sobre um instrumento com valor legal para esclarecer o acordo para a saída do país da União Europeia, o Brexit. Segundo Juncker, o instrumento garante que acordos alternativos serão buscados para estabelecer o quadro na fronteira entre a Irlanda e a Irlanda do Norte, já que Londres teme que o bloco fique indefinidamente no esquema previsto no acordo para essa barreira.

"Concordamos com acordo que evita 'backstop' nas Irlandas para sempre", afirmou May na coletiva. O "backstop" é o mecanismo para evitar uma fronteira física entre a Irlanda e a Irlanda do Norte. Segundo Juncker, foi fechado um compromisso para se buscar alternativas para essa fronteira até o fim de 2020.

Juncker ressaltou que o instrumento fechado hoje, com força legal, esclarece o acordo do Brexit. Ele disse que o bloco lamenta, mas respeita o desejo do povo britânico, que aprovou a separação em plebiscito. Agora, caberá ao Parlamento nesta terça-feira votar se aceita o acordo. Juncker insistiu que será a última alternativa para evitar uma separação sem acordo algum, o que significaria um custo maior para a economia do país, segundo as projeções.

"O acordo de retirada pode ser ratificado e concluído a tempo", afirmou o presidente da Comissão Europeia. May, por sua vez, disse que o resultado das conversas de hoje em Estrasburgo equivale a uma "política de segurança" para garantir que não haverá nunca uma fronteira dura entre as Irlandas. Com isso, a premiê espera obter apoio no Legislativo londrino para o acordo fechado entre as partes.

GNet

Matérias Relacionadas

Economia

WEG vai abrir nova fábrica na Ásia

Previsão de inauguração é para o primeiro semestre deste ano
WEG vai abrir nova fábrica na Ásia
Saúde

Aumento de casos de Covid-19 não deve elevar número de óbitos, afirma ministro

Queiroga disse também que, nos próximos 15 dias, serão distribuídos 14 milhões de testes rápidos de antígenos.
Aumento de casos de Covid-19 não deve elevar número de óbitos, afirma ministro
Geral

Incêndio em Nova York deixa 19 mortos, nove deles crianças

Fogo no bairro de Bronx deixou ainda centenas de feridos
Economia

Dólar cai para R$ 5,63, após dados de emprego nos EUA

Bolsa subiu 1,14%, mas fechou semana em baixa
Ver mais de Mundo