Dia internacional das Mulheres
INTERNACIONAL

Referendo sobre nova Carta Magna de Cuba tem alta participação

25 Fev 2019 - 12h45

Os cubanos foram às urnas neste domingo, dia 24, em um referendo constitucional que discute a vigência do socialismo em meio a fortes pressões dos EUA e com os olhos voltados para a crise na Venezuela, seu aliado mais próximo.

Os colégios eleitorais abriram às 7 horas (9 horas de Brasília), e foram fechados às 18 horas. De acordo com a comissão eleitoral, até as 14 horas, 74% dos mais de 8 milhões de eleitores convocados já haviam registrado seus votos sobre a nova Carta Magna, que substituirá a de 1976.

Observadores locais e estrangeiros disseram esperar que entre 70% e 80% dos eleitores devem ratificar a nova Constituição. Também espera-se mais votos no "Não" do que em 1976, quando a Carta foi aprovada por 97,8% dos eleitores, e em 2002, quando o voto para tornar "irrevogável" o socialismo obteve 99,3% de aprovação.

A maior parte de votos no "não" desta votação deve ocorrer porque diferente de votações anteriores, a oposição ao regime cubano não pediu a anulação ou abstenção, mas sim o voto pelo "não". Os primeiros resultados oficiais serão divulgados na tarde desta segunda-feira, 25.

O novo texto reconhece o mercado e o investimento privado e estrangeiro como atores em sua economia de linha soviética, mas sempre sob o comando do único e governante Partido Comunista de Cuba, e afirma que "apenas no socialismo e no comunismo, o ser humano alcança a dignidade plena".

A consulta foi feita em meio à crise que atravessa o governo de Nicolás Maduro. "Cuba em pé pelo #Sim à #Constituição e ratificando o apoio à #RevoluçãoBolivariana", tuitou o presidente Miguel Díaz-Canel.

Cuba faz campanha para tentar unir a comunidade internacional contra o que denuncia como "agressão militar dos EUA" contra o seu aliado. "#Venezuela não está sozinha. #ManosFueradeVenezuela", escreveu Díaz-Canel, para quem o sim é "um voto também pelo socialismo, a pátria e a revolução", e a resposta às ameaças de Donald Trump, que havia afirmado em Miami que "os dias do socialismo e do comunismo estão contados na Venezuela, e também na Nicarágua e Cuba", três países apontados como "a troika da tirania" pelos EUA.

O governo cubano organizou uma campanha onipresente nas redes sociais e canais de televisão estatais - os únicos em sinal aberto - para obter a aprovação, com o uso da hashtag #YovotoSí (Eu voto sim, em tradução livre), apelando ao patriotismo e questionando as posições contrárias.

Para a Constituição passar é necessário obter 50% + 1 dos votos e o governo tem a certeza de uma grande vitória. O voto é facultativo na ilha. (Com agências internacionais).

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Saúde

Senado aprova MP que autoriza crédito de R$ 2,5 bi para Covax Facility

A estimativa é que o Brasil obtenha 10,6 milhões de doses
Saúde

Pesquisadores desenvolvem máscara que inativa coronavírus

A ação do equipamento é devida à presença de um nanofilme de quitosana, na camada intermediária da máscara, substância derivada da casca do camarão
Saúde

Biden determina que estados priorizem vacinação de professores

Pediu ainda que os estados apliquem pelo menos uma dose de imunizante em cada educador até o fim de março.
Economia

Preços de gasolina, diesel e gás aumentam hoje nas refinarias

Litro da gasolina ficou R$ 0,12 mais caro (4,8%)
Preços de gasolina, diesel e gás aumentam hoje nas refinarias
Ver mais de Mundo