105 Ouça
Caraguá
INTERNACIONAL

Ortega descarta adiantar eleições na Nicarágua

09 Mar 2019 - 23h20Por AE

O governo do presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, descartou adiantar as eleições de 2021, apesar de ter avançado nas discussões com a oposição no que diz respeito à libertação de presos em protestos.

"O governo está comprometido com o fortalecimento da democracia e o respeito à ordem constitucional da Nicarágua", diz um documento da chancelaria do país, enviado à imprensa. "Porém, as eleições presidenciais e legislativas estão estabelecidas para 2021."

A coalizão opositora Aliança Cívica, que participa do diálogo com representantes de Ortega desde 27 de fevereiro, insistiu em comícios pela mudança rápida de governo, em meio à crise mais grave que o país viveu nos últimos 40 anos.

Segundo o comunicado, o primeiro ponto da agenda do governo é o "fortalecimento das instituições eleitorais" mediante recomendações formuladas pela Organização dos Estados Americanos (OEA). Além disso, há "reformas eleições que vão aperfeiçoar o pleito".

O segundo ponto propõe "justiça e reparação" para consolidação da paz e da segurança na Nicarágua.

O último ponto trata da "libertação de presos nos protestos contra o Estado da Nicarágua a partir de abril de 2018", quando eclodiram protestos contra Ortega, no poder desde 2006. Fonte: Associated Press.

GNet

Matérias Relacionadas

Saúde

Aumento de casos de Covid-19 não deve elevar número de óbitos, afirma ministro

Queiroga disse também que, nos próximos 15 dias, serão distribuídos 14 milhões de testes rápidos de antígenos.
Aumento de casos de Covid-19 não deve elevar número de óbitos, afirma ministro
Geral

Incêndio em Nova York deixa 19 mortos, nove deles crianças

Fogo no bairro de Bronx deixou ainda centenas de feridos
Economia

Dólar cai para R$ 5,63, após dados de emprego nos EUA

Bolsa subiu 1,14%, mas fechou semana em baixa
Saúde

Covid-19: reações à vacina em crianças são raras, dizem especialistas

Para pesquisadores, risco de não vacinar supera qualquer reação
Covid-19: reações à vacina em crianças são raras, dizem especialistas
Ver mais de Mundo