INTERNACIONAL

May inicia maratona de reuniões sobre o Brexit

18 Fev 2019 - 11h01

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse que pretende conversar com cada líder da União Europeia e com o chefe da Comissão Europeia para buscar mudanças no acordo do Brexit. A decisão foi tomada dias após mais uma derrota da premiê no Parlamento e no momento em que empresas britânicas anunciam investimentos para evitar prejuízos.

Em suas conversas com líderes da UE e com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, May tentará mudar o mecanismo que regula a fronteira entre Irlanda e Irlanda do Norte, a parte mais contenciosa do acordo do Brexit, com o qual ela concordou em novembro.

May garante que pode aprovar seu acordo no Parlamento se obtiver concessões, principalmente na questão irlandesa. Um Brexit sem acordo significaria um retorno da fronteira física entre os dois territórios, o que muitos irlandeses veem como um risco de retorno ao período de violência nacionalista e religiosa dos anos 80.

O problema de May é que a derrota sofrida por ela em uma votação simbólica no Parlamento, na quinta-feira, enfraqueceu sua promessa e aumentou o risco de um Brexit sem acordo no dia 29 de março.

Se May não conseguir aprovar um acordo no Parlamento, ela terá de decidir se adia o Brexit ou se deixa a quinta maior economia do mundo viver uma situação caótica. Com o relógio correndo, empresas britânicas disseram não ter outra alternativa senão aprovar medidas de emergência para lidar com um cenário de saída da UE sem acordo.

"As empresas estão agora testando os airbags em seus preparativos para o Brexit", disse James Stewart, da consultoria KPMG UK. "Tempo é um luxo que não temos mais. Então, as pessoas estão se preparando para possíveis impactos imediatos."

A gigante Airbus, que projeta e fabrica asas para suas aeronaves no Reino Unido, disse neste domingo, 17, que um Brexit sem acordo seria "absolutamente catastrófico". "Não existe isso de ter uma saída sem acordo de maneira gerenciável. É absolutamente catastrófico para nós", afirmou à BBC a vice-presidente da Airbus, Katherine Bennett. "Algumas decisões difíceis terão que ser tomadas se não houver acordo. Teremos de reavaliar nossos futuros investimentos." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Saúde

Diretoria da Anvisa rejeita importação e uso da Sputnik V

Compra da vacina foi solicitada por estados e municípios
Diretoria da Anvisa rejeita importação e uso da Sputnik V
Saúde

Anvisa avalia pedidos de importação da vacina Sputnik V

Reunião extraordinária está marcada para as 18h
Esportes

Eliminatórias da Copa do Mundo serão retomadas em junho, diz Conmebol

Jogos ocorrerão antes de 13 de junho, quando começa a Copa América
Eliminatórias da Copa do Mundo serão retomadas em junho, diz Conmebol
Economia

Renault, WEG e EDP fazem parceria para expandir estações de recarga para veículos elétricos

A WEG fornecerá as estações de recarga para veículos elétricos e a EDP será responsável pelas vistorias e pela instalação dos equipamentos
Renault, WEG e EDP fazem parceria para expandir estações de recarga para veículos elétricos
Ver mais de Mundo