transito
INTERNACIONAL

Maduro pede por união das Forças Armadas na Venezuela e por combate a 'traidores'

02 Mai 2019 - 19h53

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu pela unidade das Forças Armadas e disse que os militares devem estar preparados para combater "traidores" que foram para a oposição e "provocaram derramamento de sangue em Caracas". Os comentários de Maduro foram feitos na base aérea de Carlota, no leste de Caracas, o epicentro do levante desta semana organizado pelo líder opositor Juan Guaidó, que se autointitula presidente interino venezuelano.

Apoiador por um pequeno contingente de forças de segurança, Guaidó pediu que os militares se voltassem contra Maduro na terça-feira, mas a polícia fez uma investida contra a oposição e contra manifestantes, que foram às ruas pedir pela saída do presidente chavista.

De acordo com o Observatório Venezuelano de Conflito Social, um grupo de direitos humanos, ao menos quatro pessoas morreram nos protestos que ocorreram em solo venezuelano na terça e na quarta-feira. Duas pessoas foram baleadas na cidade de La Victoria e outras duas também foram atingidas por tiros e não resistiram em Caracas. Ativistas de direitos humanos disseram que pelo menos 230 pessoas ficaram feridas, enquanto 205 foram detidas durante os confrontos entre policiais e manifestantes. Fonte: Associated Press.

Matérias Relacionadas

Geral

Confira as previsões do horóscopo para hoje

Saiba o que os astros reservam para você no amor, vida profissional e viagens
Confira as previsões do horóscopo para hoje
Geral

Confira as previsões do horóscopo para hoje

Saiba o que os astros reservam para você no amor, vida profissional e viagens
Confira as previsões do horóscopo para hoje
Saúde

Apple Vision Pro é usado em cirurgia ortopédica em Jaraguá do Sul

Confira como foi a cirurgia
Apple Vision Pro é usado em cirurgia ortopédica em Jaraguá do Sul
Esportes

Chapecoense é condenada a pagar pensão até 2049 para família de chefe de segurança morto em acidente

Tribunal Superior do Trabalho determinou ainda que mulher e filhos sejam indenizados em R$ 600 mil. Ex-funcionário estava no voo da delegação do clube que matou 71 pessoas.
Chapecoense é condenada a pagar pensão até 2049 para família de chefe de segurança morto em acidente
Ver mais de Mundo