INTERNACIONAL

Governo Trump anunciará mais sanções contra regime de Maduro, diz Pence

25 Fev 2019 - 15h37Por Gabriel Bueno da Costa

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, afirmou em discurso nesta segunda-feira em reunião extraordinária do Grupo de Lima em Bogotá que a administração do presidente Donald Trump imporá mais sanções contra o regime de Nicolás Maduro, da Venezuela. O governo americano pressiona pela queda de Maduro e para que seja reconhecido o autointitulado presidente interino, Juan Guaidó.

Pence lembrou que os EUA já impuseram sanções contra ao menos 50 cidadãos venezuelanos e contra a estatal petrolífera PdVSA. Além disso, ressaltou que o governo Trump foi o primeiro a reconhecer Guaidó como "presidente legítimo". Segundo ele, agora é necessário intensificar o isolamento do regime de Maduro, isolando-o. "Todos os países do Grupo de Lima devem congelar ativos da PdVSA", defendeu, pedindo também que essas nações passem os ativos do governo venezuelano para o controle de Guaidó.

O vice de Trump repetiu a ameaça feita pelo presidente de que "todas as opções estão sobre a mesa" para lidar com a crise, embora tenha dito esperar uma transição pacífica. Os militares da Venezuela podem aceitar a oferta de anistia ou serão responsabilizados mais adiante, alertou.

Pence afirmou que os EUA já enviaram US$ 139 milhões em ajuda à Venezuela, por meio de Colômbia e Brasil. Ele criticou os partidários de Maduro por queimarem caminhões com ajuda e por disparos indiscriminados contra civis inocentes. "Maduro está desesperado e busca intimidar população", disse.

O vice-presidente americano comentou que vários países já se comprometeram a lutar contra a lavagem de dinheiro pelo regime venezuelano. Pence afirmou que o governo de Caracas recebe apoio de Cuba, mas garantiu que a força de Maduro diminui a cada dia. Também pediu que México, Uruguai e países do leste do Caribe também reconheçam Guaidó como líder legítimo do país.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Lucro da Weg cresce 48,5% no 4º trimestre, para R$ 742,2 milhões

No ano, o lucro chegou a R$ 2,340 bilhões, avanço de 45% ante o ano anterior
Lucro da Weg cresce 48,5% no 4º trimestre, para R$ 742,2 milhões
Economia

Bolsonaro sanciona projeto que dá autonomia ao Banco Central

Medida prevê mandatos para dirigentes do órgão
Bolsonaro sanciona projeto que dá autonomia ao Banco Central
Economia

Dólar tem pequena queda e fecha a R$ 5,42

Bolsa sobe 0,38% em dia de recuperação
Saúde

Brasil registra 1.428 novas mortes por covid-19

País teve 10,32 milhões de casos; recuperados passam de 9 milhões
Ver mais de Mundo