INTERNACIONAL

Decisão do Grupo de Lima foi 'prudente', diz comandante do Exército

26 Fev 2019 - 13h42Por Teo Cury

O comandante do Exército, general Edson Leal Pujol, considerou "prudente" a decisão do Grupo de Lima pela não intervenção militar na Venezuela. "É óbvio (que foi prudente). Todos nós queremos a paz, ninguém quer confusão, ainda mais envolvendo dois países", respondeu Pujol a jornalistas após encontro nesta manhã com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

O Grupo de Lima é um bloco de países latino-americanos que monitoram a crise na Venezuela - integram o grupo Argentina, Brasil, Colômbia, Peru, Chile, entre outros.

O comandante disse ainda que, "felizmente os ânimos se acalmaram" na fronteira do Brasil com o país vizinho, cuja população vive uma crise profunda sob o regime chavista de Nicolás Maduro.

Pujol explicou ainda que as tropas federais ficarão na fronteira de Roraima com a Venezuela porque há duas missões sendo cumpridas lá: a operação de acolhida e atendimento a venezuelanos, que, segundo o comandante, prosseguirá enquanto houver o fluxo de refugiados, e a operação da Garantia da Lei e da Ordem, que foi solicitada pelo governo do Estado.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Esportes

Flamengo é campeão brasileiro

Rubro-Negro perde de 2 a 1, mas garante oitavo título da história
Flamengo é campeão brasileiro
Economia

Lucro da Weg cresce 48,5% no 4º trimestre, para R$ 742,2 milhões

No ano, o lucro chegou a R$ 2,340 bilhões, avanço de 45% ante o ano anterior
Lucro da Weg cresce 48,5% no 4º trimestre, para R$ 742,2 milhões
Economia

Bolsonaro sanciona projeto que dá autonomia ao Banco Central

Medida prevê mandatos para dirigentes do órgão
Bolsonaro sanciona projeto que dá autonomia ao Banco Central
Economia

Dólar tem pequena queda e fecha a R$ 5,42

Bolsa sobe 0,38% em dia de recuperação
Ver mais de Mundo