Dia internacional das Mulheres
INTERNACIONAL

Chanceler brasileiro espera que Venezuela libere passagem de ajuda humanitária

23 Fev 2019 - 11h44Por Luiz Raatz, enviado especial

O chanceler Ernesto Araújo disse, em entrevista coletiva na manhã deste sábado em Pacaraima, que espera que autoridades venezuelanas liberem a passagem de ajuda humanitária enviada do Brasil para a Venezuela enviada desde a Base de Boa Vista por um dever moral e político.

"A expectativa é de que se libere o ingresso" disse Araújo, ao lado da embaixadora do líder opositor Juan Guaidó, Maria Teresa Belandria e de autoridades diplomáticas americanas. " A entrega será conduzida pela equipe do governo legítimo do presidente Guaidó."

Ainda de acordo com o chanceler, são 178 toneladas de remédios e alimentos não perecíveis como feijão, arroz açúcar e leite em pó.

A embaixadora lembrou que em Cúcuta durante a noite guardas da Guarda Nacional Bolivariana desbloquearam uma parte da ponte e esperam o mesmo procedimento aqui. Segundo ela, Maduro dificultou a saída de caminhões venezuelanos para o Brasil por meio de pressao junto a empresas de transporte.

Ainda de acordo com Araújo, a movimentação de segurança do lado brasileiro da fronteira é normal e o Itamaraty trabalhará junto a autoridades venezuelanas para que brasileiros que ficaram em Santa Elena do Uairen antes do fechamento da fronteira retornem ao País.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Dólar chega a R$ 5,55, mas fecha estável com notícias do exterior

Bolsa de valores sobe 1,35% e volta a superar os 112 mil pontos
Saúde

Senado aprova MP que autoriza crédito de R$ 2,5 bi para Covax Facility

A estimativa é que o Brasil obtenha 10,6 milhões de doses
Saúde

Pesquisadores desenvolvem máscara que inativa coronavírus

A ação do equipamento é devida à presença de um nanofilme de quitosana, na camada intermediária da máscara, substância derivada da casca do camarão
Saúde

Biden determina que estados priorizem vacinação de professores

Pediu ainda que os estados apliquem pelo menos uma dose de imunizante em cada educador até o fim de março.
Ver mais de Mundo