INTERNACIONAL

Casa Branca: ausência de acordo com Coreia do Norte não significa "fracasso"

03 Mar 2019 - 14h47

A segunda reunião de cúpula entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong Un, terminou sem um acordo, mas representantes da Casa Branca dizem não considerar o resultado um "fracasso". O principal objetivo da reunião, realizada em Hanói, capital do Vietnã, era levar o país asiático a abrir mão de seu arsenal nuclear.

Para John Bolton, conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, a incapacidade de Trump em persuadir os norte-coreanos a eliminar seu arsenal nuclear em termos aceitáveis para os EUA deveria ser vista como "um sucesso". Na leitura de Bolton, o que se viu foi um presidente "protegendo e avançando nas negociações de acordo com os interesses nacionais".

Em entrevista ao programa "Face the Nation", da rede CBS, Bolton afirmou que a principal questão era se a Coreia do Norte estava preparada para aceitar o que Trump chamou de "o grande acordo" - o que implicaria na total desnuclearização.

Segundo Trump, Kim insistiu que os EUA retirassem todas as sanções, mas em contrapartida ofereceu desmantelar apenas o complexo nuclear de Yongbyon, o que não foi aceito pelos negociadores. Pyongyang, por sua vez, diz ter exigido uma retirada somente parcial das sanções. Fonte: Associated Press.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Saúde

Anvisa orienta suspensão de vacina da AstraZeneca para grávidas

Recomendação saiu em nota emitida pela agência
Anvisa orienta suspensão de vacina da AstraZeneca para grávidas
Segurança

Tiroteio deixa pelo menos 11 mortos em escola na Rússia

Mais de 30 pessoas ficaram feridas na cidade de Kazan
Geral

"Ensine seu filho que a polícia não prende criança": Sheila ingressou na PM em 2013

Na reportagem especial do Dia das Mães, as "Mulheres da Segurança" falam das alegrias e desafios da maternidade
"Ensine seu filho que a polícia não prende criança": Sheila ingressou na PM em 2013
Saúde

Diretoria da Anvisa rejeita importação e uso da Sputnik V

Compra da vacina foi solicitada por estados e municípios
Diretoria da Anvisa rejeita importação e uso da Sputnik V
Ver mais de Mundo