Dia internacional das Mulheres
INTERNACIONAL

Boeings que caíram não tinham sistemas opcionais de segurança, diz 'NYT'

22 Mar 2019 - 10h02

Os aviões Boeing 737 Max 8 que caíram na Etiópia e na Indonésia não possuíam dois mecanismos opcionais de segurança que, em parte, poderiam ter ajudado os pilotos a evitar os acidentes, informou nesta quinta-feira, 21, o The New York Times. A Boeing, que vende esses sistemas como extra, decidiu incluir um deles como padrão após as catástrofes.

De acordo com o jornal norte-americano, nem o avião da Lion Air, acidentado em outubro de 2018, nem o da Ethiopian Airlines, que caiu neste mês de março, contavam com os sistemas opcionais de segurança. Especialistas apontam como possível motivo dos acidentes uma falha nos sensores que ativam um software projetado para melhorar a segurança na decolagem das aeronaves.

Investigação

O Departamento de Transportes dos Estados Unidos investiga a aprovação pela Administração de Aviação Federal (FAA, na sigla em inglês) dos aviões 737 MAX, da Boeing, segundo pessoas ligadas ao assunto. A apuração se concentra no sistema de segurança que supostamente teria tido influência na queda das duas aeronaves. (Com agências internacionais).

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Dólar chega a R$ 5,55, mas fecha estável com notícias do exterior

Bolsa de valores sobe 1,35% e volta a superar os 112 mil pontos
Saúde

Senado aprova MP que autoriza crédito de R$ 2,5 bi para Covax Facility

A estimativa é que o Brasil obtenha 10,6 milhões de doses
Saúde

Pesquisadores desenvolvem máscara que inativa coronavírus

A ação do equipamento é devida à presença de um nanofilme de quitosana, na camada intermediária da máscara, substância derivada da casca do camarão
Saúde

Biden determina que estados priorizem vacinação de professores

Pediu ainda que os estados apliquem pelo menos uma dose de imunizante em cada educador até o fim de março.
Ver mais de Mundo