Prates
Caraguá
INTERNACIONAL

Atirador de massacre na Nova Zelândia provavelmente agiu sozinho, diz polícia

16 Mar 2019 - 23h18

O tiroteio em massa de fiéis em mesquitas da Nova Zelândia está sendo considerado um ataque de um lobo solitário, depois que a polícia afirmou que duas pessoas que foram presas após o atentado não estavam envolvidas no crime.

O comissário de polícia da Nova Zelândia, Mike Bush, disse que as autoridades não estão 100% convencidas de que o australiano Brenton Harrison Tarrant - preso após os tiroteios e formalmente acusado de assassinato neste sábado - agiu sozinho. Mas afirmou que a polícia não acredita que um homem e uma mulher também presos na sexta-feira teriam qualquer envolvimento com o massacre.

O número de mortos no ataque subiu para 50, depois que a polícia encontrou mais corpo enquanto analisava as cenas do crime. Outras 36 vítimas estão hospitalizadas, duas delas estão em estado crítico.
Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press

GNet

Matérias Relacionadas

Saúde

Aumento de casos de Covid-19 não deve elevar número de óbitos, afirma ministro

Queiroga disse também que, nos próximos 15 dias, serão distribuídos 14 milhões de testes rápidos de antígenos.
Aumento de casos de Covid-19 não deve elevar número de óbitos, afirma ministro
Geral

Incêndio em Nova York deixa 19 mortos, nove deles crianças

Fogo no bairro de Bronx deixou ainda centenas de feridos
Economia

Dólar cai para R$ 5,63, após dados de emprego nos EUA

Bolsa subiu 1,14%, mas fechou semana em baixa
Saúde

Covid-19: reações à vacina em crianças são raras, dizem especialistas

Para pesquisadores, risco de não vacinar supera qualquer reação
Covid-19: reações à vacina em crianças são raras, dizem especialistas
Ver mais de Mundo