Empregados

Empregadores têm até hoje para fornecer informações ao Caged

07 Dez 2017 - 10h47
Empregadores têm até hoje para fornecer informações ao Caged -
Hoje (7) é o último dia para que os empregadores informem ao Cadastro Geral e Empregados e Desempregados (Caged) as contratações e os desligamentos de empregados. A partir deste mês, os dados fornecidos terão que incluir as modalidades de trabalho intermitente, parcial ou teletrabalho e se o desligamento foi por acordo entre empregado e empregador.

Segundo o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, as contratações feitas nas novas modalidades, entre os dias 11 (data da entrada em vigor da nova lei trabalhista) e 30 de novembro, que teriam de ser enviadas no mesmo dia da data de admissão, deverão ser declaradas juntamente com as demais movimentações mensais, dentro do prazo legal. Somente a partir da competência de dezembro, as admissões precisam ser informadas diariamente.

A empresa que omitir ou atrasar a entrega das informações sobre admissão e desligamento de empregados está sujeita à multa automática, que é calculada de acordo com o tempo de atraso e o número de empregados omitidos, contado a partir da data máxima permitida para entrega das informações, ou seja, o dia 7 do mês subsequente à movimentação não declarada.

Período de atraso - Valor por empregado

Até 30 dias

R$ 4,47

De 31 a 60 dias

R$ 6,70

Acima de 60 dias

R$ 13,40

Com informações do site do Ministério do Trabalho

Matérias Relacionadas

Saúde

Canetas de aplicação de insulina chegam ao SUS

Produzido pela empresa dinamarquesa Novo Nordisk na cidade mineira de Montes Claros, o produto auxiliará os pacientes no tratamento da doença.
Canetas de aplicação de insulina chegam ao SUS
Urgência

Reforma da Previdência é prioridade, afirma ministro da Fazenda

Além de reduzir os gastos públicos, o ministro disse que a reforma tem o objetivo de fazer justiça social.
Reforma da Previdência é prioridade, afirma ministro da Fazenda
Pesquisa Ibope

75% dos brasileiros acham que Bolsonaro está no "caminho certo"

14% responderam que eles estão “no caminho errado” e 11% não souberam ou não responderam.
75% dos brasileiros acham que Bolsonaro está no "caminho certo"
Ver mais de Brasil