Covid - 19
Jaraguá do Sul

Prefeitura e Comitê ainda aguardam detalhes do Estado para definir retomada

Conforme a previsão do governador Carlos Moisés, a partir do dia 8 de junho poderão começar a ser liberadas em algumas cidades o transporte coletivo e no dia 3 de agosto as aulas do ensino infantil, fundamental e médio, por exemplo

02 Jun 2020 - 14h06Por Da Redação
Prefeitura e Comitê ainda aguardam detalhes do Estado para definir retomada - Crédito: Divulgação / PMJS Crédito: Divulgação / PMJS

O Governo do Estado de Santa Catarina anunciou na última segunda-feira, dia 1º de junho, um decreto que prevê o início de uma gestão regionalizada de ações - com a participação dos municípios catarinenses, Associações de Municípios, e da Federação Catarinense de Municípios (Fecam) no combate à pandemia do coronavírus e liberação das atividades ainda suspensas. Conforme a previsão do governador Carlos Moisés, a partir do dia 8 de junho poderão começar a ser liberadas em algumas cidades o transporte coletivo e no dia 3 de agosto as aulas do ensino infantil, fundamental e médio, por exemplo.

Porém, o Estado ainda não apresentou aos Municípios quais serão os critérios detalhados para que uma cidade possa liberar e outra não, informações que estarão na Gestão da Matriz de Risco, que indicará a situação para as diversas regiões e precisa ser calibrada e testada nos territórios antes de qualquer definição. 

Sendo assim, a Prefeitura de Jaraguá do Sul e o Comitê Extraordinário de Combate ao Coronavírus trabalham em um plano de retomada respeitando as medidas necessárias de prevenção, entretanto, antes de conhecer em detalhe como funcionará o novo modelo e quais serão os critérios utilizados pelo Estado, ficam impossibilitados de fazer uma previsão precisa sobre como será o processo de retomada. Um ofício foi enviado ao governador Carlos Moisés solicitando informações. 

A própria Fecam (Federação Catarinense dos Municípios) está promovendo a realização de reuniões regionais de balizamento, esclarecimento e orientação sobre o novo modelo. Os municípios da região Norte vão participar da oficina amanhã, quarta-feira dia 3 de junho. 

“Entendemos a ansiedade da população para saber como será e quando a retomada, porém, temos que ter responsabilidade, pois toda decisão municipal ou regional terá que levar em conta as ferramentas e os parâmetros sanitários do Estado, o que ainda não conhecemos em detalhe. Antes de conhecermos com profundidade qual será a matriz de risco, não temos como tomar uma decisão definitiva”, explica a presidente do Comitê, Emanuela Wolff, que acrescenta, porém, que todo o plano municipal já está sendo elaborado. 

“Desde março Jaraguá do Sul vem fazendo um trabalho de excelência no controle do coronavírus e na diminuição dos reflexos negativos na economia. Temos resultados bastante positivos, um dos menores índices de contágio de Santa Catarina, porém, precisamos continuar vigilantes. Começamos a desenvolver um plano para o transporte coletivo em meados de maio e agora precisamos saber como será a diretriz do Estado para que possamos tomar a decisão definitiva”, diz Emanuela.

 A Federação Catarinense dos Municípios também fez observações ao governo do Estado quanto ao novo modelo, reivindicando a adoção de algumas mudanças: 

CONSIDERAÇÕES DA FECAM SOBRE O MODELO PROPOSTO PELO ESTADO:

• Falta de padronização das definições de variáveis, como por exemplo, casos suspeitos e casos recuperados são considerados diferentes em alguns municípios. Existe a necessidade de uma adoção de protocolo único no Estado;

• Fragilidade nas fontes de informações, dados municípios não correspondem com os dados da fonte oficial estadual, sendo em casos confirmados ou mesmo na capacidade de infraestrutura hospitalar;

• Necessidade de ampliar a discussão sobre as variáveis e os parâmetros adotados para cada variável e nível de risco, como por exemplo a possibilidade de usar taxa de mortalidade, que consiste no número de óbitos dividido pela população do município (multiplicado por 100 mil habitantes) e a evolução no número de internações em UTIs de paciências com COVID-19;

• É necessário tempo para corrigir as distorções e calibrar o modelo a fim de buscar apresentar a realidade de forma mais fidedigna;

• Modelo tem como base a política de ampliação de testes e existe diferentes procedimentos de testagem e isso pode resultar em cenários regionais distorcidos;

• A ferramenta deve ser uma das bases para a tomada de decisão, pois a realidade de cada município pode não está totalmente contemplada em níveis regionais. Nesse sentido, importante aplicar também dados e ferramentas para cada ente municipal.


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp! 

Matérias Relacionadas

Saúde

Bombeiros redobram cuidados para evitar contaminação durante atendimentos

O comandante local Neilor Vincenzi explica sobre os procedimentos que foram adotados
Bombeiros redobram cuidados para evitar contaminação durante atendimentos
Saúde

Presidente de Associação Médica explica procedimentos sobre a estatística dos casos de COVID-19

A Rádio Jaraguá entrou em contato com o presidente da Associação Médica de Jaraguá do Sul, Rodrigo Ferreira de Souza, que integra o comitê extraordinário municipal de enfrentamento à COVID-19
Presidente de Associação Médica explica procedimentos sobre a estatística dos casos de COVID-19
Jaraguá do Sul

Defesa Civil inicia obras de contenção de margens de rio na João Januário Ayroso

Segundo projeção da Diretoria de Defesa Civil da Prefeitura de Jaraguá do Sul, que coordena os trabalhos, esta fase da obra deverá se estender por aproximadamente um mês
Defesa Civil inicia obras de contenção de margens de rio na João Januário Ayroso
Saúde

Prefeitura de Jaraguá orienta empregadores no reforço de prevenção ao Covid-19

Vale salientar que a adaptação ao chamado “novo normal” exige o cumprimento das normas estabelecidas
Prefeitura de Jaraguá orienta empregadores no reforço de prevenção ao Covid-19
Ver mais de Jaraguá do Sul